Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Correio técnico: os bicos de injeção direta e indireta são iguais?

A função dos componentes é a mesma, mas sua aplicação exige características distintas

Por Rodrigo Ribeiro Atualizado em 1 out 2021, 15h22 - Publicado em 4 mar 2019, 09h00

Os bicos dos motores com injeção direta são semelhantes aos utilizados em motores com injeção indireta? – William Veríssimo Ribeiro, São Paulo (SP)

Os bicos de injeção indireta (azul) pulverizam o combustível no coletor de admissão; os de injeção direta (vermelha) fazem isso diretamente dentro do cilindro
Os bicos de injeção indireta (azul) pulverizam o combustível no coletor de admissão; os de injeção direta (vermelha) fazem isso diretamente dentro do cilindro Reprodução/Internet

O conceito é o mesmo, mas são componentes distintos.

O bico injetor é uma válvula do tipo solenoide que libera uma quantidade precisa de combustível no coletor de admissão (injeção indireta) ou dentro da câmara de combustão (injeção direta).

Isso, por si só, já exige peças distintas, devido à diferença da pressão e temperatura da combustão.

Motor 2 litros turbo da Audi tem injeção direta e gera 286 cv
Os motores atuais da família EA888 2.0 do Grupo Volkswagen usam os sistemas de injeção direta e indireta simultaneamente Pedro Bicudo/Quatro Rodas

A injeção direta trabalha com uma pressão muito superior: de 150 a 200 bar (em motores de ciclo Otto) contra 3 a 4 bar em sistemas com injetores indiretos.

Continua após a publicidade

Essas diferenças refletem no preço: é comum que os bicos da injeção direta, que precisam ser mais resistentes, custem o dobro dos convencionais.

Só no bico

Os injetores dos motores diesel são responsáveis por acelerar o propulsor
Os injetores dos motores diesel são responsáveis por acelerar o propulsor Vicente Schimitt/Quatro Rodas

Uma curiosidade é que os bicos injetores de motores a diesel são os responsáveis por acelerar ou desacelerar o motor. Nesses propulsores a ignição é feita pela compressão da mistura ar-combustível, e não por centelhamento.

Isso faz com que não seja necessária uma borboleta para controlar a rotação do motor. Ao invés dela, motores a diesel aumentam ou reduzem o volume de combustível injetada na câmara de combustão.

O efeito colateral disso é que, em casos extremos, o motor a diesel pode disparar, ou seja, acelerar sem controle. Esse tipo de situação é rara e normalmente acontece em motores que não passaram pela manutenção adequada.

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo de QUATRO RODAS. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.


a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)