Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Audi anuncia que vai entrar na Fórmula 1 em 2026, mas não cita Sauber

Montadora alemã já está em desenvolvimento de powertrain híbrido, mas não deu pistas sobre qual equipe deve equipar

Por Lukas Kenji
26 ago 2022, 08h56

Depois de muitas especulações, agora é oficial: a Audi vai fazer parte da Fórmula 1 a partir de 2026. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (26), em coletiva realizada em Spa-Francorchamps, onde será realizado o Grande Prêmio da Bélgica neste fim de semana.

“Com os novos regulamentos, agora é o momento certo para estarmos juntos, afinal, a Fórmula 1 e a Audi têm objetivos claros de sustentabilidade”, explicou o chefe do Conselho de Administração da Audi, Markus Duesmann.

A maior categoria do automobilismo mundial vai impor limites de investimento no desenvolvimento de motores já a partir da próxima temporada. Também estão previstos a utilização de motores híbridos com combustíveis mais eficientes e maior importância da unidade elétrica a partir de 2026.

Marca não definiu entrada como nova equipe
(Divulgação/Audi)

O regulamento para daqui a quatro anos prevê que o novo combustível ainda será sintético, derivado de fontes recicláveis em vez do petróleo. Os materiais serão provenientes de biomassa de plantas (que não seja alimento), lixo e da própria atmosfera.

Continua após a publicidade

Já o motor vai continuar tendo como base o atual V6 1.6 turbo. No entanto, o motor elétrico terá potência quase que triplicada em relação aos padrões atuais. Será um salto de 120 kW (160 cv) para 350 kW (469 cv). A projeção é que o futuro conjunto híbrido tenha potência total superior aos 1.000 cv.

Compartilhe essa matéria via:

Mas já existe um planejamento ainda mais ousado para a temporada de 2030, que estipula que a Fórmula 1 deve ser uma modalidade neutra na emissão de poluentes.

A Audi já está desenvolvendo o conjunto para 2026, na fábrica de Neuburg, cidade próxima à matriz de Ingolstadt. Segundo a marca, está é a primeira vez que um motor de Fórmula 1 será produzido na Alemanha em mais de uma década. A Mercedes-Benz desenvolve seu propulsor na Inglaterra.

Marca estará presente na categoria a partir de 2026
(Divulgação/Audi)

Além do novo regulamento, a Audi afirmou que outro fator decisivo para entrada na F1 é o aumento da popularidade da categoria entre jovens e em mercados importantes para a montadora. Em 2021, a categoria acumulou mais de 1,5 bilhão de espectadores mundialmente, com destaque para China e Estados Unidos.

Apesar de divulgar imagens de um show car com identidade visual da Audi, a montadora não deve se apresentar como uma nova equipe. Há especulações de que o powertrain alemão será utilizado pela Sauber, em uma substituição à Alfa Romeo.

De acordo com o jornal suíço Blick, a McLaren não avançou em negociações com a Audi porque não estava disposta a ceder grande parte do controle acionário ao Grupo Volkswagen.

Aliás, é possível que uma outra marca da VW embarque na F1. Diversas publicações especializadas em automobilismo tratam como eminente um acerto entre Porsche e Red Bull.

Continua após a publicidade

O fato é que, com a entrada na F1, a Audi declarou que não vai mais fazer parte de Le Mans. A divisão de esporte a motor da companhia definiu que vai cessar o desenvolvimento de projetos em categorias de endurance.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.