Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Por que os preços dos carros não param de subir no Brasil?

Crise sanitária, moeda desvalorizada, falta de insumos, tudo isso pesa no bolso do consumidor

Por Gabriel Monteiro Atualizado em 15 abr 2021, 11h15 - Publicado em 15 abr 2021, 04h00
Aumento do preço dos carros
Acervo/Quatro Rodas

Atualizar nossa tabela de preços tornou-se uma tarefa muito trabalhosa. Com reajustes mensais, o estagiário e, mais importante, o consumidor vêm sofrendo muito com os impactos negativos da pandemia.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Um estudo da KBB aponta uma média de 10% de aumento no preço dos automóveis de janeiro a dezembro do ano passado. Esse número fica ainda maior para alguns modelos como o Chevrolet Onix (11,8%), Renault Kwid (18,2%) e o compacto Volkswagen Gol (17,7%), que subiu mais 6,8% em 2021 com a chegada da nova linha.

O presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, atribuiu esse fenômeno a três principais fatores: desvalorização cambial, aumento do preço e falta de insumos, e a inesperada alta da carga tributária, principalmente para o estado de São Paulo.

Em apenas um ano, o dólar subiu cerca de 22% e impacta não somente os veículos importados como toda a linha de produção nacional que utiliza muitos componentes dolarizados.

Continua após a publicidade
  • Um dos materiais mais utilizados, o aço, subiu vertiginosamente, e, só neste ano, teve seu preço acrescido em mais 30%, com previsão para mais aumentos no segundo semestre.

    Os semicondutores, essenciais para componentes eletrônicos, já não são mais encontrados e tiveram aumentos de até 250%. A Fiat emitiu um comunicado avisando a suspensão da fabricação de Uno e Doblò por falta de insumos, o que explica também a fila de espera da Strada.

    Complementando a longa lista de reveses, há o aumento progressivo de ICMS no estado de São Paulo, que deve chegar a 22% em abril. As fábricas agora divulgam tabelas de preços exclusivas para o estado.

    Segundo o consultor da ADK Automotive, Paulo Garbossa, a perspectiva depende do que será feito com a economia. “Nós vemos que os preço estão aumentando e vemos que não tem o que fazer.” Por enquanto, o que nos resta é esperar.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    CAPA 743
    Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade