Clique e assine por apenas 8,90/mês

Hyundai terá picape para brigar com Fiat Toro e outra contra Toyota Hilux

Versão de produção da Santa Cruz deve finalmente ganhar vida em 2020 nos EUA. Para a Ásia, projeto é de um veículo sobre chassi

Por Renan Bandeira - 1 out 2019, 15h02
Hyundai Santa Cruz Concept Reprodução/Internet

A Hyundai parece finalmente ter tomado a decisão de arrancar do papel o projeto de uma picape. Uma? Não! A marca coreana decidiu vir para o mercado logo com duas propostas diferentes.

Uma delas será uma picape compacta-média com pegada urbana. Ela será derivada do conceito chamado Santa Cruz, apresentado no Salão de Detroit 2015, e terá um chassi monobloco.

Ela carregará a estrutura do novo Tucson e será lançada entre o fim de 2020 e início de 2021 para inaugurar nos Estados Unidos o segmento já explorado da Fiat Toro no Brasil.

Utilitário tem traseira parecida com a do Hyundai Creta Reprodução/Internet

Segundo o chefe de design global da Hyundai, SangYup Lee, o visual do veículo deve ser um pouco distinto do protótipo apresentado pela empresa anos atrás, já que era baseado no design antigo da marca.

Continua após a publicidade

Como a nova estratégia é acabar com o padrão de design entre os carros, para que cada um tenha sua personalidade, a Santa Cruz deve chegar ao mercado com linhas exclusivas.

Picape deve ter visual diferente do protótipo lançado há quatro anos, para se adequar ao novo design da empresa Reprodução/Internet

O outro plano da empresa é entrar no mercado de picapes médias com capacidade de 1 tonelada na caçamba, para concorrer com Toyota Hilux, Ford Ranger e Mitsubishi L200 Triton, porém em mercados de Ásia e Austrália.

Em entrevista ao canal WhichCar, o CEO da Hyundai na Austrália, John Kett, afirmou que o objetivo da empresa é satisfazer as necessidades de compradores antigos da região, que preferem a tradição e a robustez modelos construídos sobre chassi de longarina.

A picape deverá oferecer transmissões 4×4 e 4×2 e opções de cabines simples e dupla, além de motores a gasolina ou a diesel. Também deve compartilhar a mesma base do conceito da Kia, apresentado em julho deste ano, sendo portanto maior que a Santa Cruz.

Continua após a publicidade

Por enquanto, o Brasil segue sendo um destino nebuloso para ambos os modelos, já que a Hyundai ainda se vê num imbróglio em relação tanto à nacionalização de produtos – a fábrica de Piracicaba (SP) já opera em capacidade quase plena – quanto à importação via Caoa.

Publicidade