Comparativo: Fiat Argo Trekking, Ford Ka Freestyle e Toyota Yaris X-Way

No retorno dos aventureiros ao mercado, o novato chama para uma conversa dois concorrentes. Qual deles fala mais alto?

O Argo Trekking só tem câmbio manual, o Ka FreeStyle é mais potente e o Yaris é bem mais caro

O Argo Trekking só tem câmbio manual, o Ka FreeStyle é mais potente e o Yaris é bem mais caro (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Se você tem boa memória, deve se lembrar do meu primo, o Fiorino Trekking. Sabe quem é? Tinha alguns adesivos coloridos, santantônio… enfim, era coisa lá dos anos 90.

Só que agora me disseram que essa fantasia voltou à moda e aqui estou eu – deve ser verdade, porque a QUATRO RODAS até trouxe outros carros meio parecidos para meu primeiro teste na pista. Aliás, me perdoe a falta de educação. Até agora só falei e nem me apresentei: sou o novo Argo Trekking.

O pessoal lá em casa, na fábrica de Betim (MG), prometeu que eu seria um pouco mais barato que esses aventureiros que vieram me visitar.

Você duvida? Minha etiqueta diz R$ 58.990, mas, se você quiser me deixar como nas fotos, com todos os opcionais, terá que pagar R$ 61.280. Para você ter uma ideia, o Ka FreeStyle custa de R$ 64.090 a R$ 67.840. Já o Yaris X-Way nem se mistura: ele custa R$ 78.990.

O modelo da Fiat tem 2,52 m de entre-eixos

O modelo da Fiat tem 2,52 m de entre-eixos (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Eu até pensei que fosse encontrar outros carros parecidos comigo, sei lá, talvez pudesse fazer amizade. Mas um repórter chamado Gabriel Aguiar disse que eles não vieram porque estavam fazendo as malas.

Acredita que HB20X e Onix Activ já vão embora? Pelo menos tem mais gente chegando. Em breve, o Polo aventureiro deve aparecer de vez. Se você não quiser esperar, também pode visitar caras como Caoa Chery Tiggo 2 e Honda WR-V.

Argo Trekking ganhou detalhes escurecidos e molduras da versão HGT

Argo Trekking ganhou detalhes escurecidos e molduras da versão HGT (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O passeio não foi tão longo e só me deixaram ficar dentro da pista de Limeira (SP), onde encontrei os tais Ka e Yaris. Mas até parecia que estava na rua – com lombadas, valetas, trechos de terra e até paralelepípedos.

Meu rival com sotaque baiano ganhou suspensão 2,4 cm mais alta, enquanto o (quase) japonês não teve mudança. E quer saber? Minha suspensão subiu 2,2 cm, mas também sou o único com pneus de uso misto e, com isso, fiquei 4 cm mais alto.

Na opção aventureira do Argo, a central multimídia vem de série

Na opção aventureira do Argo, a central multimídia vem de série (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O repórter que veio escrever a meu respeito elogiou minha suspensão. E, modéstia à parte, não deixei passar quase nenhum solavanco para dentro da cabine. Bem que minha mãe, Fiat, já dizia: o conforto é sempre mais importante que a esportividade.

“Parece muito com o Yaris, mas absorve melhor os buracos”, disse o tal Gabriel. Pelo que ele falou, o Ka é bem mais firme e, por isso, transmite mais batidas secas e até deixa a traseira quicar, dependendo do obstáculo.

Suspensão do Yaris se manteve igual às demais configurações

Suspensão do Yaris se manteve igual às demais configurações (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Enquanto eu ainda estava no estacionamento, ouvi as pessoas cochicharem que minha direção elétrica é molenga. Mas eu faço isso para facilitar as manobras, uai!

Já aprendi que, quando estou um pouco mais rápido, preciso deixar o volante firme para ninguém enjoar (ou ficar com medo) lá dentro – até ouvi o tal repórter elogiando essa mudança. Outra vez, ele disse que o Toyota é bem parecido comigo, enquanto o hatch da Ford é bem mais firme e esportivo.

Modelo da Toyota ganhou adesivos e peças de plástico fosco na carroceria

Modelo da Toyota ganhou adesivos e peças de plástico fosco na carroceria (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Se você é leitor da QUATRO RODAS, provavelmente já conheceu meu irmão, Argo Drive, no Longa Duração. Nós somos muito parecidos, inclusive na mecânica: 1.3 com 109 cv e câmbio manual de cinco marchas são os mesmos. Durante os testes, espiei as anotações do piloto e fiquei decepcionado, porque demorei 13,3 s para chegar aos 100 km/h.

Yaris é o único com ar-condicionado digital e partida por botão

Yaris é o único com ar-condicionado digital e partida por botão (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O Ka FreeStyle, com motor de três cilindros 1.5 com 136 cv, levou 11,9 s – se fosse manual, seriam só 11,1 s. Já o Yaris, com motor 1.5 de 110 cv, precisou de 12,4 s para cumprir a mesma prova. Pelo menos meu consumo na cidade (13 km/l) foi o melhor dos três. E o consumo na estrada? Então… Confesso que com 14,8 km/l meus rivais foram melhores.

Ka tem suspensão elevada, mas manteve os pneus para asfalto

Ka tem suspensão elevada, mas manteve os pneus para asfalto (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Sei que preciso ganhar logo um câmbio automático, mas o pessoal lá na fábrica não fala nada. Eu não gosto de fofocas, mas já me disseram que isso muda ainda neste ano. E você pode até falar que, hoje, meus engates são meio imprecisos.

Mas quer saber? No meu concorrente baiano você só pode trocar as marchas por botões na alavanca. E o Yaris, que nem marchas de verdade tem – é aquela história de câmbio automático variável CVT com borboletas atrás do volante para trocar as sete marchas virtuais.

Como nos rivais, o Ford tem molduras da plástico nas laterais e trilhos no teto

Como nos rivais, o Ford tem molduras da plástico nas laterais e trilhos no teto (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Quando preparei minhas coisas para chegar às lojas, fiz uma lista para não esquecer nada: vidros, travas e retrovisores elétricos, banco do motorista com ajuste de altura, central multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas, faróis de neblina e luzes diurnas de leds. Rodas de liga leve aro 15 e câmera de ré são opcionais…

Putz! Faltaram airbags laterais e de cortina, além do controle de estabilidade, ambos de série no Ford. Pelo menos nenhum aqui tem ajuste de profundidade da coluna de direção – nem mesmo o Yaris, quase R$ 20.000 mais caro que eu e que não justifica essa diferença de preço.

O Ka Freestyle é o único com airbags laterais e de cortina

O Ka Freestyle é o único com airbags laterais e de cortina (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Depois de dirigir por algum tempo, o repórter sentou no banco de trás e foi logo conferindo o espaço. “Nove dedos para joelhos, dois dedos em relação ao teto…”, disse ele. Está pensando o quê, meu filho? Em tamanho, só perco para o Toyota que você dirigiu antes!

Ele falou que o Ka FreeStyle é um pouco menor no entre-eixos, mas compensa com bancos dianteiros mais estreitos – e não adiantou muito, porque ele encostou a cabeça no forro. Pelo jeito, para eu ser perfeito, só faltaram o banco traseiro bipartido do Ford ou aquele assoalho plano do Yaris X-Way.

O Ford é a melhor opção, apesar de não ser o mais barato da reportagem

O Ford é a melhor opção, apesar de não ser o mais barato da reportagem (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Para tentar agradar todo mundo, tenho duas entradas USB: uma para quem viaja nos bancos da frente e outra para quem está atrás. O laranjinha aí das fotos até tentou me copiar, mas colocaram as duas entradas espremidas, bem pertinho da alavanca de câmbio.

O rapaz da QUATRO RODAS só disse que sentiu falta de porta-objetos maiores para deixar o celular e a carteira – mas também ouvi que nenhum de nós três se destacou pelo espaço para objetos na cabine.

Quando me dei conta, o pessoal já estava me escondendo outra vez no baú de um caminhão. Mas deu tempo de prestar atenção no que o repórter disse de mim.

Pelo que escutei, ele me achou bem bonito (principalmente pelos pneus de uso misto). O cara falou que surgiram pelo menos oito aventureiros desde o último ano.

Só faltou uma versão automática e mais itens de segurança para ele ficar mais feliz. Eu também espero que isso aconteça logo. Porque ele disse que, hoje, levaria um Ka FreeStyle para casa…

Avaliação do editor

Motor e Câmbio
Ka tem ótimo desempenho e o câmbio automático muda de personalidade quando a alavanca está no modo Sport.

Dirigibilidade
Argo e Yaris têm foco no conforto, enquanto o Ford aposta na esportividade.

Segurança
O Ka é o único a oferecer airbags laterais e de cortina, além de assistente de partida em rampa.

Seu bolso
Todos têm três anos de garantia, mas a Fiat é a única que permite prolongar o período a custo extra.

Conteúdo
O Toyota tem mais itens de conforto, enquanto Argo e Ka estão equilibrados, com ligeira vantagem para o Ford

Vida a bordo
Mais caro, o Yaris trata melhor quem está a bordo com partida por botão, ar-condicionado digital e assoalho plano atrás.

Qualidade
Argo e Ka têm algumas peças desalinhadas e de aspecto frágil na cabine. Yaris se destaca pela montagem.

VEREDICTO

O Argo Trekking é mais barato que os principais rivais aventureiros, mas falta opção de câmbio automático. Além do estilo agressivo, o hatch é o único do comparativo com pneus de uso misto.

Por outro lado, o Ka FreeStyle é o mais equilibrado, com preços próximos do Fiat e itens de série importantes, como airbags laterais e de cortina, além de oferecer o melhor desempenho dos três.

Por fim, o Yaris tem partida por botão e ar-condicionado digital, mas ele fica devendo equipamentos de segurança.

FIAT ARGO TREKKING

TESTE:

Aceleração:
0 a 100 km/h – 13,3 s;
0 a 1.000 m – 35 s / 147,8 km/h;
Velocidade máxima – n/d.

Retomadas:
3ª 40 a 80 km/h – 8,3 s;
4ª 60 a 100 km/h – 13 s;
5ª 80 a 120 km/h – 23,7 s.

Frenagens:
60/80/120 km/h a 0 – 14/25/59 m.

Consumo:
Urbano – 13 km/l;
Rodoviário – 14,8 km/l.

Ruído interno:
Neutro/RPM máx. – 42,8/72,8 dBA;
80/120 km/h – 64,4/75,6 dBA.

Aferição:
Velocidade real a 100 km/h – 98 km/h;
Rotação do motor a 100 km/h em 5ª – 3.000 rpm;

Volante – 2 3/4 voltas.
Garantia – 3 anos;
Concessionárias – 521.

FICHA TÉCNICA:

Motor: flex, dianteiro, transversal, 4 cilindros, 1.332 cm³, 8 V, 109/101 cv a 6.000/6.250 rpm, 14,2/13,2 mkgf a 3.500 rpm;
Câmbio: manual, 5 marchas, tração dianteira;
Direção: elétrica;
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco ventilado (diant.), tambor (tras.)
Pneus: 205/60 R15;
Peso: 1.130 kg;
Peso/potência: 10,3/11,2 kg/cv;
Peso/torque: 79,5/85,6 kg/mkgf;
Dimensões: comprimento, 399,8 cm; largura, 172,4 cm; altura, 156,8 cm; entre-eixos, 252 cm; altura livre do solo, 210 cm; porta-malas, 300 l; tanque, 48 l.

