Clique e assine por apenas 8,90/mês

Ford Focus hatch morre no Brasil após 19 anos; sedã está perto disso

Marca deixa de oferecer versão dois-volumes em seu configurador; carroceria com terceiro volume aguarda esgotarem as últimas unidades

Por Leonardo Felix - Atualizado em 5 jun 2019, 19h22 - Publicado em 5 jun 2019, 19h20
Fastback04.jpg
Focus foi mantido em linha no Brasil por 19 anos e três gerações Marco de Bari/Quatro Rodas

Faça um experimento. Entre em www.ford.com.br. Clique em “Veículos”. Você verá na lista a presença do Focus Fastback (o sedã), mas não do hatch.

Isso porque o encerramento da produção na Argentina enfim começou a surtir seus efeitos.

QUATRO RODAS confirmou junto à assessoria da fabricante que “o estoque do Focus hatch está praticamente zerado”. Por isso o produto foi retirado do configurador. Ou seja: fim de linha para ele.

O que chamou a atenção, porém, é que a configuração Fastback continua lá, firme e forte. Mas não será por muito tempo. “Ainda restam algumas unidades na rede”, justificou a marca.

Continua após a publicidade
Ford Focus 2016
Focus hatch já saiu do configurador Divulgação/Ford

Questionamos qual a previsão para que o três-volumes também deixe de ser oferecido, mas a resposta foi que “é muito difícil prever”. Fácil apostar, porém, que sua sobrevida não deve passar de algumas semanas.

O mais provável é que a Ford tenha focado (com o perdão do trocadilho) na produção do sedã antes de encerrar a linha produtiva da família de médios, a fim de acumular certo estoque no Brasil.

Vejamos por quê: enquanto o hatch emplacou 426 unidades nos cinco primeiros meses de 2019, sendo 53 em maio, o irmão de três volumes vendeu 868 e 111, respectivamente, nos mesmos períodos.

Seja como for, dificilmente teremos qualquer tipo de Focus zero-quilômetro em oferta no nosso mercado a partir do segundo semestre deste ano.

Continua após a publicidade
Fastback02.jpg
Focus Fastback continua em estoque, mas não por muito tempo Marco de Bari/Quatro Rodas

História

Lançado em julho de 1998 na Europa, o Focus só chegou ao Brasil dois anos mais tarde, a fim de substituir os já obsoletos Escort e Verona. Por aqui, passou por três gerações, sempre em configurações hatch e sedã com quatro portas.

A primeira, vendida entre 2000 e 2008 – com um facelift em 2004 -, oferecia no lançamento os motores Zetec 1.8 de 115 cv e 2.0 de 130 cv, sempre quatro-cilindros com 16 válvulas.

 

150224gen20-05.jpg
Em dado momento de sua hist[ória, Focus foi o carro mais vendido da Ford no mundo. Esta é a geração 1 Divulgação/Ford
Chamava a atenção o painel com traços pouco convencionais, cheio de parábolas e formas geométricas criativas, além de um elegante volante com quatro raios.

Continua após a publicidade

Em 2003, o propulsor 1.8 Zetec mexicano foi substituído pelo 1.6 Zetec Rocam de fabricação nacional, com potência mais comedida (103 cv), porém maior torque a rotações mais baixas.

Facelift da primeira geração Wikimedia/Internet

Por outro lado, em 2005 estreou na gama o 2.0 Duratec de bons 147 (câmbio manual) ou 140 cv (automático), sempre movido a gasolina. Em 2008, o 1.6 Rocam foi convertido a flex, com potência máxima de 113 cv com etanol.

Demorou um tempo para a chegada da segunda geração, também em 2008, já que esta estava em oferta na Europa havia quatro anos. Para tirar o atraso, a Ford lançou o Focus já com o facelift aplicado ao irmão gringo.

Em 2009 veio o propulsor 1.6 Sigma flex de 116/110 cv. Um ano mais tarde, chegou o 2.0 Duratec, também bicombustível, de 148/143 cv, independentemente do tipo de câmbio acoplado.

Continua após a publicidade
Focus 1.6 16V - ed. 1/2011
Segunda geração ficou no mercado brasileiro por apenas cinco anos Marco de Bari

Como o Focus 2 já veio reestilizado, seu ciclo durou meros cinco anos em nosso mercado. Assim, em setembro 2013 recebemos o Focus 3, alinhado com os produtos oferecidos em Estados Unidos e Europa.

Motores também foram renovados: 1.6 Sigma TiVCT, de 135/130 cv, e 2.0 Duratec Direct Flex com injeção direta, de 178/175 cv.

Focus Sedan e Sportbrake
Terceira geração chegou em 2013 Gonçalo Martins

Outra estreia foi a do câmbio automatizado de dupla embreagem Powershift, que inicialmente impressionou pela engenhosidade da caixa com cárter seco e pela velocidade das trocas.

Depois, porém, decepcionou pelos problemas com vibrações, superaquecimentos e afins, atrapalhando a imagem do modelo no mercado de usados.

Continua após a publicidade
150622foc-05.JPG
Última mudança visual do Focus no Brasil ocorreu em 2015 divulgação

Com apenas dois anos de vida, a terceira geração do Focus foi reestilizada e adotou a identidade visual global da Ford. A controversa caixa Powershift foi mantida, além dos motores.

Para dar maior destaque ao sedã frente aos rivais japoneses, a Ford adotou a alcunha “Fastback”, jamais assimilada pelo mercado como a marca gostaria.

 

E assim, sem o brilho de outrora, o Focus foi perdendo espaço até ser descontinuado na América do Sul. Outras partes do mundo já ostentam o Focus 4, mas este, infelizmente, passará longe das rotas do Brasil.

Publicidade