Clique e assine por apenas 8,90/mês

Top ten: os 10 carros com volantes mais bizarros e criativos já lançados

Volantes projetados com estilo e funcionalidades na contramão do senso comum

Por Da Redação - Atualizado em 23 jul 2020, 01h57 - Publicado em 23 jul 2020, 07h00

Joia rara

Reprodução/Internet

Neste De Tomaso P72, um superesportivo exageradamente luxuoso, o volante se inspirou na alta-relojoaria e foi confeccionado com materiais nobres como couro, fibra de carbono e ouro rosa. O número 72, que faz parte do nome, indica a quantidade de exemplares produzidos.

Central de dados

Divulgação/Pagani

Além de deixar diversos comandos à mão do motorista, o volante do Pagani Zonda R incorpora o conta-giros do carro: um bólido equipado com o motor AMG V12 6.0 de 750 cv de potência a 8.500 rpm. Esta versão teve apenas 15 unidades fabricadas.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Conceito curioso

Acervo/Quatro Rodas

A Citroën ousou com o conceito do cubo fixo no cockpit da linha C4, em 2006. A ideia de aproximar os controles das mãos foi boa, mas o motorista precisava desviar o olhar para visualizar a posição deles. Era curioso ver o aro girar com o cubo parado.

Continua após a publicidade

Mesma direção

Reprodução/Internet

Nos anos 50, o Citroën DS foi inovador não apenas no design da carroceria e na suspensão hidropneumática, seu volante era formado pelo aro e apenas um raio que surgia no painel como continuação da coluna, facilitando a visualização dos instrumentos.

Manetinho

Divulgação/Ferrari

Como nos carros da Fórmula 1, o volante da Ferrari F430, chegou equipado com o chamado manettino, um seletor dos modos de condução que ajusta as respostas de motor, transmissão e suspensão, bem como dos controles eletrônicos de chassi.

Acesso rápido

Reprodução/Internet

Para facilitar o acesso à cabine do lendário 300 SL Coupe, além das famosas portas em forma de asa de gaivota, a Mercedes desenvolveu um sistema de articulação no volante que permitia deslocar o aro para a passagem das pernas do motorista.

Preso as origens

Reprodução/Internet

A holandesa Spyker foi buscar inspiração nos aviões que fabricou no início do século 20, quando também já produzia automóveis. Bastante minimalista, o volante de seus carros atuais possuem quatro raios, que remetem às pás das hélices dos aviões.

Continua após a publicidade

Tudo na mão

Divulgação/Aston Martin

O volante do Aston Martin Vulcan tem forma trapezoidal, com a parte inferior achatada e a superior interrompida, e traz desde o botão de partida até o acionamento do limpador do para-brisa, passando pelos faróis, cruise control e ajustes do ABS e do ESP.

Menu completo

Reprodução/BMW

A BMW M Performance lançou um volante com aro de fibra de carbono e Alcantara com shift-light e uma pequena tela com dados como marcha em uso, velocidade, aceleração (em G), cronômetro, tempos de volta e temperatura do óleo, entre outros.

Allegro ma non troppo

Reprodução/Internet
Reprodução/Internet

Outro projeto preocupado com o conforto, o Austin Allegro 1973 adotou uma direção achatada, quase quadrada, que permitia uma distância maior entre ela e as pernas do condutor. Mas o ineditismo não vingou e deixou de ser oferecido no ano seguinte.

Publicidade