Clique e assine por apenas 8,90/mês

Mercedes estuda trocar motores Renault por Volvo, mas com pitada chinesa

União entre Daimler e Geely – donos das marcas alemã e sueca, respectivamente – tem por objetivo diminuir custos de desenvolvimento

Por Renan Bandeira - 10 jan 2020, 15h37
Arte/Quatro Rodas

Os grupos Daimler e Geely – proprietários de Mercedes-Benz e Volvo, respectivamente – podem se unir para desenvolver e reduzir custos de novas gerações de motores a combustão.

Ainda não há muitas informações sobre a possível aliança, mas segundo a agência Reuters, um porta-voz da Geely afirmou que tudo está se “desenvolvendo de maneira positiva”. O grupo chinês detém 10% de participação nas ações da Daimler.

Em outubro do ano passado, a Volvo havia informado que fundiria seus ativos com a chinesa para desenvolver e fabricar motores, criando uma divisão interna com potencial para criar ainda motores híbridos e também de combustão de próxima geração.

Segundo o site alemão Automobilwoche, essa nova divisão iniciará suas operações até o final do primeiro trimestre deste ano, o que daria tempo hábil para que o grupo alemão se integrasse à nova estratégia.

Continua após a publicidade

Além disso, poderia ser um ponto de partida para uma parceria referente ao desenvolvimento de trens de força elétrica, tendo em vista que Geely e Daimler já tenham declarado o planejamento de construir uma nova geração de Smart elétrico na China por meio de uma joint venture.

Publicidade