Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Tecladista da banda RPM possui seu próprio caminhão de bombeiro

Luiz Schiavon fez sucesso nos teclados da banda RPM. Mas só agora conquistou seu fruto proibido: o volante de um caminhão de bombeiro

Por Isadora Carvalho Atualizado em 9 nov 2016, 14h44 - Publicado em 6 nov 2015, 20h18
classicos

O músico Luiz Schiavon é um dos autores de vários hits do RPM, grupo que fundou ao lado de Paulo Ricardo. Aos 56 anos, o tecladista fez fama com a profissão. Mas comandar os arranjos de uma banda de rock famosa não fazia parte dos sonhos de infância desse paulistano.

Quando criança, Schiavon e seus colegas de 7 anos compartilhavam uma fascinação: caminhões de bombeiros. E seu sonho era dirigir um. “Acabei não seguindo a carreira de bombeiro, mas realizei meu sonho de menino há quatro anos. Felizmente, não só consegui dirigir um, como comprei meu próprio caminhão”, diz.

Schiavon adquiriu nos Estados Unidos um Mack 1973 – uma das fabricantes mais notórias do mundo -, mas por pouco a velha perdição não lhe escapou, pois o primeiro olhar meio de lado não foi do tecladista. “Um amigo meu estava em um leilão americano e me enviou uma foto. Eu e minha esposa ficamos tão animados que dei um lance na hora para não perder. E consegui arrematar meu sonho”, conta.

Foram necessários seis meses até que o Mack chegasse ao Brasil. E o desembarque veio acompanhado de outra surpresa: o veículo nunca havia apagado incêndio. Com apenas 10 000 milhas rodadas, cerca de 17 000 km, o pesado veio de um batalhão de bombeiros voluntários de uma cidade chamada Lake Silkworth. Apesar de ter passado décadas em serviço, jamais combateu incêndios. “O mais surpreendente é que, mesmo tendo mais de 40 anos, ele estava perfeito por fora. Tive que reformar apenas o interior”, conta o dono. Schiavon diz que sempre leva o grandalhão para passear. Um de seus prazeres é ouvir o ronco do motor 11-litros, seis-cilindros de 309 cv. A sirene não pode ser ligada em vias públicas, mas o músico mata a vontade ligando de vez em quando dentro de seu condomínio.

Continua após a publicidade

O tecladista também tem apreço por carros antigos e no seu dia a dia só anda com veículos, de preferência, com mais de 30 anos. Entre os seus preferidos para pegar estrada, estão as Mercedes 170 S 1953 e SL 1970.

LEIA MAIS:

– Brasileiro importa dos EUA caminhão com 600 cavalos para viajar

– O incrível Museu do Dodge no Brasil

– Conheça o colecionador que já acumula doze Opala SS

Continua após a publicidade

Publicidade