Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Antes de SUV elétrico, Ford Mustang quase virou perua. Mas com motor V8

Protótipo chegou a ser construído nos anos 1960, mas empresa rejeitou o projeto. Uma década mais tarde, outro esboço chegou a ser criado

Por Renan Bandeira
Atualizado em 19 nov 2019, 08h00 - Publicado em 19 nov 2019, 07h00
Versão cupê 4.7 V8 foi usada de base para o projeto (Autoblog/Reprodução)

O Ford Mustang é uma lenda no mundo dos muscle cars. O ícone ganha agora uma nova configuração e se transforma em um SUV elétrico, com o nome Mach-E.

A empresa acredita que o projeto é o que realmente o consumidor dos dias de hoje quer. Mas será que essa é a primeira vez que o esportivo ganha uma versão mais “família”? A resposta é não!

Modelo foi projetado em meados da década de 1960 (Autoblog/Reprodução)

Um modelo projetado na década de 1960 mostra que a variação já era pensada pouco tempo depois de o esportivo chegar ao mercado.

O designer Robert Cumberford, conhecido por atuar em projetos do Chevrolet Corvette no fim dos anos 50, resolveu desenhar uma versão perua do Mustang.

Seu objetivo era vender o projeto à Ford, para que ela incluísse a configurações wagon no catálogo das versões do muscle produzidas em série.

Continua após a publicidade
Na derivação perua, Mustang ganhou três colunas (Autoblog/Reprodução)

Cumberford levou o projeto junto com um cupê branco, equipado com motor V8 de 4,7 litros, para a construtora italiana Intermeccanica – onde trabalhou por alguns anos.

Meses depois, a empresa devolveu a derivação perua com linhas exclusivas na traseira e carroceria pintada na cor vermelha. Depois, o protótipo ainda seria pintado de verde escuro, conforme ele aparece nas imagens desta reportagem.

Continua após a publicidade

O veículo ganhou uma terceira coluna no fim do balanço traseiro, os bancos da segunda fila podiam ser rebatidos e o porta-malas ficava ainda mais extenso, parecido com o da nossa Chevrolet Caravan, a perua do Opala.

A tampa traseira, quando aberta, alinhava-se ao assoalho do compartimento de carga.

Abertura do porta-malas se parecia com o de caçamba de picapes (Autoblog/Reprodução)

Cumberford apresentou o projeto à Ford, mas a empresa não quis o carro, alegando que, se fosse fabricar uma perua do esportivo, ela teria de ser desenhada pelos projetistas da marca.

O designer seguiu na tentativa de vender o projeto, desta vez, para empresas menores, mas não teve sucesso porque ninguém teria dinheiro suficiente para financiá-lo, já que a instalação era considerada cara.

Paradeiro desconhecido

O veículo seguia atraindo atenção por onde passava, mas sem sua produção em linha, tornou-se um protótipo único e excêntrico.

Foi vendido para um dentista em Portland, Estados Unidos, e não é visto por décadas. Segundo o site Autoblog, o projetista ainda tentou rastrear o modelo, a fim de comprá-lo e restaurá-lo, mas não conseguiu descobrir seu paradeiro.

A Ford chegou a projetar o modelo Wagon do esportivo, mas ficou no papel (Autoblog/Reprodução)

Durante esse tempo, a Ford seguiu trabalhando o Mustang nas versões cupê, fastback e conversível.

Em 1976, os desenhistas da marca chegaram a trabalhar em um modelo wagon para a sua terceira geração, mas não há evidências de que ele tenha saído dos papéis.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.