Sedãs automáticos por menos de R$ 60.000: Voyage x Ka x Prisma x Etios

Quer um carro para a família que não pese no bolso? Reunimos os sedãs automáticos mais baratos do Brasil

 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Câmbio automático deixou de ser artigo de luxo há alguns anos. Se tornou algo tão democrático que não é preciso recorrer às versões mais caras dos compactos para ter esse conforto cada vez mais requisitado.

Reunimos os sedãs compactos com câmbio automático mais baratos do Brasil: Volkswagen Voyage, Chevrolet Prisma, Ford Ka Sedan e Toyota Etios Sedã em suas versões mais básicas.

Não fosse pelo aumento de R$ 600 no preço do Prisma às vésperas do fechamento desta reportagem, todos eles custariam menos de R$ 60.000.

E foi justamente pelo preço que Hyundai HB20S Comfort Plus (R$ 64.650), Fiat Cronos GSR (R$ 63.990) e Nissan Versa SV CVT (R$ 62.490) ficaram de fora. Assim, restaram só carros com transmissão automática convencional.

O Volkswagen Voyage trocou o câmbio automatizado I-Motion pelo bom automático Tiptronic, que veio do antigo Golf 1.6. Para o Ka Sedan, porém, não ter pedal de embreagem é algo inédito.

Agora é hora de ver quais desses sedãs de entrada levam a melhor em itens como desempenho, espaço interno, conforto e, principalmente, segurança. Afinal, são carros para você e sua família.

4º Chevrolet Prisma Advantage 1.4

Prisma tem a menor distância do solo

Prisma tem a menor distância do solo (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Não há Prisma automático mais em conta que o Advantage. Por R$ 60.590, tem apenas o essencial: rádio com Bluetooth, direção elétrica, ar-condicionado, travas, retrovisores e vidros elétricos dianteiros.

O porta-malas com abertura elétrica no painel e pela chave foi mantido, bem como o monitor de pressão dos pneus – uma luz acende no quadro de instrumentos quando a pressão está baixa.

Em relação ao Prisma LT 1.4 automático das fotos (a Chevrolet não tinha o Advantage para empréstimo), que custa R$ 64.990 — ou R$ 4.400 mais caro —, o Advantage não traz central multimídia MyLink.

Volante multifuncional e central multimídia são da versão LT

Volante multifuncional e central multimídia são da versão LT (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Também faltam volante multifuncional, sensor de estacionamento, câmera de ré, computador de bordo, iluminação do porta-luvas, alças no teto e as rodas de liga leve aro 15 – trocadas por rodas de aço com calotas cinza.

O Prisma é um carro bom de andar, com suspensão bem acertada. Não transmite tanto os buracos e irregularidades do asfalto e segura bem a carroceria em curvas. O que joga contra o Prisma é seu projeto.

Embora seja mais espaçoso que o Voyage no banco traseiro, na frente o motorista e o carona têm bancos curtos e com pouco apoio lateral. Além disso, são altos e o ajuste de altura do motorista não tira a sensação de estar muito próximo do teto.

Dessa forma, comandos de ar-condicionado, vidros elétricos e até a central multimídia ficam um pouco fora do alcance das mãos.

Porta-malas tem 500 litros

Porta-malas tem 500 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O motor 1.4 8V flex já passou por algumas atualizações desde 1994, quando estreou no Corsa. Hoje vive uma relação quase estável com o câmbio GF6, de seis marchas com trocas sequenciais por botões na alavanca, que é rápido, mas não muito suave nas trocas.

Essa combinação resultou no segundo melhor consumo urbano, 12,3 km/l — fica atrás apenas dos 12,7 km/l do Voyage. Contudo, empatou com o Etios Sedan, que tem a desvantagem de ter quatro marchas, no pior consumo rodoviário – 15 km/l.

O Prisma também foi o mais lento: precisou de 13,3 s para chegar aos 100 km/h.

Teste de pista (com gasolina)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h:  13,3 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 (segundos/km/h): 35 s/146
  • Retomada de 40 a 80 km/h (em D): 5,7 s
  • Retomada de 60 a 100 km/h (em D): 7,7 s
  • Retomada de 80 a 120 km/h (em D): 10,5 s
  • Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0: 16,8 / 28,9 / 69,4 m
  • Consumo urbano: 12,3 km/l
  • Consumo rodoviário: 15 km/l

Ficha técnica

  • Preço: R$ 60.590
  • Motor: flex., diant., transv., 4 cil., 1.398 cm3, 8V, aspirado, 106/98 cv a 6.000 rpm, 13/13,9 mkgf a 4.800 rpm
  • Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
  • Freios: discos ventilados (diant.), tambor (tras.)
  • Direção: elétrica; diâmetro de giro, 10,4 m
  • Pneus: 185/65 R15
  • Dimensões: compr., 428,2 cm; largura, 170,5 cm; alt., 147,8 cm; entre-eixos, 252,8 cm; altura livre do solo, 12 cm; peso, 1.080 kg; tanque, 54 l; porta-malas, 500 l

3º Volkswagen Voyage 1.6

Logotipo na tampa identifica o novo câmbio

Logotipo na tampa identifica o novo câmbio (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Enfim, o Volkswagen Voyage se livrou do câmbio automatizado I-Motion. Lançado em 2009, tinha a proposta de ser uma alternativa barata aos automáticos convencionais.

Um sistema eletro-hidráulico era instalado no câmbio manual para fazer as trocas automaticamente. Mas não era barato. Nem bom.

Para ter uma ideia, antes de morrer o I-Motion custava R$ 3.300. O novo câmbio automático com conversor de torque e seis marchas aumenta a conta em R$ 3.170, para R$ 59.990.

Esse câmbio chegou ao Voyage em julho, logo após ganhar a frente robusta da Saveiro. Está combinado a um motor diferente: enquanto a versão manual continua com o velho motor 1.6 8V EA111, de 104 cv e 15,6 mkgf, o automático usa o 1.6 16V da família EA211, que rende até 120 cv e 16,8 mkgf de torque.

Central multimídia e volante multifuncional vêm em pacote de R$ 2.000

Central multimídia e volante multifuncional vêm em pacote de R$ 2.000 (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Ele não tem duplo comando de válvulas variável como os 1.5 de Etios e Ka, mas registrou os melhores números de consumo: 12,7 km/l no ciclo urbano e impressionantes 17,8 km/l no rodoviário.

Há uma explicação: em Drive, o câmbio preza por antecipar as trocas e tornar a condução mais eficiente e confortável.

Em modo Sport, porém, o Voyage ganha fôlego, com o motor chegando perto da faixa vermelha do conta-giros antes de realizar a troca. Mesmo assim, foi de 0 a 100 km/h no tempo do Etios: 12,6 s.

O Voyage tem poucos equipamentos de série. Destaque para ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros, banco do motorista com ajuste de altura, preparação para sistema de som com fiação e rodas de aço aro 15 com calotas.

Porta-malas tem 480 litros

Porta-malas tem 480 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A direção hidráulica, exclusividade do VW neste comparativo, rendeu uma dor de cabeça: a correia da bomba hidráulica (independente daquela de acessórios) se rompeu na estrada na volta da pista de testes e a direção ficou sem assistência.

Faróis de neblina, vidros elétricos traseiros, retrovisores elétricos e ajuste de altura e profundidade do volante estão em pacote opcional de R$ 3.000. Central, volante multifunção e computador de bordo estão em outro, de R$ 2.000.

Teste de pista (com gasolina)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h:  12,6 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 (segundos/km/h): 33,7 s/157,1
  • Retomada de 40 a 80 km/h (em D): 5,7 s
  • Retomada de 60 a 100 km/h (em D): 7 s
  • Retomada de 80 a 120 km/h (em D): 8,6 s
  • Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0: 14,6 / 25,8 / 58,4 m
  • Consumo urbano: 12,7 km/l
  • Consumo rodoviário: 17,8 km/l

Ficha técnica

  • Preço: R$ 59.990
  • Motor: flex., diant., transv., 4 cil., 1.598 cm3, 16V, aspirado, 120/110 cv a 5.750 rpm, 16,8/15,8 mkgf a 4.000 rpm
  • Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
  • Freios: discos ventilados (diant.), tambor (tras.)
  • Direção: hidráulica; diâmetro de giro, 10,8 m
  • Pneus: 195/55 R15
  • Dimensões: compr., 421,3 cm; largura, 165,6 cm; alt., 146,4 cm; entre-eixos, 246,7 cm; altura livre do solo, 16,1 cm; peso, 1.058 kg; tanque, 55 l; porta-malas, 480 l

2º Ford Ka 1.5 SE

Para-choque com saída de ar é novo

Para-choque com saída de ar é novo (Christian Castanho/Quatro Rodas)

No que diz respeito a motor e câmbio, o Ford Ka Sedan está muito bem servido.

Com a reestilização sofrida este ano, ganhou o conjunto mecânico do EcoSport: 1.5 três cilindros com duplo comando de válvulas variável de 136 cv e 16,1 mkgf, fazendo par com o câmbio automático de seis marchas 6F15.

É um conjunto que tem fôlego de sobra para levar a família.

As saídas ágeis e respostas rápidas ao pedal de acelerador empolgam. Mesmo com as marchas avançando rápido, parece sobrar torque a todo momento.

Painel do Ka teve poucas mudanças na reestilização

Painel do Ka teve poucas mudanças na reestilização (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Não à toa, fez bonito na pista: 0 a 100 km/h em 11,2 s e as melhores retomadas dos quatro sedãs testados. Mas o motor mais moderno teve consumo pior que o do Voyage: 11,8 km/l na cidade e 15,6 km/l na estrada.

A variação do peso da direção elétrica é grande: levinha em manobras e pesada o suficiente acima de 60 km/h para passar bastante segurança. Mas a calibração da suspensão, focada em absorver buracos e irregularidades da pista, lembra que esse sedã não é um esportivo.

O interior passa a sensação de amplitude. O teto é alto e o posto de comando do motorista é afastado do para-brisas, sem contar que os bancos dianteiros, por suas dimensões, parecem ter vindo de um carro de segmento superior.

Acesso ao porta-malas pequeno, mas a tampa tem abertura pantográfica

Acesso ao porta-malas pequeno, mas a tampa tem abertura pantográfica (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O espaço traseiro só não supera o do Etios, seja no vão para as pernas, seja para os ombros. Mas o porta-malas, com 445 litros de capacidade, é o menor dos quatro e tem o menor vão de acesso ao compartimento.

Como o Prisma, o Ka Sedan SE tem rádio com Bluetooth e volante com ajuste de altura. A lista de equipamentos de série ainda inclui ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros, computador de bordo, banco do motorista com ajuste de altura e os faróis de neblina e piloto automático, que só ele tem.

O preço é o mesmo do Voyage: R$ 59.990. Apesar do bom conjunto, o Ford Ka Sedan não leva essa por um motivo simples: controles de estabilidade e tração só estão disponíveis na versão Titanium, de R$ 70.990. Spoiler: o Etios Sedã tem.

Teste de pista (com gasolina)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h:  11,2 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 (segundos/km/h): 33 s/156
  • Retomada de 40 a 80 km/h (em D): 5 s
  • Retomada de 60 a 100 km/h (em D): 6,6 s
  • Retomada de 80 a 120 km/h (em D): 8,6 s
  • Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0: 14,1 / 25,6 / 59,9 m
  • Consumo urbano: 11,8 km/l
  • Consumo rodoviário: 15,6 km/l

Ficha técnica

  • Preço: R$ 59.990
  • Motor: flex., diant., transv., 3 cil., 1.497 cm3, 12V, aspirado, 136/128 cv a 6.500 rpm, 16,1/15,6 mkgf a 4.750 rpm
  • Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
  • Freios: discos ventilados (diant.), tambor (tras.)
  • Direção: elétrica; diâmetro de giro, 9,6 m
  • Pneus: 195/55 R15
  • Dimensões: compr., 427,5 cm; largura, 170 cm; alt., 152,5 cm; entre-eixos, 249,1 cm; altura livre do solo, 16,9 cm; peso, 1.115 kg; tanque, 51 l; porta-malas, 445 l

1º Toyota Etios sedã X 1.5

Lanternas fumês são de série no Etios Sedan

Lanternas fumês são de série no Etios Sedan (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A Toyota enxugou as versões do Etios após o lançamento do Yaris. Com o fim das XLS e Platinum, restaram o Etios X e o X-Plus.

Mesmo o básico Etios X, de R$ 59.290, tem controles de estabilidade e tração, e assistente de partida em rampa, que não existem em nenhuma das configurações de Prisma e Voyage, nem no Ka SE. E ainda é o mais barato dos quatro modelos aqui reunidos.

A diferença de R$ 700 para os demais pagaria a instalação do rádio e dos alto-falantes – a antena no teto ele já tem.

De série, há direção elétrica, computador de bordo, ar-condicionado com saída para o porta-luvas, retrovisores com ajuste elétrico, banco do motorista com ajuste de altura e vidros elétricos dianteiros e traseiros são equipamentos de série.

O X-Plus das fotos substitui as rodas de aço aro 14 pelas de liga leve aro 15 e ainda soma rádio com Bluetooth, volante multifuncional com ajuste de altura, repetidores de seta nos retrovisores e piloto automático, mas custa R$ 63.990.

Etios tem quadro de instrumentos digital como equipamento de série

Etios tem quadro de instrumentos digital como equipamento de série (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Apesar da simplicidade, o Etios Sedã é um bom carro familiar. Para quem vai na frente, bancos largos e com bom apoio para as coxas.

Atrás, espaço de sobra para a cabeça e as pernas, muito em virtude de os encostos dianteiros serem estreitos. O porta-malas, com 562 litros de capacidade, é, de longe, o maior.

A combinação do motor 1.5 16V com duplo comando de válvulas variável, de 107 cv e 14,7 mkgf, com o mesmo câmbio automático de quatro marchas da geração passada do Corolla é agradável.

Embora o menor número de marchas limite seu desempenho (vide os piores números de retomada entre os quatro), o câmbio tem funcionamento suave e responde rápido ao acelerador.

Com 562 litros de capacidade, é o maior porta-malas do comparativo

Com 562 litros de capacidade, é o maior porta-malas do comparativo (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O que faz falta é a opção de trocas sequenciais, seja na alavanca ou em borboletas.

A suspensão é confortável na medida certa para manter a estabilidade em qualquer situação, mas a direção desmultiplicada não inspira nenhuma esportividade. Esta nunca foi a intenção do Etios Sedã.

Teste de pista (com gasolina)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h:  12,6 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 (segundos/km/h): 35,5 s/151,7
  • Retomada de 40 a 80 km/h (em D): 6,4 s
  • Retomada de 60 a 100 km/h (em D): 7 s
  • Retomada de 80 a 120 km/h (em D): 10,3 s
  • Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0: 16,1 / 27,8 / 62,3 m
  • Consumo urbano: 11,8 km/l
  • Consumo rodoviário: 15 km/l

Ficha técnica

  • Preço: R$ 59.290
  • Motor: flex., diant., transv., 4 cil., 1.496 cm3, 16V, aspirado, 107/102 cv a 5.600 rpm, 14,7/14,3 mkgf a 3.100 rpm
  • Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
  • Freios: discos ventilados (diant.), tambor (tras.)
  • Direção: elétrica; diâmetro de giro, 9,8 m
  • Pneus: 185/60 R15
  • Dimensões: compr., 436,9 cm; largura, 169,5 cm; alt., 151 cm; entre-eixos, 255 cm; altura livre do solo, n/d; peso, 965 kg; tanque, 45 l; porta-malas, 562 l
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s