Quatro histórias de paixão pelo Fusca

Além de quilômetros, carros contam histórias. Shell Helix vai apresentar algumas aqui, em QUATRO RODAS

Fusca é caso de amor antigo – atire a primeira pedra quem nunca andou em um!

No início, na década de 1950, apenas 30 baratinhas desembarcaram no Brasil, importadas da Alemanha. Porém, logo o modelo começou a ser produzido nacionalmente e se tornou um dos carros mais populares e queridos do país.

Seja preto, bege, azul ou verde, casamento, amizade e até traição, um Fusca conta muito mais do que quilômetros, conta histórias.

Motor superlativo

O primeiro modelo a rodar no Brasil contava com motor de 1 200 cilindradas. Em 1970, foi lançado o Sedan 1500, que, mais potente que o anterior, ficou conhecido como Fuscão. Quatro anos depois, foi lançado o 1600-S, ou Super Fuscão. Seu motor de dupla carburação, 52 cavalos e 1 600 cilindradas fez valer o apelido cheio de superlativos.

Sucesso nas rádios: Almir Rogério narrou a história de uma traição ocorrida dentro de um Fuscão preto

Sucesso nas rádios: Almir Rogério narrou a história de uma traição ocorrida dentro de um Fuscão preto (/)

Sucesso nas rádios: Almir Rogério narrou a história de uma traição ocorrida dentro de um Fuscão preto

Sedan… Quem?

“Fuscão preto, você é feito de aço…” Graças ao sucesso do hit dos anos 1980 na voz de Almir Rogério, o Fuscão preto entrou para a história da música brasileira. Na mesma época, a Volkswagen decidiu nomear oficialmente o modelo como Fusca. Sim, antes era só apelido. O nome original era VW Sedan – mas quase ninguém no mundo o chama assim. Na maioria dos países, o carro é conhecido como Besouro ou Baratinha, por conta do formato da carroceria.

Ícone pop

No mundo, o Fusca também é figurinha repetida na cultura popular. A participação mais conhecida do modelo em um filme, claro, é na pele de Herbie. Em Se Meu Fusca Falasse, participou de corridas automobilísticas, e a pintura branca com faixas coloridas se tornou icônica.

Itamar Franco, um notório entusiasta das Baratinhas

Itamar Franco, um notório entusiasta das Baratinhas (Rogério Montenegro/Quatro Rodas)

Itamar Franco, um notório entusiasta das Baratinhas

O retorno

Por 24 anos, o Fusca foi o carro mais vendido do país. Porém, o modelo não acompanhou a evolução tecnológica dos concorrentes e as vendas foram encerradas em 1986. Foi preciso um pedido do então presidente Itamar Franco para que a produção se reiniciasse em 1993 – e, mesmo assim, três anos depois, a baratinha saiu de linha de vez. Mas a verdade é que o Fusca nunca saiu das ruas e até hoje é visto rodando nas cidades. É também o xodó de inúmeros clubes de colecionadores. Todo ano, acontece, no Autódromo de Interlagos, o maior encontro de Fuscas do país, organizado pelo Fusca Clube do Brasil.

Se seu carro já fez muito por você, retribua com Shell Helix

Se seu carro já fez muito por você, retribua com Shell Helix (/)

Se seu carro já fez muito por você, retribua com Shell Helix

Shell Helix

Cada detalhe importa na manutenção de um carro clássico como o Fusca. Pintura brilhante, peças em ordem, interior impecável. E o motor, claro, é a joia da coroa. Shell Helix conta com uma linha completa e inovadora para todos os tipos de motores, com produtos modernos para atender às especificações de modelos atuais e antigos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s