Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

0 a 300 km/h em 9,3 s: Rimac Nevera é lançado para quebrar recordes

Após muita expectativa, versão final do hiperesportivo elétrico fabricado na Croácia chega ainda mais luxuosa e forte que o esperado

Por Pedro Henrique Oliveira 1 jun 2021, 18h52
Rimac Nevera azul com as portas abertas visto 3/4 de frente
A Rimac irá produzir apenas 150 unidades do Nevera. Cada uma deve chegar a US$ 2,4 milhões Rimac/Divulgação

Após divulgar que o carro conceito C_Two havia cravado o teste do quarto-de-milha em inacreditáveis 8,92 segundos, a Rimac divulgou as imagens da versão de produção do hiperespertivo e confirmou: ele é ainda mais veloz.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

A versão final do projeto se chama Nevera, nome dado pelos habitantes da Croácia a uma tempestade rápida e inesperada no Mediterrâneo. Não por acaso, o vídeo de divulgação do novo elétrico compara sua força ao poder e velocidade da tempestade e dos raios.

O carro-conceito sofreu diversas alterações desde que foi visto pela primeira vez ainda em 2018. A aerodinâmica do modelo recebeu mudanças mais radicais e teve um aumento de 34% na sua eficiência. Os principais acertos foram no design do capô, nas entradas e difusores de ar para melhorar o fluxo de ar e a downforce (efeito que mantém o carro ficar colado ao chão graças à passagem do ar por suas peças aerodinâmicas).

Rimac Nevera azul visto de lado
As maiores mudanças entre o Nevera e o carro conceito C_Two são na aerodinâmica Rimac/Divulgação

As mudanças nos circuitos de arrefecimento geraram aumento de 30% na eficiência de resfriamento dos freios e da unidade de potência em baixas velocidades. Quando o hiperesportivo está mais rápido, a melhora foi de 7%. 

O Nevera terá elementos aerodinâmicos ativos, como a frente do capô, os difusores e a asa traseira, que poderão se movimentar orientados por algoritmos que fornecem a melhor configuração para o estilo de direção em uso.

Rimac Nevera azul visto de frente
Os difusores e o capô foram grandes responsáveis pelo ganho em desempenho do novo Nevera Rimac/Divulgação

Essa característica permite que o elétrico vá de uma alta sustenção negativa para um baixo arrasto, diminuindo-o em mais de 17% e criando um coeficiente de arrasto de apenas 0,3. Ao voltar para o modo de alta downforce, a resistência aumenta em até 326%. 

As rodas de liga leve também trazem design aerodinâmico exclusivo que canaliza o ar para o sistema de freios Brembo de carbono-cerâmica, 390 mm e seis pistões por pinça.

Indo além das mudanças aerodinâmicas, a unidade de potência permanece bem parecida com o que foi revelado anteriormente. O Nevera tem quatro motores feitos sob medida um para cada roda produzindo 1.940 cv e 240,6 kgfm. A bateria em formato de H é feita de lítio, manganês e níquel, permitindo até 547 quilômetros de autonomia no ciclo WLTP. 

Bateria do Rimac Nevera
A bateria do hiperesportivo tem o formato em H e é única do modelo Rimac/Divulgação

O posicionamento das células, na parte central do carro, permite que o elétrico tenha um centro de gravidade extremamente baixo, e um balanceamento de 48/52 (frente e trás) permitindo a melhor dirigibilidade possível. 

Continua após a publicidade

De acordo com a empresa croata, o Nevera irá de 0 a 100 km/h em apenas 1,85 segundo e cravará máxima de 412 km/h. A Rimac afirma que o hiperesportivo vai do repouso até a marca de 300 km/h em incríveis 9,3 segundos.

