Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como funcionam os amortecedores eletromagnéticos dos carros esportivos?

Suspensão eletronicamente ajustáveis uniram os dois mundos: cidade e autódromo. Mas como ela funciona?

Por Leonardo Barboza Atualizado em 10 Maio 2021, 09h37 - Publicado em 10 Maio 2021, 08h39
Audi R8
Com os ajustes de suspensão do Audi R8 você consegue andar com relativo conforto na cidade e extrema performance na pista Fernando Pires/Quatro Rodas

Gostaria de saber como funcionam os amortecedores eletromagnéticos que equipam os esportivos? – Bruno Rofino Dos Santos, Cajamar (SP)

Os amortecedores com gerenciamento eletrônico possuem algumas mudanças em sua forma construtiva. Podemos destacar a adição de um pó metálico ao óleo interno e um atuador fixado ao corpo do amortecedor como principais diferenças na comparação com um amortecedor convencional.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90 

Info
Divulgação Audi/Divulgação

De acordo com o coordenador técnico, Alexandre Parise, da empresa KYB do Brasil, este atuador recebe um sinal das centrais eletrônicas que monitoram o chassi do veículo ou do sistema de seleção do modo de condução.

  • Como resposta a esses sinais, o atuador permite que a bobina gere um campo magnético capaz de reagrupar as moléculas metálicas misturadas ao óleo, ajustando, assim, a dificuldade desse fluido passar nas válvulas internas do amortecedor.

    O resultado será um veículo mais estável ou mais confortável, dependendo do tipo de piso ao qual é submetido ou da escolha que o motorista fez no seletor de modos de condução.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Capa Quatro Rodas 744 Abril 2021

    Continua após a publicidade
    Publicidade