Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Honda terá dois carros elétricos com motores e baterias da GM

Modelos receberão tecnologia da empresa norte-americana e design da marca japonesa. A expectativa é de que sejam lançados em 2024

Por Renan Bandeira 9 abr 2020, 13h32
Lançado em 2019, o Honda E será o carro elétrico de entrada da marca, que terá modelos maiores em parceria com a GM Divulgação/Honda

A Honda anunciou que terá dois novos carros elétricos até 2024. O mais curioso é que os dois modelos utilizarão plataforma desenvolvida pela General Motors e serão destinados ao mercado norte-americano e canadense, pelo menos em um primeiro momento.

A empresa japonesa planeja desenvolver sua própria plataforma para veículos elétricos, mas só deverá ficar pronta em 2025.

Para não perder tempo na corrida dos elétricos, a solução encontrada pela marca japonesa foi se valer da tecnologia da marca norte-americana, que hoje tem o Bolt e planeja uma família completa de elétricos para os próximos anos.

Ao que tudo indica, a GM ficará responsável por toda a base tecnológica dos veículos, enquanto o design e os demais elementos exteriores e interiores ficarão por conta da Honda.

Os modelos deverão ser fabricados nos Estados Unidos. A expectativa é de que usem as novíssimas baterias de Ultium de 200 kW, que de acordo com as estimativas iniciais garantem autonomia acima dos 640 quilômetros.

Continua após a publicidade

Além disso, os novos Honda elétricos também devem receber motores elétricos capazes de levá-los aos 100 km/h em três segundos.

  • Parceria antiga

    Se engana quem pensa que a parceria para fabricação de elétricos entre Honda e GM é recente.

    Em 2018, as empresas já haviam firmado um compromisso para desenvolver baterias em conjunto. O objetivo era produzir acumuladores de maior densidade, menor tamanho e com recarga mais rápida, seguindo seus respectivos planos de eletrificação.

    Antes disso, as empresas já haviam formado uma joint-venture para o desenvolvimento de células de combustível de hidrogênio – que ainda está em andamento – e também uma van elétrica autônoma, chamada: Cruise Origin.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de abril da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Fernando Pires/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade