Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

A disputa entre as peruas Marea Weekend, Corolla Fielder e Peugeot 307 SW

A espécie já foi extinta no Brasil, mas vale relembrar como eram as station wagons médias quando estavam no auge

Por Adriano Griecco Atualizado em 23 Maio 2021, 12h51 - Publicado em 23 Maio 2021, 12h48
Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw (2)
Marco de Bari/Quatro Rodas

Publicado originalmente em julho de 2004

Desde meados dos anos 90, quando modelos como Quantum, Royale e Tempra SW saíam das lojas com cheiro de novas, os simpatizantes das peruas viveram tempos magros. É verdade que em 1998 a Fiat lançou a Marea Weekend, que conviveu por algum tempo com a já defasada irmã do Santana.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Aproveitando-se dessa entressafra, as minivans cresceram, multiplicaram-se e ocuparam as vagas deixadas pelas station wagons.

Mas isso faz parte do passado. Quem procura espaço para bagagem, bom desempenho e não abre mão da posição e do prazer de dirigir proporcionado por um automóvel já tem opções.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

A Peugeot 307 SW, lançada na metade do ano passado, a recém-chegada Toyota Fielder e a veterana Marea Weekend formam um leque suficientemente atraente para provocar a boa angústia da dúvida nos potenciais candidatos.

Tidas como dinossauros a caminho da extinção, as peruas sobreviveram – e tudo indica que terão vida longa – por duas qualidades. A primeira é o porta-malas, um dos pontos fracos das minivans, que privilegiam o espaço interno.

A outra fica evidente ao volante. Enquanto nas minivans o motorista assume uma posição mais passiva, quase contemplativa, as peruas instigam a uma interação maior, propiciando uma atitude mais esportiva e não apenas operacional para seus motoristas.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Neste comparativo as representantes da nova geração – Fielder e 307 SW – desafiam a Marea, que assistiu de perto à invasão das minivans e se mantém na disputa.

3º – Marea Weekend ELX

Pelo retorno que recebemos dos leitores, podemos deduzir, com relação à Weekend, que há uma relação inversamente proporcional entre carros vendidos (155 unidades de janeiro a junho deste ano) e número de admiradores. Ou, então, esse fã clube é composto de uma minoria bastante ruidosa.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas
Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

É só publicar algo que desagrade à fiel torcida para recebermos mensagens discordantes, em variados níveis de (mau) humor. É provável que a terceira colocação no comparativo não seja bem recebida pela turma da Marea…

Das três, a Weekend é a mais barata. A versão ELX custa 54.280 reais (R$ 133.516 – IPCA 2021). A explicação para isso está em sua cesta mais básica de equipamentos. Dotada de ABS, duplo airbag e banco traseiro bipartido – itens de série nas rivais e opcionais na Fiat –, seu preço sobe para 59.100 reais (R$ 145.372 – IPCA 2021) e ela se torna mais cara que a Fielder, que sai por 57.160 reais (R$ 140.623 – IPCA 2021).

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas
Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Ainda que tenha preço convidativo, suas vendas não têm correspondido. A Fiat nega que ela esteja na marca do pênalti, mas é certo que esses números não avalizam aposta numa longevidade matusalênica para ela. Ainda mais que a perua Stilo já roda em terras européias desde 2003.

A versão ELX da Weekend vem equipada com motor 1.8 16V de 132 cavalos. Não se trata do motor Powertrain que equipa Stilo e Palio, mas sim daquele que equipava o Brava HGT. Nos testes, sua cavalaria não foi páreo para a Fielder, mas conseguiu se impor diante da Peugeot. Com 11,4 segundos para chegar aos 100 km/h, a Marea praticamente empatou com a 307 SW. Mas, na hora da retomada, nem o coletor de admissão variável ajudou a Fiat a deixar a última colocação.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

No dia-a-dia, a Marea é uma perua agradável de dirigir. A suspensão vai bem na cidade e na estrada. O manuseio da alavanca de câmbio não apresenta segredos – só poderia ser um pouco mais suave, é verdade. Seu interior acomoda cinco adultos, mas pode carregar mais bagagem que a Fielder: o porta-malas, que tem capacidade para 500 litros, equiparando-se ao da 307, é 90 litros maior que o da Toyota.

No painel, as formas “mais ousadas” – termo que utilizamos quando a perua estreou por aqui –, já não impressionam. Mas a boa ergonomia está lá, intacta, com os comandos à mão.