Rimac Nevera azul visto 3/4 de frente
O modelo croata divulgado em 2018 será um dos carros elétricos mais rápidos do mundo Rimac/Divulgação

Além da velocidade, o elétrico será bem seguro: a empresa afirma que o monocoque do novo Nevera é um dos aspectos mais inovadores, porque possui um teto de carbono, bateria estrutural integrada e uma subestrutura traseira de carbono que se combinam para formar a maior peça desse material na indústria automotiva. O peso total é menor que 200 kg e há a utilização de 2.200 camadas de fibra de carbono e 222 inserções de alumínio. O monocoque do hiperesportivo tem uma estrutura “incrivelmente forte”, com uma rigidez torcional de 70.000 Nm/grau. Essa resistência proporciona segurança ao motorista e permitiu que o elétrico atingisse os padrões globais de homologação. 

Monocoque do Rimac Nevera
O monocoque do modelo fornece grande segurança ao motorista e permitiu que o elétrico cumprisse as demandas globais de homologação Rimac/Divulgação

Para reforçar a aderência e tração, foi utilizado o sistema de vetorização de torque em todas as rodas, chamado R-AWTV-2. Ele permite respostas rápidas de acordo com as variações da pista e calibra minuciosamente a quantidade de torque em cada roda. A suspensão é do tipo duplo-A, com amortecedores controlados eletronicamente, ajuste hidráulico de elevação e barras estabilizadoras na frente e atrás.

O Nevera virá com sete modos de direção: Sport (com melhor resposta do acelerador, freios e direção), Drift (que irá fornecer mais torque às rodas traseiras), Comfort (que atinge um equilíbrio entre passeio e desempenho), Range (que permite que o hiperesportivo atinja a autonomia máxima de cada carga da bateria) e Track, para o motorista explorar o potencial do elétrico. Por último, existirão dois modos personalizáveis pelo proprietário.

Rimac Nevera azul visto de trás
O CEO da Rimac, Mate Rimac, afirmou que irá testar e assinar cada uma das unidades produzidas Rimac/Divulgação

Como se não bastassem todas as inovações, a Rimac oferecerá ainda o sistema de inteligência artificial Driving Coach. Ele promete avaliar o padrão de direção do motorista e ajudá-lo a desenvolver suas habilidades na pista. A novidade contará com 12 sensores ultrassônicos a bordo, 13 câmeras, 6 radares e o sistema operacional Pegasus, da NVIDIA. Ele estará disponível em 2022 e virá como uma atualização para os carros já entregues. 

Painel do Rimac Nevera visto do banco do piloto
O interior conta com três telas de alta definição para diminuir o número de botões no painel Rimac/Divulgação

No interior do Nevera, o cliente se depara com o espaço para o motorista e um passageiro, além de três telas de alta definição. A primeira é utilizada como painel de instrumentos, a segunda como central multimídia e a terceira é para o passageiro.

O painel conta com controles rotativos de alumínio, inclusive para a escolha do modo de direção. Além disso, a empresa croata irá disponibilizar três edições do hiperesportivo elétrico GT, Signature e Timeless e diversas opções de acabamentos e materiais para que cada consumidor tenha o Nevera personalizado ao seu gosto. 

O luxuoso elétrico terá ainda o sistema de telemetria Rimac M2M, que entregará os dados de desempenho do veículo para a empresa e para o cliente. Enquanto o motorista estiver conectado ao aplicativo a fabricante irá receber os dados de maneira anônima. Com um bólido em mãos, o “piloto” terá acesso facilitado aos engenheiros da fabricante, recebendo dicas e informações importantes na manutenção e condução da máquina.

Banco do passageiro do Rimac Nevera
O painel terá um botão rotativo para o motorista escolher entre os sete estilos de direção disponíveis Rimac/Divulgação

Serão produzidas 150 unidades do novo Rimac Nevera, cada uma custando cerca de US$ 2,4 milhões, em torno de R$ 12,3 milhões. O CEO da empresa, Mate Rimac, irá testar e assinar cada um dos exemplares produzidos na fábrica nos arredores de Zagreb, na Croácia. Além disso, os compradores serão convidados para um passeio na sede da marca, onde contribuirão ativamente no ajuste de seu exemplar.

Encomendas estão disponíveis inclusiva na América Latina, e podem ser feitas através da revenda global da Rimac.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

Capa Maio 2021
A edição 745 de QUATRO RODAS já está nas bancas! Arte/Quatro Rodas

 

Continua após a publicidade
Publicidade