Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

JAC e-JS1: como é dirigir o carro elétrico mais barato do Brasil

Ele tem a carroceria do antigo JAC J2, mas foi totalmente revisto e atualizado. A dúvida é: vale R$ 149.990?

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 29 jul 2021, 00h54 - Publicado em 15 jul 2021, 18h39
JAC E-JS1
Fernando Pires/Quatro Rodas

Você deixaria de comprar um Honda Civic Touring ou um Volkswagen Taos Comfortline para comprar um carro elétrico com 3,65 m de comprimento? Esse é um dilema possível para os interessados no JAC e-JS1, que estreia no Brasil em outubro mas já está em pré-venda por R$ 149.990.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

QUATRO RODAS teve contato com uma das primeiras unidades importadas, ainda em pré-série. Isso explica, por exemplo, os bocais de recarga no padrão CB/T chinês, raro entre os carregadores públicos disponíveis no Brasil, e o logotipo da marca SOL na traseira. Isso porque, na China, o e-JS1 é vendido como SOL EX10.

Não conhece a SOL? A marca, focada em carros elétricos, surgiu de uma joint-venture entre a JAC e a Volkswagen. A parceria parece ter dado certo, porque a Volkswagen comprou metade das ações da JAC Motors meses depois.

O “toque” da VW no projeto deu resultado. Na comparação com o JAC iEV20, que usa o mesmo chassi, mas tem apelo de “mini-SUV”, com suspensão elevada e estepe pendurado na traseira, o e-JS1 tem acerto de suspensão mais equilibrado e interior com materiais de melhor qualidade e visual mais convidativo.

  • A propósito, o JAC iEV20 seguirá à venda por R$ 159.990. A suspensão elevada seria a principal justificativa para manter dois carros tão parecidos nas lojas.

    Continua após a publicidade

    Outra diferença importante está no motor e nas baterias. O e-JS4 tem 61 cv e 15,3 kgfm, enquanto o irmão mais antigo tem 68 cv e 21,4 kgfm. O iEV20 tem bateria de 41 kWh, o que garante autonomia de 320 km. Enquanto isso, a criação da SOL tem 30,2 kWh mas pode rodar 302 km com uma carga.

    E foi praticamente isso que conseguimos em nosso teste, ainda que em rodovia, rodando a velocidades entre 80 e 90 km/h e com ar-condicionado desligado. A velocidade máxima é de 110 km/h e em nosso teste o carro precisou de 14,3 s para chegar aos 100 km/h.

    A recarga só foi possível em uma tomada doméstica, de 220V. Levou 16h40 para ir dos 8 ao 100%. Não é ruim: quem roda 50 km por dia, por exemplo, só precisaria recarregar o carro aos finais de semana. Mas os carros que serão comercializados poderão ser recarregados em estações de carga rápida, que levam a carga dos 15 aos 85% em 1h, de acordo com a JAC.

    Em resumo, o JAC e-JS1 é um bom carro urbano, com rodar confortável, desempenho interessante e boa autonomia para um elétrico. Mas a cotação do dólar e falta de incentivos fiscais a elétricos pesam: os R$ 149.990 cobrados estão mais para uma barreira do que para uma qualidade do elétrico mais barato do Brasil.

    Ficha Técnica – JAC e-JS1

    • Motor elétrico: 61 cv, 15,3 kgfm
    • Câmbio: aut., 1 marcha, tração dianteira
    • Suspensão: ind. McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
    • Freios: disco ventilado (diant.) disco sólido (tras.)
    • Direção: elétrica, 9 (diâmetro de giro)
    • Pneus: 165/65 R14
    • Dimensões: comprimento, 365 cm; largura, 167 cm; altura, 149,5 cm; entre-eixos, 239 cm; porta-malas, 121 l; Peso, 1.180 kg

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Capa de QUATRO RODAS 746

    Continua após a publicidade
    Publicidade