Conheça o Honda Fit Cross Style, o ‘primo distante’ do WR-V

Versão exclusiva para o Japão tem itens aventureiros e até motorização híbrida

Sobram apliques plásticos pela carroceria do Fit Cross Style (divulgação/Honda)

De olho no segmento de aventureiros urbanos, a Honda brasileira fez uma versão levemente reestilizada – e encorpada – do Fit e a batizou de WR-V. Já a matriz japonesa resolveu seguir por outro caminho: criou o Fit Cross Style, praticamente uma reinterpretação do antigo Fit Twist, vendido por aqui de 2012 a 2014.

Design já incorpora a reestilização aplicada na linha Fit (divulgação/Honda)

Alguns detalhes externos diferenciam a nova versão do Fit “convencional”. Há molduras nos para-lamas (semelhante às do WR-V) e nas saias laterais, novos para-choques, tampa do porta-malas com um aplique plástico na parte inferior e um borrachão nada discreto na lateral. Mas não há barras longitudinais no teto.

O Fit Cross Style não tem mudanças nos conjuntos de suspensão, mas as rodas de liga leve têm desenho exclusivo e acabamento diamantado.

(Divulgação/Honda)

O modelo será oferecido em três opções de motorização, sendo duas delas são movidas a gasolina: 1.3 i-VTEC (100 cv) e 1.5 i-VTEC (com injeção direta de combustível e 132 cv). A terceira opção é a 1.5 i-VTEC híbrida, movida por um motor a combustão de 110 cv e outro elétrico de 22 kW (aproximadamente 30 cv).

Versão aventureira lembra o estilo do finado Fit Twist (divulgação/Honda)

Modelo tem três opções de motorização, incluindo uma híbrida (divulgação/Honda)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Somente otários compram o WR-V, que nada mais é que um Fit bombado com um sobrepreço de 20.000, não se esquecendo que o presidente da Honda disse: “Preço é uma sensação, nós sugerimos, se o mercado aceita está precificado”, ou seja, vendemos a CRV mais completa no México por R$57.000,00 no Brasil sugerimos o mesmo carro por R$148.000,00, o mercado paga, está feito o preço, ou seja ainda, “damos um golpe quando vendemos, o cliente dá outro quando vende, mas sempre ganhamos muito”. O Brasil já salvou a Fiat, o Outback, GM e outras empresas ruins com produtos ruins, mas com preço gigante que garante lucros absurdos. F…não tenho vergonha de ser brasileiro, mas me sinto revoltado como somos obrigados a comprar produtos tão caros e ruins.

  2. Mário Palmeira

    É mais interessante e menos chamativo que o nosso…

  3. Mário Palmeira

    É mais interessante e menos chamativo que o nosso.

  4. Tiago Moraes

    Mario Arone, eu discordo de você. O brasileiro paga mais caro porque lhe falta opção. Não tem como você coordenar milhões de consumidores para todos tenham o mesmo comportamento e sabotem as compras desses automóveis, forçando uma queda nos preços. Assim como também é questionável comparar preços em mercado que não concorrem. O vilão da história é o Estado, que fecha o mercado, impõe cotas de importação e sobretaxa os importados em até 30% a mais da alíquota do IPI. Libera o mercado para os importados e os preços dos automóveis no Brasil irão convergir em direção aos preços internacionais, ficando a diferença restrita a impostos, câmbio e custos de produção.