Clique e assine por apenas 5,90/mês

Revelados: nova geração de Logan e Sandero chega em 2022 mais luxuosa

A Dacia, marca de baixo custo da Renault, revelou uma nova geração de Sandero, Logan e Stepway muito mais evoluída

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 7 set 2020, 11h15 - Publicado em 7 set 2020, 10h37
Faróis ganharam assinatura de leds em forma de Y Dacia/Divulgação

A Dacia, marca de baixo custo da Renault, divulgou de uma só vez imagens das novas gerações do sedã Logan, do hatch Sandero e do aventureiro Sandero Stepway.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

A intenção não era mostrar os compactos de todos os ângulos, mas dar uma prévia da apresentação oficial que acontecerá no próximo dia 29. Mesmo assim, já dá para ter uma boa ideia de como eles evoluíram e de como será a versão Renault que chegará ao Brasil em 2022.

Novo Sandero está mais refinado e aerodinâmico Dacia/Divulgação

Nas palavras da Dacia, trata-se da terceira geração dos modelos. Mas, na prática, está é a primeira vez que Logan e Sandero mudam de plataforma. Sai a B0, lançada pelo Logan em 2004, e entra a CMF-B, do Renault Clio europeu.

É a primeira vez, por exemplo, que o formato das portas do Sandero muda. Agora o arco das portas deixa de fazer parte delas, passando a ter moldura dos vidros mais fina, dignas de projetos mais refinados e não de um carro de baixo custo.

Traseira do hatch lembra o VW Polo Dacia/Divulgação

A fabricante de origem romena também antecipa que houve melhora na aerodinâmica, graças ao para-brisa mais inclinado e a linha do teto mais fluida, mas o fato de a antena ter sido deslocada para trás também resultou em ganho.

Outro detalhe é que o Sandero parece estar mais baixo, assentado, mesmo que sua altura livre do solo não tenha sido modificada. O motivo seria as bitolas mais largas.

Stepway tem capô inspirado no Duster Dacia/Divulgação

O Sandero Stepway, sim, tem suspensão elevada. Ele ainda passa a ter capô exclusivo, mais alto e inspirado no capô do Duster, para ficar mais próximo do conceito de um SUV. Grade e elementos plásticos no para-choque, grade exclusiva e as molduras das caixas de roda o distinguem de um Sandero normal.

Continua após a publicidade
Logan aparenta ter as mesmas lanternas do Sandero Dacia/Divulgação

As caixas de roda bem marcadas e com vincos que têm continuidade nos faróis e lanternas são traços marcantes desta nova geração, até mesmo no Logan, que continua com portas traseiras exclusivas. Sua frente é idêntica a do Sandero, mas a traseira não foi revelada, ainda que aparente ter as mesmas lanternas do hatch.

Por sinal, a traseira do novo Sandero foi a única revelada e é difícil não ver uma relação com o VW Polo no formato das lanternas e em seus elementos luminosos de leds. Além disso, as peças não tem continuidade na tampa do porta-malas.

O interior também não foi mostrado, mas é possível notar que a central multimídia ficará destacada no topo do painel. Além disso, a presença de radar nos para-choques indica a presença de piloto automático adaptativo (ACC) pelo menos entre os equipamentos opcionais na Europa.

Dacia/Divulgação

A despeito da revelação no dia 29 de setembro, as novas gerações de Sandero e Logan só estreiam no Brasil em 2022 e já com o estilo da Renault devidamente adaptado a esta nova carroceria.

Na fábrica da Renault em São José dos Pinhais (PR) a nova família é representada por dois codinomes: Projetos XJF e XJI.

Nova família de compactos será lançada no Brasil em 2022 Dacia/Divulgação

Na mecânica, nova família de Sandero e Logan deve manter nas versões de entrada o motor 1.0 SCe naturalmente aspirado 12V flex de 82 cv. A divisão indiana da Renault ainda trabalha em uma versão turbo deste motor, que seria chamada de 1.0 TCe e substituiria o atual motor 1.6 16V de origem Nissan.

Projeção exclusiva mostra como será a versão Renault do novo Sandero Stepway Renato Aspromonte/Quatro Rodas

O Sandero R.S. não será esquecido. A ele caberá o motor 1.3 TCe turbo flex com potência na casa dos 170 cv e injeção direta de combustível. O novo motor será ligado aos câmbios manual e ao automático do tipo CVT – conjunto que estreia no ano que vem com o novo Captur 2021.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade