Clique e assine por apenas 8,90/mês

Punto T-Jet: receita das antigas

Lançado em 2009, o T-Jet foi um dos primeiros compactos a se transformar em hot hatch. Mas ainda hoje é um adversário difícil de superar

Por Ulisses Cavalcante - Atualizado em 15 mar 2018, 14h10 - Publicado em 11 fev 2016, 15h25

Punto Essence x Punto T-Jet

O Punto está à própria sorte. Por ora, o modelo não aparece entre as prioridades da Fiat. Mesmo assim, preserva boas qualidades e fãs, apesar da idade. Sem alterações desde 2012, quando a última reestilização foi apresentada, não é mais possível esconder a idade. Mas o visual da versão T-Jet ameniza as rugas do Punto Essence 1.6 – a configuração comportada escolhida para comparar e destrinchar a receita de preparação da marca.

O primeiro Punto turbinado chegou ao Brasil há seis anos. Em Betim, o assunto turbo não é um tabu. Tanto é que a linha T-Jet ganhou peso: se estendeu ao Linea e ao Bravo, fazendo jus a um histórico notável desde os anos 90, com os já falecidos Uno, Tempra e Marea.

A parte mecânica do Punto T-Jet carrega o mesmo porém do estilo: o pequeno motor 1.4 16V turbinado – e importado da Itália –não passa por atualizações desde que estreou. Dotado de 152 cv, só consome gasolina e não conta com tecnologias presentes nos propulsores mais novos, como injeção direta e comando variável. Nem a transmissão de cinco marchas foi atualizada – e deveria, pois o Bravo T-Jet conta com uma caixa de seis velocidades.

Continua após a publicidade

Punto Essence x Punto T-Jet

Ao volante, o motorista conta com um seletor à frente da alavanca do câmbio – algo que o Essence não tem. Trata-se de um botão que controla três programas de ajuste da central eletrônica do motor. Os modos Dynamic, Normal e Autonomy deveriam, teoricamente, deixar o Punto mais esperto na primeira opção. Na prática, porém, não é o que acontece. Nos testes de aceleração, fomos da inércia aos 100 km/h em 9,1 segundos utilizando o modo Autonomy (que deveria ser o mais manso, já que privilegia o consumo de combustível). Em contrapartida, foi no Dynamic que obtivemos o melhor resultado no consumo rodoviário, marcando 13,3 km/l. Com o programa Autonomy acionado, a média caiu para 12,7. Na média das passagens, ficamos em 13,1 km/l. O Sandero RS 2.0 vai melhor: 14 km/l.

Punto T-Jet

Punto Essence

Continua após a publicidade

Outro sinal da existência do turbo é um indicador gráfico no console. Ele mostra a graduação de pressão da turbina (até 0,9 bar).

Olhando de fora, os detalhes estéticos do T-Jet dão a entender que o carro é mais robusto que as versões “civis”. O segredo está nos spoilers laterais e nos para-choques alargados, cujas caixas de roda se estendem na parte inferior. De frente, as diferenças não são expressivas. É na traseira que o Punto turbo não se faz de rogado. Tem ponteiras duplas de escape, luzes de ré na parte central do para-choque e fendas nas laterais simulando saídas de ar. A Fiat também caprichou nas rodas. São de 17 polegadas, calçadas em pneus 205/50. De série, o Essence tem um conjunto 195/60 R15.

Punto T-Jet

Punto T-Jet

Continua após a publicidade

Atualmente, outro problema do Punto T-Jet é o preço: R$ 75.300. Isso não era um empecilho até o lançamento do Sandero RS. A Renault cobra R$ 16.020 a menos por um automóvel superior, mais equipado e melhor preparado.

Números do teste (com gasolina)
Essence T-Jet
ACELERAÇÃO
0 a 100 km/h: 12,6 s 9,1 s
0 a 1000 m: 34 s – 152,9 km/h 30,5 s – 169,7 km/h
VELOCIDADE MÁXIMA: 184 km/h 203 km/h
RETOMADA
40 a 80 km/h (3ª marcha): 8,6 s 5,8 s
60 a 100 km/h (4ª marcha): 13 s 7,8 s
80 a 120 km/h (5ª marcha): 24,9 s 10,7 s
FRENAGENS
60 / 80 / 120 km/h a 0: 15,9 / 27 / 60,1 m 16,9 / 28,5 / 65,2 m
CONSUMO
Urbano: 10,6 km/l 10,4 km/l
Rodoviário: 13,5 km/l 13,1 km/l
Fichas Técnicas
Essence T-Jet
Preço: R$ 53.820 R$ 75.300
Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1 598 cm3, 117/115 cv a 5 500 rpm, 16,8/16,2 mkgf a 4 500 rpm gasolina, diant., transv., 4 cil., 1 368 cm3, 152 cv a 5 500 rpm, 21,1 mkgf entre 2 250 e 4 500 rpm
Câmbio: manual, 5 marchas manual, 5 marchas
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.) McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: discos ventiulados (dianteira); tambor (traseira) discos ventilados (dianteira); sólidos (traseira)
Rodas e pneus: liga leve, 195/60 R15 liga leve, 205/50 R17
Dimensões: comprimento 406,5 cm; altura 149,3 cm; largura 168,7 cm; entre-eixos 251 cm; peso, 1 210 kg; porta-malas 280l; tanque 60 litros comprimento 406,5 cm; altura 150,1 cm; largura 172,7 cm; entre-eixos 251 cm; peso, 1 263 kg; porta-malas 280l; tanque 60 litros
Equipamentos de série: direção hidráulica, ar-condicionado, volante multifuncional, rodas de liga de 17 pol., bancos de couro (parciais)
Publicidade