Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

DS quer diminuir telas e oferecer interior analógico em carros de luxo

Chefe de design da marca francesa quer eliminar as telas porque, quando desligadas, não são muito bonitas, nem luxuosas

Por Bruno dos Santos 1 jul 2022, 07h56

As telas dominaram a indústria automotiva nos últimos anos. Em quase todo carro novo, quando não há apenas uma tela grande para a central multimídia, o quadro de instrumentos também tem a sua. Mas a DS, marca de luxo da Stellantis com modelos baseados nos Citroën, resolveu “voltar no tempo” e voltar a apostar nos bons e velhos botões.

O verdadeiro problema das telas é quando desliga, ela vira apenas uma superfície retangular preta com marcas de dedos. “Não é muito sexy, nem muito luxuosa”, afirmou o chefe de design da DS, Thierry Métroz.

Por conta disso, o foco dos próximos lançamentos da marca é eliminar todas as telas, voltando a exibir elementos tradicionais no painel de instrumentos, ao contrário da tela gigante que concentra tudo que você pode fazer no carro.

Painel DS4
DS/Divulgação
Continua após a publicidade

Os carros mais recentes da marca já estão diminuindo suas telas e permitem manusear o sistema multimídia sem precisar tocá-lo diretamente como no DS 4 e no DS 7.

Por enquanto, a luta contra as telas é só uma opinião do chefe de design de uma das várias marcas que a Stellantis gerencia no mundo. Porém, considerando as coisas dentro desse consórcio, não será uma surpresa se esse pensamento chegar em outras marcas, como Peugeot, Dodge e Jeep.

A segurança também é algo que se beneficiaria dessa mudança. Segundo o Canadian Automobile Association (CAA), a utilização de telas em movimento já é uma grande fonte de distração que pode causar acidentes. Na Espanha, por exemplo, o motorista pode receber uma multa de até 200 euros (R$ 1100) e três pontos se for pego usando a tela com os dedos enquanto dirige.

Compartilhe essa matéria via:

Esse debate sobre telas em carros parece estar no começo ainda. Provavelmente, diminui-las ou diminuir sua relevância cria um novo problema de ergonomia no volante. Por enquanto, ainda não existem alternativas melhores para facilitar a utilização de algumas funções, como consultar o gps ou selecionar o modo de condução.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.


a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo de QUATRO RODAS. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês