Depois de zerar, Ford Ka consegue três estrelas no Latin NCAP

Marca aproveitou o recém-facelift para reforçar a estrutura do hatch e do sedã

Ford reforçou a estrutura de proteção lateral depois do modelo ir mal no primeiro teste de impacto

Ford reforçou a estrutura de proteção lateral depois do modelo ir mal no primeiro teste de impacto (Latin NCAP/Divulgação)

Em outubro de 2017, o Ford Ka obteve a pior nota (zero estrela) no teste de segurança promovido pelo Latin NCAP, o Programa de Avaliação de Carros Novos para América Latina e o Caribe.

A marca demorou a se mexer. Mas a partir de junho desse ano, juntamente com o facelift , o modelo produzido em Camaçari, na Bahia, ganhou reforços estruturais na coluna B e e nas portas dianteiras para absorver a energia de impactos.

Agora, quase um ano depois, o terceiro carro mais vendido do Brasil passa novamente pela prova de impacto. E o resultado foi melhor: três estrelas na proteção para adultos e quatro na infantil.

Os airbags dianteiros garantiram a segurança dos ocupantes dianteiros na colisão frontal

Os airbags dianteiros garantiram a segurança dos ocupantes dianteiros na colisão frontal (Latin NCAP/Divulgação)

O relatório mostrou que no crash-test lateral há boa proteção para a cabeça e a abdome do ocupante. Já a proteção para pélvis e tórax é considerada adequada e fraca, respectivamente.

O órgão ainda aponta que a porta traseira se abriu durante teste, algo que não deveria acontecer.

“É alentador encontrar mais modelos compactos com melhoras como o Ka; contudo, seu rendimento de segurança básico está ainda por baixo da versão europeia“, afirma o Latin NCAP.

No primeiro teste, o órgão identificou lesões no peito do passageiro adulto, invasão da coluna “B” no habitáculo e dificuldade na abertura das portas.

Na amostragem que choca o veículo de forma frontal a 64 km/h, o carro se sai melhor. Segundo o Latin NCAP, a cabeça e pescoço dos ocupantes dianteiros atingiram o airbag completamente, o que caracteriza um bom resultado.

Em outras partes do corpo como tórax, pés e joelhos a proteção é positiva. O Ka só oferece cintos de segurança pré-tensionadores do lado do motorista.

Nos joelhos, inclusive, a Ford mexeu na proteção marginal porque anteriormente foram observadas estruturas perigosas na área do painel contra as quais poderiam prejudicar os ocupantes.

A estrutura onde vão os pés foi considerada instável e a do habitáculo, estável.

A proteção infantil se saiu melhor ao obter quatro das cinco estrelas possíveis. As ancoragens Isofix e Top Tether conseguiram manter as cadeirinhas (e os bonecos de teste) estáveis em ambos os impactos, frontal e lateral.

A nota máxima só não foi obtida porque não há cinto de segurança de três pontos para todos os ocupantes traseiros e a sinalização da posição dos ganchos Isofix foi considerada deficiente.

Múltiplas bolsas de ar e controles de estabilidade e tração só estão disponíveis nas versões mais caras. Vale lembrar que o Chevrolet Onix, que lidera o ranking de vendas no País, também zerou a primeira avaliação quando foi testado.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s