Clique e assine por apenas 8,90/mês

Segredo exclusivo: novo Hyundai Creta herdará desenho de picape

SUV vai adotar parte do visual antecipado pelo conceito Santa Cruz, mostrado no Salão de Detroit

Por Péricles Malheiros - Atualizado em 13 set 2018, 19h35 - Publicado em 5 set 2018, 10h57
Novo Creta: atualização para ficar com a cara dos novos SUVs Projeção/Du Oliveira/Quatro Rodas

Além do novo Hyundai HB20, outro best-seller da marca no Brasil, o Creta, também vai mudar. Como o SUV já chegou ao Brasil em sua versão reestilizada (as mudanças, pontuais, incluem novos para-choques e faróis de neblina), é possível que ele troque de geração por aqui sem passar por um facelift.

Sua chegada, no entanto, deve demorar um pouco mais. “No momento, o cronograma não está definido, mas se fala que ocorrerá entre o fim de 2020 e o começo de 2021”, diz uma de nossas fontes.

A picape Santa Cruz será baseada na plataforma do New Tucson e chega em breve
O conceito Santa Cruz antecipa a picape monobloco que a Hyundai prepara para brigar com a Volkswagen nos Estados Unidos Divulgação/Hyundai

De acordo com elas, o desenho deverá seguir os recursos de estilo da picape conceitual Santa Cruz, mostrada no Salão de Detroit de 2015. Não por acaso, a nova geração do SUV Santa Fe também tem traços da Santa Cruz.

“A grade e os faróis ganham relevância no desenho dos SUVs da marca. Ou seja, enquanto os modelos de passeio ficam com uma linha mais discreta, os utilitários assumem um estilo robusto”, diz o informante.

Continua após a publicidade
Hyundai Santa Fe 2019
Os ousados faróis duplos do Santa Fe não serão usados pelo Creta Divulgação/Hyundai

Uma diferença importante é que o novo Creta não terá os ousados faróis duplos que marcam não só o Santa Fe, como também o Kona, SUV compacto-médio vendido em outros mercados fora da América Latina.

Kona, já a venda, traz os traços do Intrado
Mais requintado e com outra proposta, o Kona não deve chegar ao Brasil tão cedo Divulgação/Hyundai

Mas são grandes as probabilidades do modelo estrear recursos de condução semi-autônoma, como assistente de permanência em faixa e frenagem automática de emergência. Este último item, inclusive, já compõe a nota do Euro NCAP. Por não ser obrigatório, no entanto, eles podem ficar restritos às versões mais caras, como ocorre no Citroën C4 Cactus.

Não temos muito detalhes sobre a motorização, mas a adoção de um 1.6 turbo no lugar do 2.0 aspirado atual não está descartada. O câmbio automático de seis marchas também poderá ser substituído pela caixa automatizada de dupla embreagem e sete marchas do Tucson.

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Publicidade