Clique e assine por apenas 8,90/mês

Ford Territory ganha versão elétrica com visual diferente (e mais legal)

Com lançamento na China confirmado para 2019, o SUV recebeu mudanças inspiradas no Edge; modelo será feito na Argentina em 2022

Por Gabriel Aguiar - Atualizado em 13 jun 2019, 15h20 - Publicado em 11 jun 2019, 18h23
Dianteira recebeu elementos que remetem ao Ford Edge Divulgação/Ford

O Ford Territory vive uma novela no Brasil: veio a passeio, foi negado, mas, ao que tudo indica, será vendido aqui em 2020. E agora há uma versão elétrica (e com novo visual) lá fora.

O mais curioso é que a nova versão elétrica do SUV tem um visual diferente das configurações originais, e que ficou7 até mais bem resolvido que nas versões a combustão.

 

Lanternas e para-choque são ligeiramente diferentes na versão elétrica Divulgação/Ford

Além dos faróis com máscara negra, a grade ficou maior – e parece inspirada no novo Edge – e o para-choque ganhou filetes de leds onde ficavam luzes de neblina e frisos cromados.

O fabricante também destacou novas lanternas traseiras, que ficaram ligeiramente diferentes, e as rodas com detalhes de fibra de carbono, que prometem melhorar a aerodinâmica.

Continua após a publicidade
SUV tem central multimídia com tela de 10 polegadas Divulgação/Ford

Vale lembrar que o Focus EV, lançado em 2011, antecipou a reestilização que só seria revelada apenas três anos depois. No SUV, as principais novidades estão concentradas na frente.

Será que algumas dessas novidades chegarão às as demais versões do Territory? É possível que em 2022, quando o SUV será fabricado na Argentina, ele receba elementos antecipados pela versão elétrica.

O que se pode afirmar é que, enquanto o modelo vier importado da China, conviveremos com o visual atual das configurações com motor a gasolina em nosso mercado.

O fabricante não revelou onde foram instaladas as baterias do modelo Divulgação/Ford

O Territory EV é parte do plano “Smart Vehicle Service Smart World”, que prevê investimento de US$ 11 bilhões (cerca de R$ 42,5 bi) para desenvolvimento de veículos eletrificados.

Ainda não foram divulgados detalhes técnicos, como motorização e capacidade das baterias. Só que o fabricante já adiantou a autonomia de até 360 km no ciclo NEDC (mais otimista).

O pacote inclui central multimídia com tela de 10 polegadas, quadro de instrumentos digital, controle de velocidade adaptativo, alertas de permanência em faixa e de pontos cegos.

Continua após a publicidade
Publicidade