Clique e assine por apenas 5,90/mês

GM investirá R$ 1,4 bi para produzir novos modelos no RS

Quantia faz parte do aporte de R$ 13 bilhões no país até 2019; projeto GEM pode originar nove modelos, incluindo os substitutos de Onix e Prisma

Por Vitor Matsubara - 4 ago 2017, 15h22
Retrovisores e teto são pintados de preto
Sucessor do Onix não deve chegar ao mercado brasileiro antes de 2019 Leo Sposito/Quatro Rodas

A General Motors divulgou que irá investir R$ 1,4 bilhão na modernização do complexo industrial de Gravataí (RS) para a “produção de novos veículos”.

A informação foi confirmada pela própria empresa em comunicado divulgado nesta quinta-feira, 3 de agosto.

O montante faz parte do plano de investir R$ 13 bilhões no país entre 2014 e 2019.

Embora não tenha revelado quais modelos serão fabricados na planta gaúcha, a expectativa recai sobre uma nova família de compactos chamada de Projeto GEM – de Global Emerging Markets, ou mercados emergentes globais, em português.

 

Continua após a publicidade
Cobalt é um dos modelos que devem ser aposentados dentro de dois anos Divulgação/Chevrolet

De acordo com o site Primeira Marcha, este projeto daria origem a até nove modelos: um hatchback, dois sedãs (sendo um deles mais espaçoso), um SUV, uma picape, duas minivans (com cinco e sete lugares) e um crossover.

Ou seja, todos os projetos desenvolvidos sobre a plataforma GSV.

Entretanto, ainda não há nenhuma definição sobre quais destes veículos seriam fabricados em Gravataí e quais poderiam ser produzidos na planta de São Caetano do Sul (SP). Os novos modelos chegariam às ruas brasileiras apenas em 2019.

Analisando a linha atual de produtos da GM no Brasil, o Projeto GEM poderia substituir os atuais Onix, Prisma, Cobalt, Montana e Spin. Especula-se também que a Chevrolet estaria preparando a chegada de um inédito subcompacto feito para rivalizar com Fiat Mobi, VW Up! e o recém-lançado Renault Kwid.

Fora do país, o Projeto GEM será aproveitado em diversos mercados emergentes espalhados pelo mundo, como Índia, China, México e Rússia.

Continua após a publicidade
Publicidade