Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Segredo exclusivo: novo Hyundai Creta herdará desenho de picape

SUV vai adotar parte do visual antecipado pelo conceito Santa Cruz, mostrado no Salão de Detroit

Por Péricles Malheiros Atualizado em 13 set 2018, 19h35 - Publicado em 5 set 2018, 10h57
Novo Creta: atualização para ficar com a cara dos novos SUVs Projeção/Du Oliveira/Quatro Rodas

Além do novo Hyundai HB20, outro best-seller da marca no Brasil, o Creta, também vai mudar. Como o SUV já chegou ao Brasil em sua versão reestilizada (as mudanças, pontuais, incluem novos para-choques e faróis de neblina), é possível que ele troque de geração por aqui sem passar por um facelift.

Sua chegada, no entanto, deve demorar um pouco mais. “No momento, o cronograma não está definido, mas se fala que ocorrerá entre o fim de 2020 e o começo de 2021”, diz uma de nossas fontes.

A picape Santa Cruz será baseada na plataforma do New Tucson e chega em breve
O conceito Santa Cruz antecipa a picape monobloco que a Hyundai prepara para brigar com a Volkswagen nos Estados Unidos Divulgação/Hyundai

De acordo com elas, o desenho deverá seguir os recursos de estilo da picape conceitual Santa Cruz, mostrada no Salão de Detroit de 2015. Não por acaso, a nova geração do SUV Santa Fe também tem traços da Santa Cruz.

“A grade e os faróis ganham relevância no desenho dos SUVs da marca. Ou seja, enquanto os modelos de passeio ficam com uma linha mais discreta, os utilitários assumem um estilo robusto”, diz o informante.

Hyundai Santa Fe 2019
Os ousados faróis duplos do Santa Fe não serão usados pelo Creta Divulgação/Hyundai

Uma diferença importante é que o novo Creta não terá os ousados faróis duplos que marcam não só o Santa Fe, como também o Kona, SUV compacto-médio vendido em outros mercados fora da América Latina.

Kona, já a venda, traz os traços do Intrado
Mais requintado e com outra proposta, o Kona não deve chegar ao Brasil tão cedo Divulgação/Hyundai

Mas são grandes as probabilidades do modelo estrear recursos de condução semi-autônoma, como assistente de permanência em faixa e frenagem automática de emergência. Este último item, inclusive, já compõe a nota do Euro NCAP. Por não ser obrigatório, no entanto, eles podem ficar restritos às versões mais caras, como ocorre no Citroën C4 Cactus.

  • Não temos muito detalhes sobre a motorização, mas a adoção de um 1.6 turbo no lugar do 2.0 aspirado atual não está descartada. O câmbio automático de seis marchas também poderá ser substituído pela caixa automatizada de dupla embreagem e sete marchas do Tucson.

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade