Clique e assine por apenas 8,90/mês

Picapes e utilitários com melhor valor de revenda no Brasil em 2020

Hilux e Saveiro dominam a primeira edição do Prêmio Melhor Valor de Revenda, criado em parceria com a KBB Brasil

Por da Redação - Atualizado em 17 ago 2020, 23h53 - Publicado em 3 ago 2020, 07h00

Consideramos somente os carros ano/modelo 2019/2019. Isto é: veículos fabricados em 2019 da linha 2019. Ficaram de fora os que foram descontinuados ou trocaram de geração durante o período analisado.

Para chegarmos às melhores opções, levantamos os preços dos modelos em dois momentos: em janeiro de 2019, tomando como base os valores sugeridos pelos fabricantes, e 12 meses depois (janeiro de 2020), tendo como referência os preços que os carros alcançaram na hora da revenda.

Esse conceito de depreciação adotado pela KBB calcula o valor residual do veículo, isto é, o quanto o modelo custava em uma data específica no passado e o quanto ele custa no presente (ou em uma data qualquer tempos depois da data inicial considerada).

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Esses preços foram levantados por meio do sistema de coleta e processamento de mais de 800 mil dados de mercado realizado pela KBB Brasil. Segundo a empresa, as lojas absorvem a maior parte da oferta dos particulares.

Para refletir esta realidade, utilizamos como base os preços de troca fornecidos pela empresa, que servem de referência para esse tipo de transação da venda de um carro particular para um lojista. Dessa forma, podemos afirmar que todos os carros considerados passaram pelo mesmo crivo.

Os percentuais de depreciação de cada veículo foram obtidos pelas médias aritméticas das depreciações verificadas pelos modelos em suas diferentes versões. Ou seja: o resultado da soma das depreciações de cada versão do modelo dividido pelo número de versões.

Picape compacta

A Saveiro também está perto de completar a quarta década de mercado. O veículo, derivado do VW Gol, conta com quatro versões: Robust CS, Robust CD e Trendline CS com motor 1.6
de 104, e Cross com motor 1.6 de 120 cv.

A variante Cross registrou queda de R$ 84.580 para R$ 59.043, no período de 12 meses analisado.

A picapinha teve o menor índice de desvalorização da categoria com 33% de queda, sendo seguida por Renault Oroch (-39%) e Fiat Strada (-41%).

Picape média ou diesel

Lançada em 1968, a Hilux chegou ao Brasil apenas em 1992. Desde sua estreia, o veículo tem figurado entre os mais vendidos do segmento. Com dez versões, a picape foi avaliada com o menor índice de desvalorização da categoria registrando 32% de queda em um ano.

A opção SR 4×4 2.0 diesel automática, por exemplo, que valia R$ 164.190, em janeiro de 2019, foi cotada em R$ 118.656 um ano depois.

A picape da marca japonesa foi seguida por Volkswagen Amarok (-34%) e Chevrolet S10 (-35%).

Picape compacta comercial

Acervo/Quatro Rodas

A VW Saveiro Robust não tem tanto requinte, mas oferece confiança e robustez para o trabalho. Com o melhor desempenho do estudo, a picape possui opções de cabine simples e estendida, é equipada com o velho 1.6 de 104 cv e tem capacidade de carga de 712 kg. A versão Robust CS custava R$ 52.360 em janeiro de 2019 e R$ 30.572 em janeiro de 2020.

A VW Saveiro também liderou entre as picapes compactas comerciais saveiro com 40% de desvalorização no período de um ano. Na sequência, Fiat Strada com 43% de perda e Chevrolet Montana com 45% completaram o pódio.

Picape média comercial

Acervo/Quatro Rodas

Não foi apenas o modelo utilitário que saiu vitorioso nessa, a Hilux comercial também foi indicada como a picape média de menor depreciação do segmento. A versão cabine simples com motor 2.8 diesel que saía por R$ 128.390, em janeiro de 2019, entrou 2020 custando R$ 97.294. A picape ainda possui a versão cabine e chassi, com o mesmo propulsor.

Assim como a VW Saveiro, a Toyota Hilux foi líder em duas categorias. O modelo pódio da categoria foi: Hilux (-24%) VW Amarok (-34%) e Chevrolet S10 (-37%).

Furgão compacto comercial

Acervo/Quatro Rodas

Com motor 1.6 turbodiesel e 115 cv, o Jumpy custava R$ 93.990 em janeiro de 2019 e ficou em R$ 69.395 em janeiro de 2020.

Continua após a publicidade

O furgão da Citroën registrou o melhor desempenho da categoria na avaliação com 29% de desvalorização no período de um ano. Em seguida vem Fiat Ducato com 34% de perda e Peugeot Expert com 37%.

Furgão comercial

Divulgação/Fiat

O Ducato Furgão 2.3 diesel de 130 cv valia R$ 129.990 em janeiro de 2019 e passou para R$ 87.400 em janeiro de 2020.

O veículo da Fiat foi o líder da categoria com 34% de depreciação, sendo seguido por Iveco Daily (-38%) e Renault Master (-41%).

Van comercial

Iveco/Divulgação

Entre as vans comerciais, o Daily Minibus 50C17 Turismo CS da Iveco foi o que teve melhor desempenho na avaliação com 31% de desvalorização.

Com motor diesel 3.0 de 170 cv, a versão única foi avaliada em R$ 196.000 em janeiro de 2019 e era negociada por R$ 135.419 12 meses depois.

O veículo é construído sobre chassi e possui duas versões, que pode comportar 15 ou 18 passageiros.

Na sequência, vem Fiat Ducato com 32% de perda em um ano e Renault Master com 51%.

Sobre o Prêmio Melhor Valor de Revenda

Se desvalorização fosse coisa boa, não começaria com “des”, prefixo que indica negação, oposição. Você só percebe o quanto ele se Desvalorizou na hora de vender ou trocar seu carro. Um jeito de aceitar a realidade é por na conta os benefícios da posse do carro: o prazer que o veículo proporcionou e a serventia que teve.

Mas o esforço de autoconvencimento, nessa hora, não é igual para todos, pois alguns carros têm maior valor de revenda. E levar isso em consideração na hora da compra pode ajudar bastante no momento da venda.

Pensando nisso, QUATRO RODAS se juntou à Kelley Blue Book Brasil, empresa de pesquisas especializada na avaliação de automóveis, e criou o Prêmio Melhor Valor de Revenda 2020, que aponta os carros que mais preservam o investimento do proprietário.

O Prêmio Melhor Valor de Revenda 2020 indica os melhores do último ano, ou seja, nesta edição, os carros de 2019. Consideramos somente os carros ano/modelo 2019/2019. Isto é: veículos fabricados em 2019 da linha 2019.

Ficaram de fora os que foram descontinuados ou trocaram de geração durante o período analisado. Esse é o caso de Chevrolet Onix, Hyundai HB20 e Toyota Corolla, entre os automóveis; e da Mercedes-Benz Sprinter, entre os comerciais.

Ao todo, pesquisamos 122 modelos à venda no Brasil, nas diferentes versões ofertadas. Para chegarmos às melhores opções, levantamos os preços dos modelos em dois momentos: em janeiro de 2019, tomando como base os valores sugeridos pelos fabricantes, e 12 meses depois (janeiro de 2020), tendo como referência os preços que os carros alcançaram na hora da revenda.

Esse conceito de depreciação adotado pela KBB calcula o valor residual do veículo, isto é, o quanto o modelo custava em uma data específica no passado e o quanto ele custa no presente (ou em uma data qualquer tempos depois da data inicial considerada).

Esses preços foram levantados por meio do sistema de coleta e processamento de mais de 800 mil dados de mercado realizado pela KBB Brasil. Segundo a empresa, as lojas absorvem a maior parte da oferta dos particulares.

Para refletir esta realidade, utilizamos como base os preços de troca fornecidos pela empresa, que servem de referência para esse tipo de transação da venda de um carro particular para um lojista.

Este cálculo já leva em conta os critérios de negociação mais objetivos, sistemáticos e regulares que são adotados pelos profissionais. Dessa forma, podemos afirmar que todos os carros considerados passaram pelo mesmo crivo.

Os percentuais de depreciação de cada veículo foram obtidos pelas médias aritméticas das depreciações verificadas pelos modelos em suas diferentes versões. Ou seja: o resultado da soma das depreciações de cada versão do modelo dividido pelo número de versões.

Apontamos os vencedores de 22 categorias. Veja a seguir se o carro que você tem na garagem foi contemplado. Sem problemas, se não foi. Quando comprou o modelo, não existia este prêmio.

Se está pensando em trocar nos próximos meses, porém, fique atento. A seguir, apresentamos os resultados, com o primeiro, o segundo e o terceiro colocado em cada categoria, com a respectiva variação de preços e, no caso do vencedor, a cotação em reais de uma versão específica, em janeiro de 2019 e janeiro de 2020.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de quatro rodas? clique aqui e tenha o acesso digital.

Fernando Pires/Quatro Rodas
Continua após a publicidade
Publicidade