Clique e assine por apenas 8,90/mês

Impressões ao Dirigir: novo Nissan March / Micra

O Nissan March mudou na Europa, onde é conhecido como Micra. A boa notícia é que ele ficou muito melhor. A má é que por enquanto ele não vem para o Brasil

Por Joaquim Oliveira , de Aalborg (Dinamarca) - Atualizado em 15 jan 2018, 17h50 - Publicado em 2 fev 2017, 18h06
A nova versão em nada lembra nosso March: está maior e mais esportiva
A nova versão em nada lembra nosso March: está maior e mais esportiva divulgação

A Nissan quer voltar ao segmento de compactos premium com a quinta geração do Micra europeu, hatch que conhecemos como March. Ele está maior e mais bem equipado, mas nem se anime: não vem para o Brasil tão cedo – pelo menos não desse jeito.

O novo Micra rompe os laços com seu antecessor. Lançado em 2010 (e renovado em 2014), o modelo era visto como um downgrade na linha. Tinha na sua mira os mercados emergentes, deixando a desejar em qualidade geral de materiais e acabamento.

Coeficiente aerodinâmico (Cx) foi reduzido para 0,29
Coeficiente aerodinâmico (Cx) foi reduzido para 0,29 divulgação/Nissan

Na Europa, a Nissan agora quer retomar sua posição em um mercado premium. No Brasil, o modelo atual vai continuar na briga pelo segmento de entrada.

A diferença mais evidente entre as gerações está no design arrojado do Micra V – lado a lado, os dois carros nem parecem ter parentesco. Até no tamanho a novidade se destaca: tem 17,4 cm a mais no comprimento (são 4 metros), 7,8 cm extras na largura e 5,5 cm na altura. Os novos traços também beneficiaram o Cx (0,29), colocando-o como o melhor da categoria.

Maçanetas traseiras disfarçadas simulam a carroceria de duas portas, que traz itens de design do Kicks
Maçanetas traseiras disfarçadas simulam a carroceria de duas portas, que traz itens de design do Kicks divulgação

O Micra utiliza a nova plataforma modular CMF B, e passou por aperfeiçoamentos para atingir comportamento mais esportivo – o anterior tinha propósito mais familiar. Usa suspensão McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira. A direção conta com assistência elétrica e freios a disco na frente, mantendo os tradicionais tambores na traseira, ainda o padrão nesse segmento.

Vincos e linha de cintura ascendente: ar esportivo
Vincos e linha de cintura ascendente: ar esportivo Divulgação/Nissan

No quesito segurança, as novidades são itens inéditos no seu segmento: monitor de faixa de rolagem com travas nas rodas – sistema que impede a troca inadvertida de faixa, alerta de colisão que reconhece pedestres e câmeras de 360º, semelhantes às do Kicks. As câmeras do Micra também são capazes de conseguem ler placas de trânsito e de velocidade da via.

Volante traz comandos do cruise control, inexistente no Kicks
Volante traz comandos do cruise control e tem a base achatada divulgação

Nossa avaliação foi feita com uma unidade a gasolina, de 0,9 litro e turbo (de origem Renault). A sensação de esportividade começa quando entramos no carro, que melhorou em acabamento. O painel (que também lembra muito o do Kicks, assim como alguns elementos visuais do exterior) é envolvente e o volante tem a parte inferior reta.

Continua após a publicidade
Interior bicolor reforça o estilo mais jovem
Interior bicolor reforça o estilo mais jovem divulgação

Na versão Connecta, há uma tela de 7 polegadas sensível ao toque e som Bose, que conta com dois alto-falantes inseridos no encosto de cabeça do banco do motorista.

Central multimídia é idêntica à do Kicks
Central multimídia de 7 polegadas e ar-condicionado digital, mas sem dual-zone divulgação
Recurso que impede a troca inadvertida de faixa é inédito no segmento
Recurso que impede a troca inadvertida de faixa é inédito no segmento divulgação

Durante o test-drive em Aalborg (Dinamarca), agradou a sonoridade do motor, discreta, mas marcante. O giro do propulsor turbinado sobe rápido, característica típica dos três-cilindros. Acima dos 2.000 giros, a condução se anima quando a turbina começa a trabalhar.

De acordo com a Nissan, ele vai de 0 a 100 km/h em 12 segundos e atinge 183 km/h. Também agrada a alavanca do câmbio em posição elevada (são 5 marchas), e os engates se mostraram confortáveis.

Espaço para os passageiros do banco de trás continua pequeno
Espaço para os passageiros do banco de trás continua pequeno divulgação
Porta-malas oferece 300 litros - 35 a mais que o modelo atual
Porta-malas oferece 300 litros – 35 a mais que o modelo atual divulgação

A evolução deste March/Micra foi tão grande que só lamentamos uma coisa: que a Nissan não tenha planos de fabricá-lo no Brasil tão cedo.

Apesar das patentes da nova geração já terem sido registradas no país, os planos da montadora são outros. No Brasil, ela deverá aproveitar a plataforma V já utilizada no Kicks, resultando em uma versão simplificada – o modelo europeu é feito sobre a base modular CMF B, cujos custos elevados inviabilizariam sua produção local.

Dessa maneira, a Nissan deverá manter o March atual como carro de entrada. Mesmo sem a mesma sofisticação, a nova geração utilizaria o nome europeu (Micra) para se situar num patamar acima dos hatches compactos, junto com VW Polo e Fiat Argo.

Veredicto

Não fosse pelo nome, você nunca pensaria que este é um March: design, acabamento e conteúdo estão bem melhores

Ficha técnica – Nissan Micra 0.9 i-GT

  • Preço: 13.000 euros (estimado)
  • Motor: gas., diant., transv., 3 cilindros em linha, 898 cm3, 12V, 72,2 x 73,1 mm, 9,5:1, 90cv a 5.500 rpm, 14,3 mkgf a 2.250 rpm
  • Câmbio: manual, 5 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson(diant.), eixo de torção (tras.)
  • Freios: disco (diant.), tambor (tras.)
  • Direção: elétrica
  • Rodas e pneus: 205/45 R17
  • Dimensões: comp., 399,9 cm; largura, 174,3 cm; altura, 145,5 cm; entre-eixos, 252,5 cm; peso, 1.067 kg; tanque, 50 l; porta-malas, 300 l
  • Desempenho: 0 a 100 km/h em 12 s, vel. máx., 183 km/h
Continua após a publicidade
Publicidade