VW Up! elétrico tem boas chances de ser vendido… na Argentina

Veículo é vendido na Europa desde 2013. Na América do Sul, dois entraves podem atrapalhar chegada do subcompacto: rede de carregamento e posição da bateria

Volkswagen e-Up! custa o equivalente a R$ 100 mil na Europa

Volkswagen e-Up! custa o equivalente a R$ 100 mil na Europa (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

A Volkswagen tem planos de vender a versão elétrica do Up! na Argentina, segundo o site local Autoblog.

O recém eleito presidente do país vizinho, Alberto Fernández, reuniu-se com a cúpula da fabricante em Berlim (Alemanha) na última semana. Durante a reunião, o grupo apresentou o programa de eletrificação da marca no país para o presidente.

A partir disso, dois anúncios surgiram: o primeiro foi o início da produção do SUV Tarek. O segundo, ao que tudo indica, será o trabalho em um projeto piloto com o E-Up!.

Mas não adianta nós, brasileiros, ficarmos muito animados. A VW já tem o seu plano de eletrificação no Brasil pré-definido até 2023 e, conforme antecipado exclusivamente por QUATRO RODAS, o E-Up! não faz parte dele (pelo menos por enquanto).

O nosso plano prevê o já lançado Golf GTE (2020), os também híbridos Tiguan GTE e Touareg PHEV (2021), o SUV cupê elétrico ID Crozz (2022) e a van elétrica ID Buzz (2023), sucessora da nossa velha Kombi.

Autonomia do Up elétrico é para 260 km

Autonomia do Up elétrico é para 260 km (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

Voltando ao E-Up!, na Europa a versão elétrica do hatch é vendida desde 2013 e ganhou uma atualização no ano passado. O modelo vendido no Velho Continente é produzido na Eslováquia e tem o mesmo desenho do brasileiro.

Porém, o nosso recebe suspensão mais elevada, vidros traseiros manuais, entre-eixos alongado e maior seção traseira para aumentar o espaço interno e o porta-malas.

Atualizado para 2020, o E-Up! é equipado com motor elétrico que fornece 82 cv e 21,4 mkgf de torque, acelerando de 0 a 100 km/h em 11 segundos.

Seu novo conjunto de baterias de íon de lítio aumentou a autonomia de 160 para 260 quilômetros.

Porém, dois problemas podem dificultar a chegada do modelo elétrico na América do Sul: um é a falta de uma rede de carregadores; o outro é o posicionamento das baterias no veículo.

O E-Up! utiliza a plataforma MEB – base para veículo elétricos do grupo Volkswagen – cujas baterias são alojadas no assoalho do veículo.

 

Com isso, o conjunto de carga fica vulnerável dependendo da altura que o veículo tem do solo, principalmente com a qualidade das vias do continente sul-americano.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. José Carlos Lobo Barbosa

    Espero que a Volkswagen possa resolver estes problemas de engenharia no e-up! para que o mesmo possa ser vendido e rodar nas estradas esburacadas do Brasil e também criar, ela própria (a Volkswagen) em parceria com outras montadoras, uma boa e suficiente estrutura de carregadores elétricos públicos em todos os municípios e rodovias do país! José Carlos Lobo Barbosa, investidor e fã de minicarros 100% elétricos