Especial férias: revisar esses itens antes de pegar a estrada é essencial

Não descuide do seu veículo: uma simples revisão pode fazer toda a diferença entre uma viagem tranquila ou cheia de problemas

 (Mauricio Planel/Arte/Quatro Rodas)

REVISÃO PRÉ-VIAGEM

Freios

É um dos itens mais importantes de um carro que vai viajar. Por isso, verifique o fluido de freio, que deve estar no nível normal, tanto para freios a disco como a tambor.

É importante que um mecânico cheque a situação das mangueiras, que não devem estar ressecadas ou com vazamentos.

Veja também se as pastilhas não estão muito desgastadas, o que deixa o pedal de freio muito “baixo” e pode piorar seu desempenho.

Pastilhas de freio são componentes que fazem parte da manutenção preditiva do veículo

Pastilhas de freio são componentes que fazem parte da manutenção preditiva do veículo (Silvio Gioia/Quatro Rodas)

Sistema de arrefecimento

Ele precisa funcionar bem para que o motor não superaqueça. Quando os motoristas dizem que “o motor ferveu”, uma das principais razões é a falta de aditivo no líquido do sistema de arrefecimento.

Por isso, é preciso trocá-lo no período recomendado pelo fabricante e utilizar a proporção correta de água e aditivo. Duas lições básicas: verificar o nível de água do radiador e observar a temperatura do painel durante a viagem.

ÓLEO E OUTROS

Fluidos

Confira também o nível e a validade do lubrificante do motor e do câmbio e do fluido da direção hidráulica e embreagem. Veja também seus respectivos filtros. Se o prazo de troca estiver próximo, melhor trocar antes.

Pneus

Quatro áreas de poucos centímetros de borracha mantêm o carro na pista. Portanto, é fundamental que os pneus estejam perfeitos e na pressão indicada pelo fabricante – e não se esqueça de calibrar o estepe.

Os sulcos da banda de rodagem não podem ter menos de 1,6 mm, pois abaixo desse nível podem aquaplanar com facilidade e tirar o carro da estrada numa chuva, além de renderem multa (R$ 195,23 e 5 pontos na CNH).

Confira o indicador de desgaste de rodagem – pequena elevação de borracha entre os sulcos com as letras TWI. Bolhas também são sinais de que os pneus devem ser substituídos.

Pneu em fim de vida ao lado de um novo: diferença visível

Pneu em fim de vida ao lado de um novo: diferença visível (Renato Pizzuto/Quatro Rodas)

Suspensão e rodas

Mais que o conforto, a suspensão garante a estabilidade do veículo. Ruídos estranhos indicam que alguma peça pode estar solta.

É fácil perceber se as rodas precisam de alinhamento e balanceamento: se a direção vibrar, as rodas estão desbalanceadas; se puxar para um lado, estão desalinhadas.

Fique atento a amassados em rodas de aço, pois o ar pode escapar. Mas o conserto é simples, feito numa borracharia. Já nas rodas de liga leve é preciso trocar se houver alguma parte quebrada ou trincada.

Sistema elétrico

Esse sistema é formado por bateria, cabos condutores, luzes e alternador. Checar a validade da bateria é um cuidado básico para não sofrer uma pane elétrica, mas uma visita ao autoelétrico pode indicar como está sua vida útil.

Verifique também se os faróis, as lanternas, as luzes das placas, as luzes de ré, de freio e os demais sinais luminosos estão funcionando bem.

Oficina mecânica Oficina mecânica

Oficina mecânica (Acervo/Quatro Rodas)

Limpadores

Mesmo que não haja previsão de chuva, o ideal é trocar as palhetas dos limpadores do para-brisa se estiverem ressecadas. Na dúvida, faça um teste na sua garagem.

CUIDADOS NA VOLTA

É bom verificar o filtro de ar se você rodou em estradas de terra e ver se algum buraco danificou rodas e/ou pneus.

Faça uma lavagem completa depois de voltar do litoral, pois os efeitos da maresia podem corroer peças importantes do veículo e até furar o escapamento. A água salgada e a areia atacam a pintura e pontos pouco visíveis na parte inferior do carro.

Após o contato com a maresia, analise as peças de borracha, como palhetas do limpador, coifas dos amortecedores e da alavanca de câmbio, e terminais elétricos e conexões, principalmente da bateria.

O QUE NUNCA FAZER

Nem pense em lavar o motor em casa após a viagem (e nem antes) com jatos de água. Isso pode danificar sistemas eletrônicos. Se a sujeira do motor incomoda, vá a uma empresa especializada nesse serviço.

E nada de verificar o nível do óleo assim que chegar a um posto: com o motor quente, parte do óleo estará dispersa nas partes altas. É preciso esperar alguns minutos para que o lubrificante desça até o cárter.

Muito cuidado para não rodar com os pneus descalibrados. Se a pressão estiver muito baixa, o carro pode inclinar demais e a suspensão não terá curso para manter a roda no chão.

Por outro lado, muita pressão desgastará a banda de rodagem e desalinhará o veículo.

E não calibre quando os pneus estiverem quentes. Como o ar se dilata com o aumento da temperatura, uma calibragem feita a quente significará perda de pressão quando o ar resfriar.

Por fim, nunca rode sem os equipamentos obrigatórios (triângulo, chave de roda, macaco, estepe e cinto de segurança), pois isso pode resultar em infração grave com 5 pontos na carteira e multa de R$ 195,23, além da retenção do veículo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s