FORD KA FREESTYLE

TESTE:

Aceleração:
0 a 100 km/h – 11,9 s;
0 a 1.000 m – 33,6 s / 152,6 km/h;
Velocidade máxima – n/d.

Retomadas:
D 40 a 80 km/h – 5,3 s;
D 60 a 100 km/h – 6,9 s;
D 80 a 120 km/h – 8,9 s.

Frenagens:
60/80/120 km/h a 0 – 15,6/27/63,2 m.

Consumo:
Urbano – 11,6 km/l;
Rodoviário – 15,2 km/l.

Ruído interno:
Neutro/RPM máx. – 51,4/71,3 dBA;
80/120 km/h – 64,3/71,2 dBA.

Aferição:
Velocidade real a 100 km/h – 99 km/h;
Rotação do motor a 100 km/h em D – 2.400 rpm;

Volante – 2,6 voltas.
Garantia – 3 anos;
Concessionárias – 332.

FICHA TÉCNICA:

Motor: flex, dianteiro, transversal, 3 cilindros, 1.497 cm³, 12 V, 136/128 cv a 6.500 rpm, 16,1/15,6 mkgf a 4.750 rpm
Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco ventilado (diant.), tambor (tras.)
Pneus: 185/60 R15
Peso: 1.135 kg
Peso/potência: 8,3/8,9 kg/cv
Peso/torque: 70,5/72,7 kg/mkgf
Dimensões: comprimento, 388,6 cm; largura, 169,5 cm; altura, 154,2 cm; entre-eixos, 249,1 cm; altura livre do solo, 193 cm; porta-malas, 255 l; tanque, 52 l

TOYOTA YARIS X-WAY

TESTE:

Aceleração:
0 a 100 km/h – 12,4 s;
0 a 1.000 m – 34 s / 154,7 km/h;
Velocidade máxima – n/d.

Retomadas:
D 40 a 80 km/h – 5,5 s;
D 60 a 100 km/h – 6,9 s;
D 80 a 120 km/h – 9,2 s.

Frenagens:
60/80/120 km/h a 0 – 15/26,6/62,6 m.

Consumo:
Urbano – 12,5 km/l;
Rodoviário – 15,3 km/l.

Ruído interno:
Neutro/RPM máx. – 37,7/72,8 dBA;
80/120 km/h – 62,5/67,1 dBA.

Aferição:
Velocidade real a 100 km/h – 96 km/h;
Rotação do motor a 100 km/h em D – 1.700 rpm;

Volante – 3,4 voltas.
Garantia – 3 anos;
Concessionárias – 257.

FICHA TÉCNICA:

Motor: flex, dianteiro, transversal, 4 cilindros, 1.496 cm³, 16 V, 110/105 cv a 5.600 rpm, 14,9/14,3 mkgf a 4.000 rpm
Câmbio: automático, CVT, tração dianteira
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco ventilado (diant.), tambor (tras.)
Pneus: 185/60 R15 Peso: 1.135 kg
Peso/potência: 10,3/10,8 kg/cv
Peso/torque: 76,1/79,4 kg/mkgf
Dimensões: comprimento, 414,5 cm; largura, 173 cm; altura, 149 cm; entre-eixos, 255 cm; altura livre do solo: 150 cm; porta-malas, 310 l; tanque, 45 l

Condições de teste:
(Argo/Ka/Yaris) altitude – 660 m; temperatura – °C 24/27/25, umidade relativa – % 74/48/63; pressão atm. – hPa 1.014/1.016/1.017

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. H Romeu Pinto

    Reportagem interessante, mas a narrativa como que para uma criança de oito anos foi de lascar!!
    É sabido que a juventude de hoje é quase que toda imbecilizada e/ou infantilizada, mas uma reportagem sobre comparativos de automóveis feita por um estagiário com +/- 12 anos…
    Continuem nessa linha, vejam onde irá parar o número de assinantes…mas depois não reclamem!!