Clique e assine com até 75% de desconto

BMW X1: cresca e apareça

Agora um SUV de verdade, BMW X1 rompe com antigas tradições para conquistar novos clientes

Por Vitor Matsubara Atualizado em 23 nov 2016, 21h01 - Publicado em 10 Maio 2016, 12h34
BMW X1
Novo X1 dicou mais alto e largo, mas com menor comprimento

Dizem que o mundo está ficando chato. Em meio a tantas polêmicas por aí, sobrou até para a BMW. Foi só a marca alemã anunciar o fim da tração traseira em alguns modelos que vários fãs inundaram as redes sociais de reclamações. Se você faz parte desse grupo, tenho uma má notícia: o segundo BMW com tração dianteira acaba de chegar ao mercado brasileiro. Mas, no caso do X1, essa mudança pode não ser tão ruim assim. Logo você entenderá por quê.

BMW X1
O X1 será feito no Brasil ainda este ano

Antes disso, puxe pela memória a imagem do antigo X1. As diferenças de design são gigantescas. Se antes o visual era de perua, agora não há dúvidas de que ele é um SUV. Reforça essa impressão o aumento de 5,3 cm para cima e 2,3 cm para os lados, embora o comprimento tenha diminuído 1,5 cm. Mesmo assim, o espaço interno traseiro cresceu 7,4 cm e o porta-malas saltou de 420 para 505 litros. Ainda não é suficiente para levar três adultos atrás, mas dois não passam tanto aperto como antes. Ironicamente, o crescimento interno só ocorreu graças à adoção da tração dianteira, permitindo posicionar o motor na transversal e abrindo espaço nos bancos dianteiros.

BMW X1
Abertura elétrica da tampa facilita acesso ao porta-malas de 505 litros

A sensação de qualidade a bordo também melhorou. No lugar dos plásticos duros e dos instrumentos caretas, o X1 traz acabamento mais esmerado, reduzindo a lacuna até o Série 3. Só uma deficiência ainda resiste: a usabilidade do sistema de entretenimento. Ok, a tela ficou maior e o menu principal está mais objetivo, mas quem não é cliente da marca sofre até para mudar a estação do rádio.

BMW X1
Cabine agrada pela ergonomia exemplar e bom acabamento, mas quadro de instrumentos ainda é conservador

Enquanto não começa a ser fabricado na unidade de Araquari (SC), o que deve acontecer a partir do segundo trimestre, o utilitário esportivo vem da Alemanha. São duas opções de motor: 2.0 turbo a gasolina, 20i (196 cv) e 2.5i (231 cv).

BMW X1
Motor 2.0 turbo tem desempenho vigoroso

No nosso teste da 2.5i, bastou uma leve acelerada para o SUV embalar, especialmente no modo Sport. Os méritos são compartilhados com o eficiente câmbio de oito marchas, com opção de trocas sequenciais. Para deleite dos fãs da marca, a posição de dirigir esportiva foi preservada, mesmo com o aumento de 4 cm na altura do banco do motorista. Mas nem tudo são flores, já que a calibragem dura da suspensão penaliza o conforto em piso irregular.

No Brasil, haverá três versões. A sDrive20i, de R$ 166.950, traz ar digital, start-stop, controles de estabilidade e de tração e central multimídia com o ConnectedDrive, que tem informações sobre o trânsito e serviço de concierge – central de atendimento que informa notícias do dia e indica pontos de interesse. Por R$ 179.950, a X-Line acrescenta teto solar, bancos elétricos e abertura elétrica do porta-malas. E a top xDrive25i (única 4×4) acrescenta rodas aro 19 e sistema de som de alta fidelidade por R$ 199.950. Nenhuma delas, porém, traz uma simples câmera de ré.

BMW X1
Gostou do logo no chão? É só pagar R$ 655,90 pelo acessório

A falta de tração traseira pode fazer o X1 não ser tão BMW quanto os outros. Mas agora que ele se tornou um legítimo SUV, a mudança faz sentido. Primeiro porque o maior rival, o Audi Q3 (R$ 142.990 a R$ 153.990) também tem tração dianteira. Depois porque, assim como a minivan Série 2 Active Tourer (que tem a mesma base), o novo X1 não nasceu para agradar o purista e, sim, quem nunca pensou em ter um BMW antes.

 

VEREDICTO

Maior por fora e mais requintado por dentro, o X1 se aproxima do X3, tanto no conteúdo quanto no desempenho – e no preço também.

Teste de Pista (com gasolina)
ACELERAÇÃO
de 0 a 100 km/h: 7,6 s
de 0 a 1.000 m: 28,2 s – 188,4 km/h
VELOCIDADE MÁXIMA: 235 km/h (dado de fábrica)
RETOMADA
de 40 a 80 km/h: 3,3 s
de 60 a 100 km/h: 4 s
de 80 a 120 km/h: 5 s
FRENAGENS
60 / 80 / 120 km/h a 0: 16,4 / 27,4 / 66 m
CONSUMO
Urbano: 11,1 km/l
Rodoviário: 14,3 km/l
Ficha Técnica – BMW X1 xDrive25i
Preço: R$ 199,950
Motor: gas. diant., transv., 4 cil., 1.998 cm3; 16V, 231 cv a 5.000 rpm, 35,7 mkgf entre 1.250 e 4.500 rpm
Câmbio: automática, 8 marchas, tração integral
Suspensão: McPherson (diant.) / multilink (tras.)
Freios: discos ventilados (diant. e tras.)
Direção: elétrica, 11,4 m (diâmetro de giro)
Rodas e pneus: liga leve, 225/45 R19
Dimensões: comprimento, 445,4 cm; altura, 159,8 cm; largura, 182,1 cm; entre-eixos, 267 cm; peso, 1.540 kg; tanque, 61 l
Equipamentos de série: oito airbags, ESP, controle de tração, teto solar
Continua após a publicidade
Publicidade