Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Europa sofre com expansão de elétricos chineses e diminui incentivos

Apoio a carros elétricos está prejudicando o mercado europeu, por conta disso, diversos países estão diminuindo seu auxílio ou acabando com ele

Por Bruno dos Santos
7 dez 2022, 19h10

Os incentivos dados pelos países europeus aos carros elétricos se tornaram um problema e já começaram a ser revistos, de olho na crise econômica enfrentada pela Europa, especificamente no setor de energia. Além da crise, porém, a ameaça sentida após o anúncio de uma avalanche de carros elétricos chineses para o continente ligou o alerta vermelho. 

A Alemanha já havia reduzido os incentivos durante este ano, uma vez que os elétricos já se tornaram comuns por lá, por questões de mercado e poder aquisitivo, mas já estuda eliminar os subsídios nos próximos anos. A Suécia também cessou os auxílios, assim como o Reino Unido, que passou a cobrar impostos iguais aos cobrados para carros a combustão.

Caoa Chery iCar
Caoa Chery iCar (Divulgação/Caoa Chery)

O mais recente caso de revisão dos planos vem da França, logo após os chineses mostrarem a sua força com diversas opções de elétricos movidos a bateria e a hidrogênio, e com preços abaixo dos modelos europeus. Atualmente, os incentivos franceses para a compra de um elétrico pode chegar a 7.000 euros, desde que o veículo não ultrapasse os 47.000 euros.

Em 2023, este o bônus será reduzido a 5.000 euros e poderá ter uma segunda restrição, que promete ser polêmica. A proposta é de que a medida valha apenas para elétricos produzidos na Europa, a fim de valorizar o mercado europeu ou, talvez, incentivar a instalação de novas fábricas no Velho Continente.

JAC e-J7
JAC E-J7 (Divulgação/JAC)
Compartilhe essa matéria via:

Enquanto o ministro das finanças francês, Bruno Le Maire, resiste sobre a possibilidade, o presidente da França, Emmanuel Macron, dá forças à ideia. “Defendo fortemente uma preferência europeia nesta área e um forte apoio à indústria automotiva, devemos assumir isso e deve acontecer o mais rápido possível”, disse o chefe de estado.

Além disso, Macron usou os Estados Unidos como exemplo, dizendo que os americanos têm seguido uma estratégia bastante ofensiva e protegendo seu mercado, assim como os chineses fecham seus mercados para si. “Não podemos ser a única área, a mais virtuosa em termos climáticos, que considera que não há preferência europeia”, reforçou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.