Clique e assine com até 75% de desconto

Deixar o carro estacionado com as rodas esterçadas é ruim?

O problema não é parar com a roda virada, é até onde você vira antes de parar

Por Redação Atualizado em 17 jun 2018, 15h30 - Publicado em 8 mar 2016, 12h10

Volante - Mercedes A

Há algum problema em deixar o carro estacionado com as rodas esterçadas? Disseram que nessa posição o sistema hidráulico fica forçado, diminuindo sua vida útil. – Eliakim Rozendo Seleguim, Rio Brilhante (MS).

Respondendo objetivamente à sua pergunta: não existe problema para a assistência hidráulica nessa situação porque, quando o automóvel está estacionado, o sistema está desligado e despressurizado.

O problema na verdade está antes. Ao manobrar, o motorista não se deve continuar esterçando quando o volante chega ao fim do batente, pois nessa condição ele pode aplicar uma força excessiva em parte das peças da direção, da suspensão dianteira e do sistema hidráulico, que ainda está pressurizado e produzindo torque, mas sem que haja o movimento das rodas.

Uma situação específica que envolve mais cuidado é o hábito de deixar o veículo estacionado com as rodas viradas na direção da guia, em aclives ou declives – uma espécie de backup caso o freio de estacionamento falhe.

reprodução/Internet

Só que isso pode ser bem prejudicial para o carro. Caso ele receba algum peso (como um totozinho do carro que estaciona na vaga acima), todo o esforço terá de ser suportado pelos conjuntos de suspensão e direção em uma situação de estresse para a qual eles não foram projetados: o carro parado, com as rodas esterçadas e um dos pneus já encostado na guia.

  • Isso pode causar danos imediatos na coluna de direção, eixos, amortecedores e rodas. E se o carro estiver engatado (outra prática comum, feita com o mesmo objetivo), o câmbio também pode ser danificado.

    Se o freio de estacionamento de seu automóvel estiver com a manutenção em dia e sem sinais de mau funcionamento, pode confiar nele – é suficiente. Mas se mesmo assim você prefere ter uma garantia a mais de que o carro não irá se mover, é bom conhecer os riscos envolvidos.

    Continua após a publicidade
    Publicidade