Com mudanças sutis, novo Ford Fiesta parte de R$ 56.690

Frente reestilizada e central multimídia SYNC 3 estão entre as novidades do hatch, que mantém o motor Sigma 1.6 e a caixa automatizada Powershift

Fiesta 2018 tem novo design frontal Difícil notar as mudanças? Grade e para-choque são novos

Difícil notar as mudanças? Grade e para-choque são novos (Ford/Divulgação)

A atual geração do Fiesta está no Brasil há seis anos. Lançado em 2011, o modelo passou pela primeira reestilização em 2013, justamente quando começou a ser produzido em São Bernardo do Campo (SP).

A estreia de um novo Fiesta na Europa alimentou as esperanças de que o compacto, enfim, seria renovado por aqui.

Em vez disso, a Ford decidiu fazer um novo facelift. E as mudanças foram bem sutis desta vez: os faróis ganharam novos elementos internos e a grade dianteira ganhou pequenos apliques plásticos imitando pedras preciosas. O para-choque frontal também foi repaginado e as molduras dos faróis de neblina ficaram maiores.

Nenhuma alteração foi feita nas laterais; a traseira ganhou lanternas com novas lentes apenas na versão topo de linha Titanium.

Suporte para tela de 6,5 polegadas do SYNC 3 veio do New Fiesta Sedan

Suporte para tela de 6,5 polegadas do SYNC 3 veio do New Fiesta Sedan (Ford/Divulgação)

Por dentro, a principal novidade é a adoção da terceira geração da central multimídia SYNC, oferecida em modelos como Fusion e o recém-renovado EcoSport.

Além de ter tela sensível ao toque, a central oferece suporte a Android Auto e Apple CarPlay e diversos aplicativos instalados, uma grande evolução sobre a pequena central monocromática (com um confuso painel cheio de teclas) de outrora.

Para acomodar a tela de 6,5 polegadas, a Ford precisou fazer uma adaptação no local destinado ao SYNC 1 – que permanece em linha na versão de entrada SE.

O suporte para a tela, aliás, já era oferecido como acessório no New Fiesta Sedan – que, inclusive, ainda não teve seu destino definido, uma vez que é importado do México, onde o Fiesta ainda não mudou.

Bancos do Fiesta ganharam novas capas Bancos ganharam novas capas; versão Titanium tem acabamento parcialmente revestido em couro

Bancos ganharam novas capas; versão Titanium tem acabamento parcialmente revestido em couro (Ford/Divulgação)

A Ford afirma que também fez alterações nos bancos, que ganharam capas com novo desenho, nova estrutura das espumas e reposicionamento do ângulo do apoio de cabeça.

Motores e câmbio: tudo igual

Motor 1.0 EcoBoost é oferecido apenas como opcional na versão SEL

Motor 1.0 EcoBoost é oferecido apenas como opcional na versão SEL (Ford/Divulgação)

Ao invés de adotar os motores 1.5 e 2.0 do EcoSport, todas as versões do Fiesta permanecem com o Sigma 1.6 TiVCT com 125 cv e torque máximo de 15,7 mkgf a 4.250 rpm.

Criticada por problemas de durabilidade, a transmissão automatizada de dupla embreagem Powershift permanece em linha, mas sem o nome comercial pelo qual ficou famosa.

A Ford garante ter feito algumas melhorias na caixa, incluindo a alteração do material de atrito da embreagem, nova calibração do câmbio e adoção de novos retentores de borracha e de um novo módulo de controle da transmissão.

O motor 1.0 EcoBoost com injeção direta e turbocompressor agora é oferecido no pacote Style EcoBoost para a versão SEL Plus. São 125 cv e 17,4 mkgf de torque máximo com o mesmo câmbio das demais versões.

Preços e versões

Poucas mudanças na traseira: apenas lentes das lanternas são novas Lentes das lanternas são novas apenas na versão Titanium

Lentes das lanternas são novas apenas na versão Titanium (Ford/Divulgação)

A linha 2018 do Fiesta terá três versões de acabamento.

A SE Plus (R$ 56.690) vem com sensor de estacionamento traseiro, ar-condicionado, direção elétrica, espelhos retrovisores elétricos, computador de bordo, vidros elétricos nas portas dianteiras, suporte para cadeirinhas Isofix, faróis de neblina, banco traseiro bipartido e SYNC 1 com assistência de emergência.

Versão SE é a mais em conta e oferece pacote com opcionais

Versão SE é a mais em conta e oferece pacote com opcionais (Divulgação/Ford)

São oferecidos dois pacotes de opcionais. O kit Style (R$ 2.900) acrescenta rodas de liga leve aro 16 pintadas de preto, controles de estabilidade e de tração, assistência de partida em rampas e acabamento preto na grade dianteira, capas dos espelhos retrovisores e moldura do farol de neblina.

Já o kit Plus AT (R$ 5.700) traz a transmissão automatizada de dupla embreagem, central multimídia SYNC 3 com tela de 6,5 polegadas, controles de estabilidade e de tração, assistente de partida em rampas, vidros elétricos nas portas de trás e fechamento automático dos vidros sincronizado com o travamento das portas.

A versão SEL 1.6 (R$ 61.090) traz todos os itens da SE mais rodas de liga leve de 15 polegadas, ar-condicionado digital, controles de estabilidade e de tração, fechamento automático dos vidros sincronizado com o travamento das portas, assistente de partida em rampas e vidros elétricos traseiros.

Se o cliente quiser a transmissão automatizada de dupla embreagem será preciso desembolsar mais R$ 4.300 pelo pacote batizado simplesmente de “AT”.

O pacote Style EcoBoost custa R$ 8.700 e adiciona o motor 1.0 turbo

O pacote Style EcoBoost custa R$ 8.700 e adiciona o motor 1.0 turbo (Divulgação/Ford)

A motorização 1.0 EcoBoost agora será restrita ao pacote Style EcoBoost, vendida por mais R$ 8.700 e que inclui ainda o mesmo visual da SE Style – incluindo as rodas pretas e o acabamento de grade, espelhos retrovisores e moldura dos faróis de neblina na mesma cor.

Nesta configuração, o Fiesta sai por R$ 69.790, custando R$ 600 a mais do que o Polo Highline e R$ 4.600 a mais em relação à versão Comfortline do Volks, ambas equipadas com o motor 1.0 TSI de até 128 cv.

A versão mais cara é a Titanium (R$ 71.190), que inclui rodas de 16 polegadas, SYNC 3 com Android Auto e Apple Car Play, câmera de ré, GPS, bancos parcialmente revestidos em couro, faróis com luzes diurnas de led e lanternas com led.

A versão Titanium Plus será a mais cara do novo Fiesta

A versão Titanium Plus será a mais cara do novo Fiesta (Divulgação/Ford)

O pacote Plus (R$ 4.000) acrescenta bancos revestidos em couro, 7 airbags (o Fiesta é o único modelo da categoria a oferecer esta quantidade de bolsas infláveis), partida do motor por botão, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva e espelho retrovisor fotocrômico. Completo, o Fiesta Titanium Plus chega aos R$ 75.190.

A mudança na oferta do motor 1.0 EcoBoost, que deixa a versão Titanium para ficar disponível apenas no pacote Style, sugere que a estratégia anterior da Ford de atrelá-lo à configuração topo de linha não funcionou; a ideia agora parece ser atrelá-lo a um visual mais esportivo.

“As vendas do Fiesta com motor EcoBoost nunca foram muito significativas – menos de 10% do volume mensal de unidades comercializadas”, afirmou Maurício Greco, gerente geral de marketing da marca.

Tabela fixa nos serviços de pós-venda

A Ford oferece preço fixo para as três primeiras revisões (R$ 1.568 nas versões 1.6 Sigma e R$ 1.620 na 1.0 EcoBoost).

Além disso, há o pacote Ford Protect Advanced com todas as revisões até 40.000 quilômetros mais um ano de garantia extra (aumentando a garantia para quatro anos) por R$ 2.966.

Se o comprador quiser incluir todas as revisões até 50.000 quilômetros e garantia de cinco anos, a marca pede R$ 3.573 pelo pacote Ford Protect Premium.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Ricardo Soares

    Bah…. Mudanças insuficientes pra enfrentar a concorrência. O Fiesta é até bem tecnológico e seguro, mas pelo espaço interno e qualidade no acabamento teria que ter preços mais agressivos. O ecoboost é um excelente motor, mas colocar só nas versões mais caras, vai ficar a ver navios mesmo. O Polo é mais negócio

  2. Paulo Sanches

    Com este Fiesta “meia boca”a Ford enterra as vendas do modelo, tenho um Titanium 2014 , ótimo carro . Após o Recall e mesmo antes , o Powershift nunca incomodou , mas esperava a geração nova do Fiesta para trocar e após esse absurdo da Ford, estarei migrando para o Polo , mesmo sabendo que nenhuma versão do Polo tem airbags cortina, item que é de série no Titanium…Adeus Ford.