Clique e assine por apenas 8,90/mês

Novo Range Rover Sport vai aos extremos com versões híbrida e SVR

De um lado, um amigo do meio ambiente com recarga feita na tomada de casa; de outro, um superesportivo ainda mais potente com 575 cv

Por Guilherme Fontana - Atualizado em 6 out 2017, 12h52 - Publicado em 6 out 2017, 12h51
Range Rover Sport SVR está ainda mais potente: 575 cv; iluminação dos faróis é inspirada no Velar Divulgação/Land Rover

Mostrando que o tempo do Evoque já passou, agora é o Velar quem dita as novas regras da Land Rover. Prova disso é a reestilização do Range Rover Sport, que ganha reestilização de meia vida com inspiração no modelo intermediário da marca.

Mais do que uma simples mudança visual e tecnológica, porém, o SUV estreia uma inédita versão híbrida e ganha mais potência na configuração SVR.

A grande novidade da linha 2018 do grandalhão é a versão híbrida plug-in P400e, que combina um motor a combustão e um elétrico, alimentado por bateria recarregada na tomada.

O primeiro é um 2.0 turbo a gasolina da família Ingenium com 300 cv, enquanto o segundo (instalado no centro do veículo, junto da transmissão) desenvolve 116 cv, resultando na potência combinada de 404 cv. De acordo com a Land Rover, o conjunto leva o SUV de 0 a 100 km/h em 6,7 segundos. Nada mal.

Além das saídas de escape retangulares, traseira tem lanternas com interior redesenhado Divulgação/Land Rover

Assim como no Volvo XC90 híbrido, a alimentação do motor elétrico do Range Rover Sport P400e vem das tomadas, que podem estar em pontos públicos de recarga ou na casa do proprietário. O tempo da recarga depende da corrente e do tipo de cabo utilizado ─ a marca oferece três tipos. No pior dos casos, é possível recarregar a bateria em 7,5 horas. O tempo cai para duas horas em pontos de alta potência.

Para monitorar o estado da recarga, há contornos de luz no bocal da tomada, que fica escondido na grade dianteira, próximo ao farol, além da função no aplicativo InControl, que aponta ainda possíveis erros no processo e uma retirada forçada da tomada.

Versão híbrida plug-in P400e é inédita e pode rodar até 51 km no modo totalmente elétrico Divulgação/Land Rover

São dois modos de condução: híbrido e totalmente elétrico. No primeiro, ambos os motores trabalham em conjunto ou sozinhos de acordo com a demanda, auxiliada por satélites para detectar as situações seguintes. No segundo, é possível chegar a até 137 km/h, mas a autonomia de 51 km é curta.

Continua após a publicidade

No outro extremo, o superesportivo Range Rover Sport SVR está ainda mais potente. O poderoso V8 5.0 agora entrega 575 cv (mesma potência do F-Type SVR), contra os 550 do modelo anterior, e 71,4 mkgf de torque. Segundo a fabricante, o SUV vai de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos com o novo conjunto. Todos os Range Rover Sport são equipados com tração integral.

Entrada para recarga fica na grade dianteira e tem luzes que indicam o andamento do processo Divulgação/Land Rover

Esteticamente, as alterações externas do Range Rover Sport se concentram em faróis e lanternas, que adotaram iluminação semelhante à vista no Range Rover Velar. Nos faróis full led de iluminação adaptativa, as linhas da assinatura estão mais angulosa s e se estendem em direção às laterais, enquanto as lanternas agora têm as luzes de posição sublinhando a peça e diversos pontos de leds para luzes de freio, seta e ré.

Os para-choques ficaram mais esportivos em todas as versões, com aberturas maiores (que auxiliam na refrigeração do motor) e detalhes em preto brilhante, além de saídas de escape com formato retangular. As rodas de 21 e 22 polegadas também ganham novos desenhos e acabamentos.

No caso da versão SVR, o capô adota ainda duas saídas de ar e a opção de faixa central, enquanto o para-choque traseiro é todo pintado na cor da carroceria.

Interior do Range Rover Sport agora tem quadro de instrumentos digital e duas telas centrais, como no Velar Divulgação/Land Rover

Por dentro, mais inspirações no Velar. O Range Rover Sport passa a ter sua funções dispostas em duas telas centrais de 10 polegadas cada uma. A superior é a tradicional central multimídia, enquanto a inferior mostra as informações de ar-condicionado e do sistema de tração.

Isso sem falar no quadro de instrumentos digital, que além dos mostradores de velocidade e conta-giros, repete alguns dados da central multimídia para comodidade do motorista.

Telas de alta resolução e ar-condicionado independente para quem vai atrás Divulgação/Land Rover

Ainda no interior, os bancos, apesar dos novos revestimentos herdados do Range Rover Vogue, estão mais finos e há dez opções de cores para a iluminação. A cortina do teto solar panorâmico pode ser aberta e fechada apenas com gestos ─ basta passar a mão próximo ao teto no sentido do comando desejado.

Com os 25 cv extras, versão mais potente vai de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos, segundo a marca Divulgação/Land Rover
Continua após a publicidade
Publicidade