Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

VW ID.Buzz: dirigimos a Kombi do futuro que já faz parte do presente

Utilitário elétrico se inspira no visual clássico, mas passa longe de ter a mesma capacidade de carga da velha Kombi

Por Joaquim Oliveira/ Press-Inform Atualizado em 6 abr 2022, 16h55 - Publicado em 6 abr 2022, 16h29

Subo para o banco do motorista e noto a posição de dirigir muito vertical, assim como o para-brisa. Não há dúvida de que o espírito as formas da velha Kombi estão ali. Mas agora o motorista não fica tão próximo ao vidro e com as pernas quase no limite da carroceria, como antes. Então, nossa avaliação começa com um agradecimento às exigentes normas de segurança atuais.

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

Estamos ao volante do ID. Buzz – Kombi elétrica, para os íntimos. A Volkswagen foi buscar ingredientes de um passado cheio de emoções para preparar uma receita de sucesso. Do lado de fora, há sempre celulares apontados para a novidade. Isso se deve ao fato de que na Europa ela está para chegar, e também porque andamos em uma unidade disfarçada com uma divertida camuflagem colorida.

volkswagen_id._buzz
Divulgação/Volkswagen

 

Nosso test-drive ocorreu alguns dias antes da revelação mundial, em 9 de março. Mas as imagens mostradas aqui já são as oficiais, sem disfarces.

Logo nas primeiras centenas de metros na zona portuária de Hamburgo, na Alemanha, com estradas estreitas e maltratadas, a nova Kombi começa a somar pontos, tanto pelo fato de sua carroceria dar mostras de boa rigidez como pelo razoável conforto proporcionado pela suspensão. Ou ainda pelo ótimo silêncio de rolamento. Nisso, ela está muito à frente do modelo original, com seu motor boxer a ar, que reverberava seu som metálico por todo o interior.

volkswagen_id._buzz frente
Divulgação/Volkswagen

Quando deixou de ser produzida no Brasil, em 2013, a Kombi 1.4 flex tinha 80 cv e 12,7 kgfm (com etanol). Pois agora o motor elétrico gera 204 cv e 31,6 kgfm. E a bateria de 82 kWh tem a promessa de autonomia superior a 400 km. (Em rodovias, já sabemos que ela deverá ficar na faixa de 300 km).

volkswagen_id._buzz lateral
Maior que a Kombi, o ID. Buzz mede 4,71 metros de comprimento Divulgação/Volkswagen

Mas não pense que ela leva vantagem em tudo sobre a “Velha Senhora”. Apesar do enorme entre-eixos (2,99 metros), a capacidade é para cinco ocupantes, em duas filas de bancos. O modelo original transportava nove pessoas em suas três filas de assentos. Portanto, guarde na memória aquelas imagens em que ela levava a criançada para a escola, o time para jogar bola e os amigos para pescar. Trabalhar na feira fritando pastel ou moendo cana, nem pensar. A capacidade de carga agora é de 650 kg, bem menos que os 1.000 kg do passado.

O design é claramente inspirado no modelo dos anos 1950/60, especialmente a frente. Mas, com 4,7 metros, a nova Kombi é muito maior que a antiga. São cerca de 30 cm a mais na largura e 45 cm no comprimento. Há sete opções de cores, quase todas bastante vivas (como o Amarelo Lima, o Laranja Enérgico e o Azul Luz de Estrelas). É possível combinar dois
tons, como na clássica “saia e blusa”.

ID.Buzz traseira sem camuflagem
O comprador pode optar por pintura “saia e blusa” Divulgação/Volkswagen

Em curvas, dá para perceber que o ID. Buzz não é especialmente ágil, e nem poderia ser, tendo em vista suas proporções e peso (mais de 2 toneladas). Mas, como em todos os elétricos, qualquer sprint curto é feito com enorme rapidez.

volkswagen_id._buzz
Na frente, está o maior ponto de identificação com sua antecessora Divulgação/Volkswagen

É fácil esquecer o pedal da esquerda e acelerar e frear apenas com o da direita, no nível mais elevado de recuperação de energia, que também ajuda a ampliar a autonomia. O diâmetro de giro, de apenas 11,1 metros, impressiona para um veículo tão longo.

Continua após a publicidade

Em vias mais rápidas, o desempenho perde brilho, especialmente na Alemanha. Se a velocidade máxima de 145 km/h será mais do que suficiente na maior parte do planeta, em seu país natal ela está sendo um pouco criticada. Isso porque os alemães temem fazer papel de tartaruga quando entrarem em uma Autobahn.

