Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Picapona RAM 1500 dá origem a sedã bizarro com carroceria de plástico

Serão feitas apenas 10 unidades do modelo, que oferece poltrona para passageiros, tablets e até relógio de ouro que pode ser usado como decoração

Por Gabriel Aguiar Atualizado em 6 nov 2020, 14h10 - Publicado em 6 nov 2020, 14h09
Modelo tem plataforma emprestada da picape Ram 1500 Aznom/Divulgação

O novo Aznom Palladium tem a receita ideal para concorrer ao título de carro mais bizarro já feito: base de RAM 1500, carroceria sedã e visual que parece inspirado nos Rolls-Royce.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 5,90

Não bastasse essa combinação, a “limusine gigante” tem carroceria feita de plástico, capô e teto com fibra de carbono, e peças de alumínio para manter o peso em 2.650 kg.

Segundo a marca, o modelo chega aos 100 km/h em 4,5 s graças ao motor V8 5.7 biturbo de 710 cv e 96,9 kgfm. Além disso, há tração integral emprestado da picape na versão topo de linha TRX.

Carroceria é fabricada com plástico, fibra de carbono e alumínio Aznom/Divulgação

E a cabine segue a mesma receita extravagante, com revestimento de couro, madeira e cromados, além de uma grande poltrona na segunda fileira para até dois passageiros.

Serão feitas apenas 10 unidades do modelo pela empresa italiana Aznom/Divulgação

O Palladium também recebeu som da grife Harman Kardon, dois tablets Microsoft Surface Pro X e um relógio com ouro e paládio que pode ser retirado para servir como peça de decoração.

Interior mantém as linhas da picape, mas tem novos revestimentos Aznom/Divulgação
  • Os italianos da Aznom só farão dez unidades do modelo, que poderão ser personalizadas pelos clientes – que devem ser, de acordo com a empresa, de China, EUA, Rússia ou de países do Oriente Médio.

    Segunda fileira tem poltrona, tablets e espaço para taças Aznom/Divulgação

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade