Clique e assine por apenas 8,90/mês

Nova geração do Volkswagen Golf terá sistema híbrido de 48 volts

Hatch médio vai trocar motor de partida e alternador por um motor elétrico que ajuda a economizar combustível

Por Henrique Rodriguez - 17 Maio 2019, 20h31
Sistema híbrido parcial unifica motor de partida e alternador Divulgação/Divulgação

Ao que tudo indica, a oitava geração do Volkswagen Golf não terá uma grande revolução a nível estrutural.

Contudo, levará uma série de tecnologias para o segmento dos hatches médios europeu. Uma delas é o sistema híbrido parcial alimentado associado a um sistema elétrico de 48 volts.

A grande sacada de um sistema híbrido parcial está em usar um motor elétrico que acumula as funções de motor de partida e alternador, e que ainda pode ajudar a movimentar o carro.

Também cabe a ele, naturalmente, recuperar a energia liberada nas frenagens e desacelerações.

Continua após a publicidade
Conjunto resumido: motor, conjunto de polias, correia, bateria e conversor de corrente Divulgação/Volkswagen

Quem teve a primazia com este sistema foram os Audi mais sofisticados, como o novo A6. No Golf, porém, este conjunto será usado para assistir o já eficiente 1.5 TSI Evo com seu torque.

O motor de arranque/gerador é conectado a uma polia ligada ao virabrequim por uma correia – o que explica o nome BSG, de Belt-integrated Starter Generator. A intenção é dividir um esforço que o motor a gasolina faria sozinho.

Mas também é capaz de manter o carro em uma velocidade de cruzeiro, quando o 1.5 é desligado. Outra vantagem é tornar o funcionamento do sistema start-stop mais suave.

Esboço da nova geração do Golf Divulgação/Volkswagen

Todo esse sistema opera com tensão de 48 volts. A vantagem está em poder usar cabos mais finos – e leves – do que aqueles que seriam necessários caso operasse em 12 volts como um sistema de partida normal.

Continua após a publicidade

Também permite que uma alta quantidade de energia seja liberada ou recuperada mais rapidamente.

Mesmo assim, o Golf continuará com uma bateria de 12 volts, alojada no porta-malas, que será responsável por alimentar os sistemas periféricos do carro.

A bateria de 48 volts, de íons de lítio, ficará sob o assento do carona e alimentará a bateria convencional por meio de um conversor.

O motor 1.5 TSI Evo têm potências até 150 cv e tem uma série de estratégias para poupar combustível, como a desconexão de parte dos cilindros, turbo de geometria variável e seu funcionamento ser em ciclo Miller em vez de Otto.

Continua após a publicidade

Por isso. a redução de consumo na ordem de 0,3 l por 100 km anunciada pela Volkswagen para a versão parcialmente híbrida é um número a ser comemorado.

Atualizado como seu smartphone

Outra inovação da oitava geração do Volkswagen Golf será a atualização de seus softwares remotamente, pela internet.

A Tesla já usa isso em seus carros e funciona como em smartphones: atualizações periódicas são oferecidas para corrigir falhas, tornar o sistema mais ágil e até mesmo adicionar novas funções ou mesmo vender comodidades.

Aparato eletrônico poderá ser atualizado via internet Divulgação/Volkswagen

Não à toa, a Volkswagen já disse que o desenvolvimento dos programas embarcados estão sendo o grande desafio do desenvolvimento do novo Golf. Flagras recentes mostram, inclusive, que o carro em si está praticamente pronto.

Publicidade