Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Lancia Delta será relançado como carro elétrico em 2026

O hatch italiano foi um sucesso na Europa nos anos 80 é o primeiro modelo anunciado pela marca para sua reestruturação

Por João Vitor Ferreira 7 out 2021, 20h21
lancia delta
O Delta original era bem diferente da lenda dos ralis, mas nem por isso era menos bonito divulgação/Quatro Rodas

No ano em que completa seu 115º aniversário, uma das mais tradicionais fabricantes italianas, a Lancia, resolveu surpreender a todos com uma grande surpresa. Em entrevista ao site Corriere Della Sera, o CEO da empresa que pertence ao grupo Stellantis, Luca Napolitano, confirmou que o hatch Delta será ressuscitado em 2026.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Apresentado na Europa em 1979, o Lancia Delta se tornou um sucesso, chegando até a ganhar o prêmio de Carro do Ano em 1980. O auge do hatch durou até 1994, quando sua segunda geração teve fim. Uma terceira foi lançada em 2008 e durou até 2014. Entre as versões mais famosas, está o esportivo Delta HF Integrale, maior campeão de rali da história.

Seguindo o modelo das montadoras europeias, é claro que o novo Delta também será elétrico. Mas isso não significa que ele perderá suas origens. “Todo mundo quer o Delta e não pode faltar em nossos planos. Ele voltará e será um verdadeiro Delta: um carro empolgante, um manifesto de progresso e tecnologia. E, claro, será elétrico.”, explica Napolitano.

Lancia Delta HF Integrale
As versões esportivas do Lancia Delta, com o Integrale, se tornou um multicampeão dos circuitos de rali durante a década de 80 e início dos anos 90 ALESSANDRO CERRI/Quatro Rodas

O fato é que o anúncio pode marcar uma nova era para a Lancia. A marca estava com atuação limitada apenas na Itália, onde vendia um único veículo, o compacto Ypsilon. Para esse modelo, o CEO anunciou que uma atualização está marcada para sair em 2024, esse que será também seu último modelo a combustão. A Lancia produzirá somente veículos elétricos a partir de 2026.

  • traseira Lancia Delta
    Napolitano diz que a Lancia está dando o “primeiro passo num caminho acelerado para uma mudança radical, para devolver credibilidade à marca no mercado premium” Lancia/Divulgação

    “Vamos construir carros com grande sentido de responsabilidade para com o mundo em que vivemos, visto que os nossos clientes querem uma condução limpa, e a revolução para a eletricidade pura está em linha com a nossa tradição de grande inovação tecnológica”, explica Napolitano.

    Com a reformulação, Napolitano espera formar uma nova base de clientes. A marca deve apostar no público masculino de idade um pouco mais avançada, “um cliente mais moderno e europeu”, como descreveu o CEO.

    Lancia Delta terceira geração
    Terceira geração do Lancia Delta foi criado em 2008 e teve seu fim seis anos depois Lancia/Divulgação

    As mudanças virão não só para os carros, mas também para o setor de vendas da Lancia. O objetivo da empresa é expandir para outros países da Europa. Para isso, outras duas marcas da Stellantis, Alfa Romeo e DS, ajudarão a Lancia a formar uma nova rede de concessionárias. Primeiramente, o foco é no Velho Continente e não há nenhuma confirmação se o novo Delta será vendido em outros mercados, como os Estados Unidos. 

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

    Capa 749
    Arte/Quatro Rodas
    Continua após a publicidade
    Publicidade