Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Etanol agride mais bicos e bombas de motores com injeção direta?

A questão não é o etanol, mas a água misturada nele: os componentes dos motores precisam lidar com essa adversidade

Por Leonardo Barboza
17 dez 2023, 05h00
Por que o etanol agride mais os bicos injetores e a bomba de alta pressão na injeção direta?

Luis Alfredo, Jaboticabal (SP)

O etanol no Brasil permite que haja até 7,5% de água na sua composição, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), e isso não ocorre com a gasolina, mesmo com os 27% de álcool anidro na sua formulação.

De acordo com o engenheiro Fábio Ferreira, diretor de produtos da Bosch, essa característica exige que os componentes sejam desenvolvidos e aplicados de forma especial, pois a água pode causar desgaste prematuro ou corrosão. Dessa forma, isso fica mais crítico para as altas pressões de trabalho dos motores a injeção direta.

Máquina de ultrassom que faz limpeza nas válvulas injetoras.
A vazão dos bicos injetores é testada em banco de provas (Divulgação/Quatro Rodas)

“Assim, somente componentes liberados para esse combustível devem ser usados nos motores”, afirma. Vale destacar ainda que existe adulteração de combustíveis, o que pode levar a um teor maior de água que o permitido ou até mesmo misturas com outros agentes que agridem os materiais, podendo gerar falhas.

Motores com injeção direta ou a diesel têm mais problemas de carbonização?

José Luiz Salvador, por e-mail

Continua após a publicidade

Na verdade, os veículos com injeção direta (incluindo todos os motores a diesel modernos) possuem menos tendência à carbonização das válvulas. Nesses sistemas, o combustível é injetado diretamente na câmara de combustão e não passa pelas válvulas de admissão.

A maneira mais eficaz de prevenir a carbonização das válvulas é manter a manutenção em dia, trocar filtros e óleo de motor sempre dentro do prazo e utilizar o mesmo grau de viscosidade e qualidade (API) recomendado pelo fabricante.

O preço do desleixo

O uso do óleo correto é essencial para a durabilidade de qualquer motor
O uso do óleo correto é essencial para a durabilidade de qualquer motor (Reprodução/Quatro Rodas)

A carbonização das válvulas pode ocorrer de duas maneiras. A mais comum é o acúmulo de resíduos provenientes do combustível não queimado.

Continua após a publicidade

Esse é o tipo do qual os motores de injeção direta estão quase imunes, pois o líquido vaporizado não passa pela válvula antes de entrar no cilindro.

Outra situação é quando o óleo escorre pelo retentor da válvula ou se acumula a partir do excesso de vapor na recirculação. Essa situação é muito comum quando o proprietário se descuida da manutenção ou opta por um óleo mais barato (e fora da especificação recomendada).

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.