Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Jeep Renegade: para-brisa teve de ser trocado

Uma pedrada condena o para-brisa do Renegade. Não fosse o nosso seguro de vidros, o reparo em concessionária custaria até R$ 4.538

Por Péricles Malheiros Atualizado em 23 nov 2016, 21h20 - Publicado em 7 jul 2016, 15h16
Longa Duração: Jeep Renegade
Vidro novo não traz a imagem do jipinho no canto inferior direito

Quase nenhum veículo de Longa Duração atravessa os 60.000 km sem ao menos uma troca de para-brisa – vide o caso mais recente até então, com nosso Audi A3. “Como rodam muito em estrada, os carros da frota constantemente têm o para-brisa danificado (ou mesmo condenado) por pedras arremessadas pelos pneus de outros veículos. Por esse motivo, aqui é regra: o seguro sempre contempla a proteção de danos aos vidros”, explica o editor responsável pelo Longa Duração, Péricles Malheiros.

A vítima da vez é o Renegade. “A pedra atingiu o para-brisa a cerca de 4 cm da borda superior e abriu uma trinca de uns 3 cm. Dois dias depois, a rachadura já estava com uns 15 cm”, conta o redator-chefe, Zeca Chaves, que estava com o Jeep na ocasião.

Na empresa reparadora de vidros Carglass, o técnico deu diagnóstico assim que viu o dano: “A trinca é grande demais. Não tem conserto, só substituição”. Após uma semana de espera, a peça chegou à Carglass. No momento da instalação, o técnico avisou: “Esta é uma peça original, da Mopar, mas ela não traz o desenho do jipinho serigrafado na lateral. Só os vidros instalados em concessionárias é que exibem a imagem”.

Pagamos a franquia de R$ 110, voltamos para sede da Editora Abril e iniciamos uma pesquisa para saber o quanto um reparo semelhante custaria caso não tivéssemos o seguro de vidros. Estendemos a varredura para os SUVs compactos do momento. Começamos pelo próprio Renegade. O susto ficou na variação de preço entre as concessionárias Jeep: na Sinal, R$ 2.473; e na Divena, R$ 4.538.

“Diante de tamanha diferença, confirmei outras duas vezes a cotação na Sinal”, ressalta o piloto de testes Eduardo Campilongo. Na Honda, a variação foi bem menor: o reparo de um HR-V sairia por R$ 1.730 na Daitan e R$ 1.641 na Flora. Se fosse um EcoSport, ficaria mais barato ainda: R$ 1.361 na Caoa e R$ 920 na Mix – ou seja, grande variação de preço também. Mas ninguém superou o Duster: R$ 785 na Sinal e apenas R$ 738 na Itavema.

Jeep Renegade – 52.782 km
CONSUMO
No mês: 6,2 km/l com 69,1% de rodagem na cidade
Desde junho de 2015: 7 km/l com 27,2% de rodagem na cidade
Combustível: etanol
GASTOS NO MÊS
Combustível: R$ 1.002
Franquia de vidro: R$ 110
FICHA TÉCNICA
Versão: Longitude 1.8 16V Flex
Motor: dianteiro, transversal, 4 cil., flex, 132/130 cv a 5. 250 rpm, 19,1/18,6 mkgf a 3.750 rpm
Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
Continua após a publicidade

Publicidade