Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

GWM faz contagem regressiva para fabricar picape híbrida flex em São Paulo

GWM Poer terá mecânica inédita no mundo, marcando início da produção da chinesa no Brasil; planta de Iracemápolis se tornará polo exportador

Por Eduardo Passos
Atualizado em 3 abr 2024, 16h29 - Publicado em 28 abr 2023, 16h19

Já sabemos há um bom tempo que, em 2024, a GWM (Great Wall Motors) iniciará a fabricação de carros no Brasil. Agora, temos uma data: será em 1º de maio do ano que vem que a planta de Iracemápolis (SP) começará sua operação, dois anos e nove meses após ser vendida pela Mercedes-Benz.

O anúncio foi feito pelo vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, que esteve no interior de São Paulo para conhecer as instalações da GWM. O prestígio não é à toa: a agenda do atual Governo coincide com os planos da marca fabricante chinesa, que produzirá apenas carros eletrificados no país.

Fábrica da GWM em Iracemápolis
Fábrica da GWM em Iracemápolis (SP) (Divulgação/GWM)

“Há uma sinergia entre este projeto de desenvolvimento de tecnologia da indústria automotiva brasileira conduzido pela GWM e o pensamento do governo brasileiro”, afirmou Alckmin.

Compartilhe essa matéria via:

Teoricamente, a planta de Iracemápolis tem capacidade de produzir 20.000 carros por ano, mas os chineses almejam expandir em cinco vezes esse número. A ideia é não apenas atender ao mercado nacional, mas tornar a quarta base completa de operação da GWM no mundo um polo exportador para toda a América Latina.

Já há pelo menos uma unidade da Poer no Brasil. Versão nacional, entretanto, terá diferenças sensíveis
Já há pelo menos uma unidade da Poer no Brasil. Versão nacional, entretanto, terá diferenças sensíveis (Divulgação/GWM)

Picape híbrida flex na estreia

Daqui a um ano, o Brasil terá sua primeira picape híbrida flex de fabricação nacional, a GWM Poer, que fará as honras no reinício da fábrica. Seu nome pronuncia-se “póuer” e uma unidade foi exibida com camuflagem parcial no evento, sugerindo que a versão brasileira da caminhonete terá um facelift a fim de se adequar melhor ao gosto do consumidor local.

Vendida na Ásia e Oceania, Poer também é chamada de Pao ou Ute a depender do mercado
Vendida na Ásia e Oceania, Poer também é chamada de Pao ou Ute a depender do mercado (Divulgação/GWM)

Com base na Poer vendida no Oriente, sabemos que a futura picape média nacional tem tamanho bem parecido com referências do segmento de picapes médias. São 5,36 m de comprimento e 1,88 m de largura, com versões a diesel levando até 1.050 kg de carga na Austrália, por exemplo.

Continua após a publicidade
Eletrificação servirá para incrementar capacidade off-road da caminhonete média
Eletrificação servirá para incrementar capacidade off-road da caminhonete média (Divulgação/GWM)

Em termos estéticos, espera-se modificações semelhantes às do Haval H6, que perdeu adereços cromados e ganhou aspecto mais esportivo. Em termos mecânicos, porém, tudo parece um grande segredo.

Isso porque certamente a GWM Poer terá um conjunto mecânico inédito aqui. É natural que os números superem o topo de linha a combustão vendido no exterior, com potência e torque indo além dos 300 cv e 50 kgfm. A depender das escolhas do time de engenharia, o modelo pode trazer soluções engenhosas, como tração integral sem cardã e capacidade de rodar apenas com o motor elétrico funcionando.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.