Clique e assine por apenas 8,90/mês

Correio técnico: bater a porta pode provocar algum dano no carro?

A extensão do estrago depende da força e até do tipo da janela

Por Rodrigo Ribeiro - 25 jun 2019, 07h00
Virtus Highline TSI
POs cuidados com as portas se estendem para o porta-malas Divulgação/Volkswagen

Bater a porta pode provocar algum dano? – Carolina Faria, Rio de Janeiro (RJ)

Só se o vidro estiver parcial ou totalmente aberto, e mesmo assim se bater com muita força. Quando a janela está fechada, os trilhos laterais e superior seguram o conjunto, o que não ocorre quando o vidro começa a descer.

Ao fechar a porta com força, todo o conjunto recebe uma vibração, que é transmitida ao vidro.

Com menos apoio, ele é capaz de sair do trilho, exigindo um reparo que pode necessitar até do desmonte parcial da porta.

Continua após a publicidade
Audi Q8
As portas sem batentes exigem cuidados extras. Um mecanismo de proteção abaixa parte do vidro ao abri-las Divulgação/Audi

Os outros componentes, como alto-falante e travas, porém, são projetados para aguentar dezenas de milhares de fechamentos, inclusive os feitos por quem confunde seu automóvel com uma geladeira.

Em veículos que não possuem batentes do vidro, um mecanismo de proteção do motor elétrico abaixa a janela alguns milímetros para removê-la da borracha superior e evitar danos.

Alguns carros possuem até protuberâncias na coluna B para amortecer o impacto da porta contra a carroceria.

Se o veículo for blindado, porém, o assunto é mais grave: fechar a porta deles com a janela aberta é garantia de danos ao caro (e pesado) vidro reforçado.

Continua após a publicidade

Neste situação o menor dos problemas é a janela sair do trilho, que pode exigir desde a recolocação da peça até troca da borracha dos batentes. No pior dos cenários o vidro pode quebrar, exigindo sua troca.

Tem outras dúvidas? Envie sua pergunta para correiotecnico@abril.com.br!

Publicidade