Clique e assine por apenas 8,90/mês

Covid-19: nenhum carro será produzido no Brasil durante mais de uma semana

Com paralisações de todos os fabricantes do país, algumas marcas ficarão até 60 dias sem atividades nas linhas de montagem

Por Gabriel Aguiar - Atualizado em 25 mar 2020, 11h49 - Publicado em 23 mar 2020, 18h05
Fábrica da GM em São Caetano do Sul (SP) será paralisada dia 30 de março Divulgação/Chevrolet

Com a pandemia da Covid-19, provocada pelo novo coronavírus, toda a indústria automotiva no Brasil já anunciou paralisações como medida preventiva à contaminação. Como resultado, não será produzido nenhum carro aqui durante mais de uma semana.

QUATRO RODAS entrou em contato com todos os fabricantes de veículos do país e, de acordo com nossa apuração, algumas empresas já começaram a dispensar os funcionários hoje (23), sendo que alguns deles só têm previsão para retornar em até 60 dias.

Toyota terá o menor tempo de paralisação entre os fabricantes Divulgação/Toyota

Considerando todas as datas já anunciadas, haverá um período de hiato generalizado no país entre 30 de março, quando BMW e Chevrolet desativarão as linhas de montagem, e 6 de abril, quando a Toyota retornará às atividades. Ou seja, um total de oito dias.

De acordo com a Anfavea, foram produzidos 204 mil veículos leves – que somam automóveis e comerciais leves – durante os 29 dias de fevereiro. Se fosse aplicada a proporcionalidade para esse período de paralisação, isso significaria 56 mil unidades a menos.

Continua após a publicidade
Fábrica da Caoa em Anápolis (GO) encerrará as atividades por tempo indeterminado Alline Tosha/Abril Branded Content

As empresas com maior período de inatividade nas fábricas são, até este momento, a HPE (que representa as marcas Mitsubishi e Suzuki no Brasil) e Caoa (que monta veículos de Caoa Chery e Hyundai em Anápolis). Já a Toyota terá a menor tempo de interrupção.

Entretanto, boa parte dos fabricantes indicam que estes são apenas previsões iniciais e que é possível um adiamento futuro para o retorno às atividades. A Honda, por exemplo, afirma que paralisará as fábricas até 14 de abril e que pode prorrogar até 27 de abril.

Renault adiantou a paralisação da produção em dois dias Divulgação/Renault

Houve quem adiantasse a interrupção, como a Renault, que encerrou as atividades da fábrica dois dias antes do previsto – inicialmente, a empresa deveria operar até quarta-feira (25). Já a Mercedes-Benz definiu que o retorno dependerá “das condições do país”.

Confira todas as datas de paralisação dos fabricantes no Brasil:

Audi
23 de março até 13 de abril.

BMW
30 de março a 22 de abril.

Caoa Montadora – Caoa Chery e Hyundai em Anápolis (GO)
23 de março e não há previsão de retorno.

Caoa Chery
23 de março a 6 de abril.

Chevrolet
30 de março a 12 de abril.

FCA – Fiat e Jeep
23 de março a 21 de abril.

Ford e Troller
23 de março a 13 de abril.

Honda
25 de março a 14 de abril, mas pode ser postergado até 27 de abril.

HPE – Mitsubishi e Suzuki
23 de março a 21 de maio.

Hyundai
23 de março a 13 de abril.

Jaguar Land Rover
25 de março a 27 de abril.

Mercedes-Benz
25 de março a 22 de abril.

Nissan
25 de março a 22 de abril.

PSA – Citroën e Peugeot
23 de março a 21 de abril.

Renault
23 de março a 14 de abril.

Toyota
24 de março a 6 de abril.

Volkswagen
23 de março a 13 de abril.

Publicidade