Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Vídeo: uma volta no Mercedes Atron, o último caminhão ‘bicudo’ do Brasil

A Mercedes lançou uma série especial de despedida limitada a apenas 12 unidades. Confira tudo sobre esse pesado que marcou história.

Por Isadora Carvalho Atualizado em 28 jan 2021, 22h04 - Publicado em 28 jan 2021, 17h01

Nossa reportagem foi até a fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo para conferir de perto todos os detalhes de um exemplar dos doze que foram fabricados na edição especial de despedida do Mercedes Atron 1635.

Clique aqui para assistir o vídeo

A motivação principal da “decadência” dos bicudos foi o fato do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) estabelecer limites de comprimento total considerando também o tamanho da cabine.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90

Portanto os “bicudos” saem perdendo em relação aos “cara chata” pelo fato de perderem capacidade de carga. Além disso, os pesados ‘cara-chata’ foram bem aceitos pelo mercado brasileiro, estimulando ainda mais a produção desses modelos.

Continua após a publicidade
Mercedes Atron 1635 branco em foto frontal 3/4
Honrar o legado e fazer o 1635 puxar suas 50 toneladas de capacidade ou guardá-lo na garagem? Eis o dilema dos futuros compradores Divulgação/Mercedes-Benz

Os ‘bicudos’ tornaram-se uma opção mais barata para serviços mais simples, mas fora da briga pelas rotas longas que compõem o grosso do transporte rodoviário. 

Um pouco de história

Ao todo foram 30 anos de fabricação. O Atron foi lançado em 1988, seguindo a nomenclatura padrão da Mercedes, sendo chamado de L-1618. Ou seja: tinha peso brutal total de aproximadamente 16 toneladas, motor com cerca de 180 cv de potência e estética da linha L.

São pouquíssimas unidades — literalmente
São pouquíssimas unidades — literalmente Divulgação/Mercedes-Benz

O Atron recebeu a atual nomenclatura em 2012, junto a um facelift, mudanças na motorização, maior controle de poluentes e interior renovado, com boleia mais confortável aos caminhoneiros.

  • As 12 unidades limitadas e especiais dos últimos Atron tiveram a venda aberta no dia 8 de dezembro e em poucos dias esgotaram. Mas, é possível ter o gostinho de andar nessa edição especial por meio do nosso vídeo.

    Os modelos custam R$ 340.000 e os felizes proprietários terão à disposição um 1635 4×2 com motor OM 457 LA, de 345 cv e 147,86 kgfm. O câmbio é o ZF 16S-1650, manual de 16 marchas.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Quatro Rodas capa 741

    Continua após a publicidade
    Publicidade