Volkswagen lança caminhão que qualquer um pode dirigir

Inédita versão Express do novo Delivery pode ser conduzido por motoristas com habilitação de categoria B

Peso do Delivery Express não ultrapassa as 3,5 toneladas, para ampliar o público condutor

Peso do Delivery Express não ultrapassa as 3,5 toneladas, para ampliar o público condutor (Divulgação/Volkswagen)

Pense numa antiga Ford F-250 Cabine Dupla. Ou na mastodôntica RAM 2500 . São picapes tão grandes que precisam de habilitação de categoria C, para veículos acima dos 3.500 quilos.

Agora olhe para o novo VW Delivery Express aí em cima. É um caminhão, mas por incrível que pareça, pode ser dirigido por pessoas com habilitação de categoria B – aquela que quase todos nós temos.

Isso porque a Volkswagen limitou o Peso Bruto Total (PBT) da versão de entrada de seu caminhão a 3,5 toneladas, liberando sua condução para motoristas comuns. E ainda custa menos que uma Amarok cabine dupla.

Segundo o site Automotive Business, o Delivery Express será tabelado em R$ 118 mil, bem distante dos R$ 130.590 cobrados pela versão mais barata da picape média. O valor não inclui o implemento, mas a fabricante irá oferecer opções de baú ou carroceria de metal por R$ 10 mil extras.

Versão Delivery será vendida com opção de dois implementos de fábrica

Versão Delivery será vendida com opção de dois implementos de fábrica (Divulgação/Volkswagen)

Faróis halógenos podem ser complementados por luzes de neblina opcionais

Faróis halógenos podem ser complementados por luzes de neblina opcionais (Divulgação/Volkswagen)

Como é comum no segmento de veículos comerciais, o Delivery será oferecido em seis versões, visando atender uma ampla gama de clientes na faixa de 3,5 a 13 toneladas de PBT.

O novo modelo também estreou a opção de terceiro eixo para a versão topo de linha 13.180, que, assim como as outras variações, se enquadra na legislações que limitam o tráfego dentro das grandes cidades aos VUCs (Veículo Urbano de Carga).

Mas é o Express (o menor de todos, liberado para motoristas comuns e sem restrição de tráfego em zonas urbanas) que deve se destacar nesta nova fase do Delivery.

O painel recebeu diferentes nichos para comportar sistemas de monitoramento eletrônico, comunicação e rádio

O painel recebeu diferentes nichos para comportar sistemas de monitoramento eletrônico, comunicação e rádio (Divulgação/Volkswagen)

Volante com airbag tem regulagem de altura e profundidade

Volante com airbag tem regulagem de altura e profundidade (Divulgação/Volkswagen)

Serão três versões: City, Trend e Prime. Por ser um veículo comercial, a lista de itens de série é racional, incluindo apenas direção hidráulica e sistema de ventilação forçada entre os principais equipamentos. O ar-condicionado será ofertado como opcional nos pacotes iniciais e virá de fábrica no Delivery Prime.

Painel de instrumentos similar ao de carros de passio inclui mostrador digital com econômetro

Painel de instrumentos similar ao de carros de passio inclui mostrador digital com econômetro (Divulgação/Volkswagen)

Como acontece com outros veículos comerciais produzidos por fabricantes de automóveis, o Delivery usa diversos equipamentos adotados em outros Volkswagen, como o comutador do farol, controles do vidro elétrico e acionadores do sistema de ventilação.

As peculiaridades desse tipo de veículo, no entanto, impedem que se adote itens normalmente compartilhados por dezenas de modelos, como o volante. Por ter diâmetro maior, a peça usada do Delivery é exclusiva.

Desenho dos acionadores do ar-condicionado (opcional) são similares aos do Gol e Fox. O controlador de velocidade é opcional

Desenho dos acionadores do ar-condicionado (opcional) são similares aos do Gol e Fox. O controlador de velocidade é opcional (Divulgação/Volkswagen)

Uma curiosidade fica por conta dos airbags duplos, que, como nos automóveis, são obrigatórios. Como o painel é mais baixo e avançado, a bolsa inflável do passageiro precisa ser maior para compensar. Segundo a Volkswagen, o airbag do passageiro do Delivery é o maior da América Latina em volume, com 160 litros.

Motor da Cummins tem quatro cilindros, 150 cv e dispensa o sistema de Arla 32, sendo dotado apenas da recirculação de gases (EGR)

Motor da Cummins tem quatro cilindros, 150 cv e dispensa o sistema de Arla 32, sendo dotado apenas da recirculação de gases (EGR) (Divulgação/Volkswagen)

O motor do Express é um inédito Cummins a diesel de 2,8 litros, 150 cv e 36,7 mkgf. O câmbio é manual de seis marchas da Eaton, mas uma opção automatizada deverá ser ofertado a partir do ano que vem.

Câmbio manual de seis marchas é fornecido pela Eaton

Câmbio manual de seis marchas é fornecido pela Eaton (Divulgação/Volkswagen)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Muito bom este caminhão pra quem tem carteira de habilitação categoria B.

  2. Gustavo Takao Funada

    Está aí um chassis e motorização adequado para substituir a famigerada Kombi incendiária, só questão de carroçar adequadamente se a VW tiver inteligência.

  3. Alexandre Magri de Oliveira

    Grande sacada da vw caminhões, vai vender bem.

  4. Sergio Augusto

    So falta um motor decente para a VW Amarok virar camionete !!!

  5. Danilo Maria

    Onde compra quero um

  6. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Show! Vai emplacar com certeza para pequenas cargas em cidades e zona rural.