Clique e assine por apenas 8,90/mês

Longa Duração: Caoa Chery Tiggo 5X não passa em teste para carros 4×4

Pusemos à prova a suposta capacidade que o Tiggo 5X tem de se passar por um carro 4x4, mas ele ficou pelo caminho em teste superado pelo Outlander

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 31 ago 2020, 10h10 - Publicado em 31 ago 2020, 07h11
O Tiggo 5X tentou, mas não subiu a ladeira de terra Fernando Pires/Quatro Rodas

A última incursão do Tiggo 5X na terra deu o que falar. Relatamos que o SUV lidou bem com uma estrada de terra e um trecho com um pouco mais de lama, mas chegou a raspar frente e traseira quando cheio por ser baixo.

A Caoa Chery viu isso e concluiu que o Tiggo 5X, nas palavras dela, “é o único SUV com tração 4×2, mas com desempenho de quatro 4×4 em qualquer terreno”. Nosso Outlander até ficou com ciúmes…

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Como nunca havíamos testado o Tiggo 5X a esse ponto, resolvemos conferir até onde vai a capacidade off-road do carro no melhor lugar para isso: Fazenda 4×4, em Guarulhos (SP), cenário de alguns dos nossos testes de carros com tração integral.

Outlander chegou ao ponto mais alto sem muito esforço Fernando Pires/Quatro Rodas

Conforme o Chery fosse superando os obstáculos, partiria para outros mais difíceis – mas não tanto a ponto de comprometer a integridade mecânica do carro. Para definir isso, usamos o Outlander, que tem entre-eixos 10 cm maior e, por isso, maior tendência a raspar o fundo, e que também usa pneus de asfalto. Se o Mitsubishi passasse, a prova também seria segura para que o Tiggo 5X encarasse o mesmo desafio.

Continua após a publicidade

Partimos para o primeiro desafio: uma ladeira de terra batida, que poderia estar no caminho de um sítio ou cachoeira. O Outlander conseguiu encostar os pneus no topo com o motor e a tração em modo Eco (que prioriza a força nas rodas dianteiras) sem sacrifício e sem ter de pegar embalo. Logo, também deveria ser tranquilo para o Chery.

O Tiggo 5X, porém, apontou na ladeira e seguiu até destracionar e o controle de tração entrar para diminuir a força nas rodas em pulsos, uma tentativa de encontrar a aderência. Mas o recurso foi em vão e tudo que conseguiu foi adernar.

Tentamos novamente com o controle de tração desligado. A diferença foi que a roda esquerda ficou livre para girar em falso ao destracionar e fez o carro ir para a esquerda. Não houve ganho de performance.

Foi mais seguro abortar o teste antes de chegar às etapas das ondulações de terra e das erosões. A conclusão é óbvia: em muitos terrenos a tração 4×4 é insubstituível.

Tiggo 5X – 39.355 km

Ficha técnica:
Versão: TXS 1.5 16V Turbo
Motor: 4 cilindros, dianteiro, transversal, 16V, turbo, 150/147 cv a 5.500 rpm, 21,4 mkgf a 1.750 rpm
Câmbio: Automatizado, dupla embreagem, 6 marchas
Seguro: R$ 2.004 (Perfil Quatro Rodas)
Revisões:
Até 60.000 km – R$ 4.028
Gastos no mês: Combustível: R$ 412,15
Consumo: No mês: 7,2 km/l com 91,1% de rodagem na cidade
Desde jul/19: 8,8 km/l com 30,9% de rodagem na cidade
Combustível: flex (gasolina)

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade