Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Feliz Uno novo

Por Redação 25 nov 2010, 15h03

2708 km

Além do cheiro de carro novo, muitos justificam a compra de um zero-quilômetro sob o argumento de estar a salvo de custos e aborrecimentos na manutenção. Na coluna dos custos, o Uno está honrando essa ideia. Mas já chegou exigindo atenção. O que o levou de volta à revenda não foram só o volante desalinhado e a luz do reservatório de gasolina de partida a frio. Este último problema, aliás, desapareceu após alguns quilômetros e depois do nosso primeiro teste, feito com 1073 km.

Talvez pelas frenagens e acelerações a que ele foi submetido, mas o mais provável é que ele tenha se acostumado com o combustível fóssil (ele usa álcool desde que saiu da revenda). Apagada a luz do painel, foi a vez dos faróis desregulados, seguidos de uma anomalia que exigiu até a visita de um técnico da Fiat: o direcionador do fluxo do ar-condicionado não ia até o fim de seu curso. Perto dali, ele estalava, como se os cabos que o acionam fossem curtos demais.

A revenda Amazonas (SP) solicitou a vinda de um técnico da fábrica, que determinou a troca de todo o painel. Como a peça não estava disponível na concessionária, tivemos de retirar o carro e aguardar a peça. Por sorte, na semana seguinte ela apareceu. A troca exigiu dois dias de trabalho, mas o Uno voltou tinindo. Volante e faróis já haviam sido arrumados.

Voltando a nosso primeiro teste, o Uno ainda está meio amarrado. Foi de 0 a 100 km/h em 17,5 segundos, percorrendo 1000 metros em 38,1 segundos. As retomadas de 40 a 80 km/h, de 60 a 100 km/h e de 80 a 120 km/h foram, respectivamente, de 12,4, 19 e 32,4 segundos. Em termos de frenagem, o ABS ajudou o carro a parar em 16,1 metros, vindo a 60 km/h, em 27,8 metros (80 km/h) e em 64,2 metros (120 km/h). Esta última marca foi sensivelmente melhor que as obtidas pelo Uno 1.0 e pelo 1.4 na edição 605, mas ainda parece alta. Se não é um primor de desempenho, o consumo com álcool foi bastante bom: 8,2 km/l na cidade e 11,6 km/l na estrada. O Uno só poderia ser um pouco mais silencioso. Em marcha lenta, ele registrou 45,3 dB. A 120 km/h, 69,9 dB.

Continua após a publicidade

Após as primeiras provas, o Uno parecia ter chegado ileso ao fim do mês, mas um pequeno acidente na Marginal Pinheiros deve levá-lo de volta à rede Fiat. Por distração, em um engarrafamento, um motorista bateu em sua traseira, danificando o painel de metal sob o para-choque e a própria peça, que terá de ser substituída. O editor Péricles Malheiros, que dirigia o carro com uma camiseta da revista, foi identificado pelo motorista, que é fã da QUATRO RODAS e se mostrou uma pessoa responsável, assumindo o custo do conserto. Mas isso é assunto para o mês que vem.

Principais ocorrências

1350 km: colisão traseira

Consumo

No mês (41,1% na cidade): Álcool – 8,7 km/l

Desde out/10 (45,5% na cidade): Álcool – 8,1 km/l

Continua após a publicidade

Publicidade