Clique e assine por apenas 8,90/mês

Exclusivo: Ram 1500 tem chegada suspensa com centenas de pedidos em espera

FCA queria lançar picape na Festa de Barretos e já há clientes na fila de compra, mas plano de importação está congelado por causa do dólar

Por Leonardo Felix e Waldez Amorim - Atualizado em 12 jun 2020, 19h02 - Publicado em 12 jun 2020, 14h08
Ram 1500 Divulgação/Ram

Deveríamos estar nos preparando para a chegada da Ram 1500, picape grande que consta no radar da FCA no Brasil pelo menos desde o início do ano passado.

QUATRO RODAS apurou que a FCA estava pensando em lançar o modelo na época da Festa do Peão de Barretos (SP), programada para acontecer no fim de agosto. Ele seria, inclusive, exibido no evento.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Nas lojas ele chegaria efetivamente até setembro para se posicionar entre os utilitários de porte médio – como Toyota Hilux, Chevrolet S10, Ford Ranger e VW Amarok – e a grandalhona 2500, que exige CNH tipo C.

Continua após a publicidade

Sua grande vantagem em relação à prima 2500, aliás, estaria justamente no fato de permitir o uso de habilitação tipo B, para carros de passeio, além dos preços um pouco mais módicos.

Sua importação, via Estados Unidos, estava prevista para ocorrer nas versões Laramie (mais luxuosa) e Rebel (de apelo aventureiro), conforme antecipado pelo parceiro Autos Segredos.

Os motores seriam V8 a gasolina de 395 cv e 56,7 kgfm e V6 turbodiesel com sistema híbrido leve de 264 cv e 66,3 kgfm, com preços na faixa de de R$ 220.000 a R$ 260.000.

Continua após a publicidade
Motor V6 3.0 turbodiesel já era usado na geração anterior da 1500, mas recebeu atualizações Divulgação/Ram

Por que estamos colocando tudo isso no futuro do pretérito?

Porque a pandemia do coronavírus chegou, a crise política e econômica afetou fortemente o país, o dólar bateu a porta dos R$ 6 e todos os planos foram congelados, conforme apuramos junto à rede concessionária.

Agora, a 1500 deve aportar no Brasil somente no último trimestre deste ano. Porém, enquanto a situação do país não se mostrar menos nebulosa, o lançamento deve seguir suspenso e o atraso pode ser maior.

“A FCA simplesmente parou de mencionar a 1500 [em seu cronograma de novos produtos]”, relatou um informante.

Continua após a publicidade

Lojas de Mato Grosso do Sul e Paraná já teriam uma fila de mais de uma centena de pedidos cada pela picape. Os vendedores estão sem saber o que dizer aos potenciais e ansiosos compradores.

1500 será importada nas configurações V8 a gasolina ou V6 a diesel, com cabine dupla sem ser estendida Divulgação/Ram

Outra fonte afirma que todo o planejamento de novidades do grupo em relação à rede CJDR (importados de Chrysler, Jeep, Dodge e Ram) para 2020 se encerra no fim de outubro.

Ou seja: se até lá a 1500 não tiver sido lançada, é bem possível que fique para 2021.

Como a previsão é de que até o fim do ano o dólar volte a ficar abaixo de R$ 5, fontes mais otimistas apostam mesmo em um lançamento no último trimestre.

Continua após a publicidade

Mas uma coisa é certa: se antes sua faixa de preços ficaria no miolo dos R$ 200.000, agora ela dificilmente será vendida por muito menos do que R$ 300.000.

Procurada, a FCA confirmou que, “por causa da pandemia do coronavírus e da alta do dólar, vários planos entraram em stand by, e a 1500 está entre eles”.

O fabricante também afirma que não desistiu do plano de importar o modelo ao país e já estuda um novo prazo para lançá-lo.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade

Publicidade