Interior Personalizável

volkswagen_id._buzz
Na cabine, pode-se combinar peças e elementos de cores diferentes Divulgação/Volkswagen

A cabine é versátil. É possível combinar peças e elementos de cores distintas. O banco traseiro é bipartido e rebatível em duas partes assimétricas (1/3-2/3), e ele corre longitudinalmente em até 15 centímetros (para aumentar o espaço para pernas ou o porta-malas). Os encostos podem ser completamente rebatidos, elevando a capacidade para bagagem a 2.205 litros.

Falando em espaço, haverá ainda uma versão comercial, Cargo. Nesse caso, o banco dianteiro acomoda três ocupantes, e o restante do salão de 3,9 m2 na traseira fica reservado à carga.

 

volkswagen_id._buzz
Divulgação/Volkswagen

A instrumentação concentra-se em uma pequena tela de 5,3”, igual à dos outros modelos da família ID. Inicialmente, há apenas um nível de acabamento (Pro), que incluirá de série itens como rodas de liga leve de 19”, duas portas de correr (uma de cada lado), iluminação que projeta no chão o logotipo da marca ao abrir ou fechar o carro, sensores de proximidade dianteiros e traseiros, controle climático bizona e sistema multimídia com tela de 10”. Espalhadas pela cabine, podem existir até oito entradas USB, uma delas ao lado do retrovisor interno (para conectar uma câmera, por exemplo).

Entre os opcionais, há um sistema de iluminação ambiente com 30 cores (em vez de dez, de série), rodas de 20 polegadas, bancos dianteiros elétricos e aquecidos e até auxiliar de estacionamento.

volkswagen_id._buzz painel
Quem dirigiu a Kombi reconhece a posição ao volante Divulgação/Volkswagen

A plataforma é a mesma MEB dos demais Volkswagen ID. A bateria (fornecida pela sul-coreana LG Chem) tem a mesma capacidade da encontrada nos irmãos (82 kWh brutos e 77 kWh utilizáveis), mas com algumas alterações para permitir recarga mais elevada em corrente contínua (CC). Em carregador de 170 kW, a recuperação de 5 a 80% se dá em 30 minutos, segundo a fabricante. O carregamento com corrente alternada (CA) continua indo até 11 kW. Futuramente, haverá uma versão 4×4 com mais potência. Na Buzz Cargo a bateria será menor (58 kWh).

volkswagen_id._buzz porta-malas
Divulgação/Volkswagen

Por meio do sistema Plug & Charge, o ID. Buzz e a estação de carregamento se reconhecem sem necessidade de acessar aplicativo ou tocar na tela do posto de carga, similar ao que ocorre com os Tesla. Há também o carregamento bidirecional, por meio do qual o carro é capaz de “devolver” eletricidade para a residência.

ID.Buzz detalhe
Além da identificação explícita da família, há easter eggs espalhados pelo carro Divulgação/Volkswagen

Na Europa, as encomendas podem ser feitas a partir de maio, com entregas previstas para o final do ano. O preço estimado é de 60.000 euros. Para os EUA, ela deverá chegar apenas
em 2024, com entre-eixos mais longo (capaz de transportar seis ou sete pessoas) e até um possível nome exclusivo (embora não oficial): ID. California.

ID.Buzz detalhe smile
Divulgação/Volkswagen

E o Brasil? Oficialmente, não existe nada definido sobre a chegada da perua. Porém, a julgar pelo volume de informações que a marca alemã vem divulgando no país em suas redes sociais (algo incomum para um produto que não é comercializado localmente), é de se supor que em algum momento ela virá. A Kombi foi o primeiro carro produzido pela Volkswagen no Brasil, em um galpão no bairro do Ipiranga, nos anos 1950. Com a versão elétrica, a história teria uma bela continuação.

Veredito

O ID. Buzz agradou no primeiro contato. Mas, se não tivesse agradado, ainda assim seria bem-vindo, por conta do legado deixado por seu antepassado, a VW Kombi.

volkswagen_id._buzz traseira
Divulgação/Volkswagen

Ficha Técnica – Volkswagen ID.Buzz

  • Preço: 60.000 euros (estimado)
  • Motor: elétrico; 204 cv e 31,6 kgfm; baterias de íons de lítio de 77 kWh; tempo de recarga, 30 min (até 80%,em 170 kW)
  • Câmbio: automático, 1 m., tração traseiradireção: elétrica; diâmetro de giro, 11,1 m
  • Suspensão: McPherson (diant.), multilink (tras.)
  • Freios: disco ventilado (diant.), tambor (tras.)
  • Pneus: 235/60 R19 (diant.), 255/50 R19 (tras.)
  • Dimensões: comprimento, 471,2 cm; largura, 198,5 cm; altura, 193,7 cm; entre-eixos, 298,8 cm; peso, 2.200 kg; porta-malas, 1.121/2.205 l
Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo da QUATRO RODAS! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

App QUATRO RODAS para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês