Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Caoa Chery mata Tiggo 3X e fábrica de Jacareí passará a montar elétricos

Caoa Chery demitirá boa funcionários de Jacareí (SP) para atualizar a linha para produzir híbridos e elétricos; Tiggo 3X não completou um ano nas lojas

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 6 Maio 2022, 07h23 - Publicado em 5 Maio 2022, 13h50

Em uma forte guinada na sua estratégia no Brasil, a Caoa Chery está encerrando a fabricação de carros a combustão na fábrica de Jacareí (SP), a primeira da marca no País, inaugurada em 2015.

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

Com essa movimentação, o SUV compacto Caoa Chery Tiggo 3X sai de linha prematuramente, antes mesmo de ter completado um ano nas concessionárias brasileiras (foi lançado em junho de 2021). Já os sedãs médios Arrizo 6 e Arrizo 6 Pro passarão a ser importados da China. Os três eram os únicos modelos fabricados na unidade do interior paulista.

Tiggo 3X
Tiggo 3X não chegou a completar um ano em produção Fernando Pires/Quatro Rodas

Agora, a fábrica da Caoa Chery em Jacareí passará por uma “grande remodelação para o novo salto tecnológico da marca”, nas palavras da empresa. A fábrica será transformada para ser adequada à fabricação de “novos produtos concebidos a partir de plataformas de última geração, equipados com propulsores híbridos ou 100% elétricos”. O trabalho na unidade vai se estender até 2025.

Para isso, toda a produção na fábrica foi suspensa. De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, Weller Gonçalves, ouvido pelo Uol, todos os trabalhadores do setor produtivo e mais de 50% dos funcionários do administrativo serão demitidos.

A fabricante, porém, diz que ainda negocia um pacote de indenização suplementar, além do regular pagamento das verbas rescisórias legais, com o sindicato.

Como fica o futuro da Caoa Chery no Brasil?

A fábrica de Anápolis (GO) mantém a produção dos SUVs Tiggo 5X, Tiggo 7 Pro e Tiggo 8 e, de acordo com a Caoa, será responsável por novos lançamentos que estreiam nas lojas no segundo semestre. Um deles seria o Tiggo 8 Pro e o outro, o Exeed LX, primeiro integrante da marca de luxo da Chery. A fabricante conta com eles para alcançar a meta de comercializar 60.000 carros no Brasil em 2022.

novo-chery-tiggo-8-pro-2022
Chery Tiggo 8 Pro Divulgação/Chery
Continua após a publicidade

Além disso, há uma meta para que toda sua gama de modelos seja eletrificada até 2023. Ou seja: os SUVs atualmente em linha receberão mecânica híbrida no próximo ano. É uma forma de se alinhar à estratégia das outras fabricantes chinesas.

Exeed LX
Exeed LX Exeed/Divulgação

Enquanto a JAC está empenhada em vender carros elétricos no Brasil, a Great Wall começará a vender seus híbridos no país no segundo semestre e dará início à produção nacional em meados de 2023. Já a BYD iniciou agora a venda de carros elétricos, mas reserva para agosto o lançamento do seu primeiro SUV híbrido, que será seu carro de volume.

Chery Omoda 5
Chery Omoda 5 autohome.com.cn/Reprodução

Na China, a Chery já começou a ensaiar o seu futuro. O Omoda 5, que marca o início de uma nova família de produtos da Chery, teve sua produção iniciada em fevereiro. Este seria um dos produtos previstos para a fábrica de Jacareí (SP).

Ele tem dimensões bem semelhantes às do Tiggo 5X Pro, com 4,40 m de comprimento,1,83 m de largura, 1,58 m de altura e entre-eixos de 2,63 metros. Sua estreia na China é com um motor 1.6 turbo GDI com 199 cv e 29,57 kgfm. Mas versões híbridas e elétrica serão lançadas ainda em 2022.

Chery Omoda 5
Chery Omoda 5 autohome.com.cn/Reprodução

Hoje a Chery tem duas mecânicas híbridas disponíveis. No Exeed LX combina um motor a gasolina a outros dois elétricos. É um 1.5 turbo de 156 cv aliado a duas unidades elétricas que entregam mais 170 cv e, juntos, todos os motores rendem 326 cv e 52 kgfm de torque. No Tiggo 8 Pro, há um 2.0 turbo e por isso são 463 cv e 74,9 kgfm no total.

Compartilhe essa matéria via:

No modo híbrido, a empresa garante que a autonomia pode beirar os 1.000 km com tanque e bateria cheios, enquanto o consumo de combustível pode chegar a 20 km/l no modo híbrido. Utilizando apenas os motores elétricos, a autonomia é de 105 km.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo da QUATRO RODAS! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

App QUATRO RODAS para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês