Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Longa Duração: porta-malas do VW Virtus é espaçoso, mas abri-lo incomoda

Sedã se destaca como o mais estradeiro da atual frota de Longa, mas apresenta uma incômoda peculiaridade na hora de acessar o bagageiro

Por Péricles Malheiros Atualizado em 27 nov 2019, 12h09 - Publicado em 23 abr 2019, 07h00
Virtus: de passagem por Mucuri (BA) Zeca Chaves/Quatro Rodas

O redator-chefe Zeca Chaves voltou muito bem impressionado de uma viagem que fez entre São Paulo e Itaúnas (ES):

“Depois de ouvir tantos relatos positivos da equipe sobre o comportamento do Virtus na estrada, fiquei com vontade de viajar. Matei a curiosidade na companhia da minha esposa e filha, numa viagem de 2.600 km. De fato, ele conseguiu me surpreender.”

Com entre-eixos de 2,65 metros e porta-malas com volume interno de 521 litros, o Virtus tem bom nível de espaço para pessoas e bagagem.

Porta-malas abres em duas fases Péricles Malheiros/Quatro Rodas

“Minha filha, Sofia, elogiou o banco traseiro não apenas por conta do ótimo recuo em relação aos dianteiros, mas pela presença de uma porta USB que permitiu a ela carregar o celular sem depender das duas entradas frontais, no console e sobre o painel de instrumentos”, conta Zeca.

Mas foi do próprio redator que partiram os elogios à dinâmica. “Apesar de pequeno, o motor casa bem com o câmbio automático de seis marchas. Nas retomadas e saídas de pedágio, mal dava para acreditar que estava num sedã 1.0.

Abertura total é feita manualmente Péricles Malheiros/Quatro Rodas

Mesmo sem dupla embreagem, o câmbio é rápido, o que se traduz em ultrapassagens seguras”, diz Zeca. Já a esposa, Cristiane Morine, destacou o porta-malas: “Não economizamos na bagagem e, ainda assim, sobrou espaço”.

A capacidade, de fato, é elogiável, mas também houve quem criticasse:

Continua após a publicidade

“Ao ser destravada, a tampa abre apenas parcialmente. Para a abertura total, é preciso utilizar as mãos, o que pode ser um incômodo para quem, por exemplo, já estiver segurando um objeto volumoso”, disse o repórter Rodrigo Ribeiro. 

Coincidentemente, nossa garagem estava com um outro Virtus Highline da própria Volkswagen, cedido para teste. “A tampa traseira também abre em dois estágios”, disse o repórter Henrique Rodriguez.

  • VW Virtus – 39.596 km

    • Revisões

    Até 60.000 km

    R$ 1.953 (As três primeiras revisões da versão Highline são gratuitas)

    • Seguro

    R$ 2.346 (Perfil Quatro Rodas)

    • Gasto no mês

    Combustível:
    R$ 1.680

    • Consumo

    No mês: 12,4 km/l com 17,9% de rodagem na cidade
    Desde jun/18: 11,7 km/l com 23,6% de rodagem na cidade

    Ficha técnica

    • Versão: Highline 200 TSI
    • Motor: 3 cil, diant., turbo, inj. direta, transv., 999 cm3, 12V, 128/116 cv a 5.500 rpm, 20,4 mkgf a 2.000 rpm
    • Câmbio: automático, 6 marchas
    • Combustível: flex (gasolina)
    Continua após a publicidade
    Publicidade