Continua após a publicidade

2º – Peugeot 307 SW

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

A 307 assimilou uma boa lição das “inimigas” minivans. Incorporou um de seus pontos fortes, a possibilidade de rearranjar o espaço interno ajustando ou retirando os três bancos individuais da segunda fileira. E não é só isso que coloca a 307 SW em boa posição.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Das três, ela é disparado a mais bonita, tendo na dianteira a mesma cara do irmão e na traseira lanternas triangulares. Mas há um detalhe que fica acima de todos os outros e, de fato, enche os olhos. É o teto, com uma área envidraçada de 1,33 metro quadrado que permite a entrada de luz natural.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas
Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Por ser importada da França e sofrer com a alta do dólar, a 307 SW custa 69000 reais (R$ 169.724 – IPCA 2021) – quase 12000 reais a mais que a Fielder. Em termos de equipamentos, as duas estão lado a lado e trazem duplo airbag, discos ventilados nas quatro rodas com ABS e EBD. Aliás, no quesito frenagem, a 307 foi a que se deu melhor nos testes em Limeira, obtendo as melhores marcas do comparativo.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas
Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Outro destaque da 307 SW é o interior. A começar pelo computador de bordo, instalado no centro do painel (Weekend e Fielder, nas versões avaliadas, não têm o item nem como opcional). Merecem boa nota a distribuição dos comandos, com tudo à mão, e o ótimo acabamento interno, que utiliza materiais de qualidade e agradáveis ao toque.

Ao volante, a Peugeot agrada àqueles que gostam de curvas mais fortes. O acerto mais duro da suspensão não afronta o conforto da família, mas assusta com batidas secas quando se passa sobre imperfeições do asfalto.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

O toque mais esportivo da suspensão não encontra correspondência na alavanca de câmbio, que nas trocas mais apressadas reclama na forma de alguns arranhões. Isso explica o fato de, apesar de contar com o motor 2.0 16V de 138 cavalos, o mais potente do comparativo, a 307 SW ter ficado 1,3 segundo atrás da Fielder ” que precisou de apenas 10,3 segundos no 0 a 100 km/h.

1º – Toyota Fielder

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

As vendas da Fielder têm surpreendido até a Toyota. Com uma expectativa inicial de 400 carros ao mês, a perua acumulou mais de mil unidades vendidas nos dois primeiros meses de vida. O desempenho nas lojas pode encontrar justificativa na boa impressão causada pelo sedã, um sucesso de vendas desde que foi lançado, em julho de 2002.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Mas também pela boa relação custo/benefício da perua Toyota em relação à concorrência. Foi justamente esse o ponto que fez a Fielder consolidar a liderança neste comparativo. Na versão manual, ela custa 57160 reais e traz um bom pacote de série: ABS, EBD, duplo airbag, direção hidráulica e trio elétrico. A 307 SW também conta com todos esses itens, mas é bem mais cara que a Fielder.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Assim como a SW está para o hatch 307, o interior da Fielder é igualzinho ao do Corolla sedã. Na verdade, só a padronagem dos bancos e, claro, a parte traseira do carro vão diferenciar a perua do sedã. O design, apesar de ser mais conservador que o da Peugeot, é simples e funcional.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Em número de porta-trecos, a Fielder é pródiga como uma minivan. São três no painel (sem contar o porta-luvas), três no console central, sendo que num deles você retira as divisórias para deixar no tamanho que quiser, e mais dois nas portas dianteiras. Em compensação, no porta-malas ela também se aproxima dos monovolumes. Com capacidade para 411 litros, perde para 307 e Marea. Nem os três pequenos compartimentos que ficam abaixo do piso do bagageiro melhoram a situação da Fielder.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Mas é andando que a Fielder abre a distância das concorrentes. Sua suspensão segue a receita do irmão, com uma boa relação entre estabilidade e conforto. O câmbio tem relações bem escalonadas e a alavanca não titubeia nos engates, permitindo trocas mais rápidas que as rivais. Mesmo não sendo titular do motor mais potente ” o 1.8 VVTi da Toyota tem 136 cavalos, contra 138 do 2.0 da Peugeot “, ela impôs um forte ritmo em todas as provas de desempenho.

O ippon da Toyota se deu na hora de medir o consumo: mostrou ser a mais econômica das três peruas, fazendo 8,3 km/l na cidade e 12,4 km/l na estrada, sendo seguida de perto pela 307 neste quesito.

Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Ficha técnica – Toyota Corolla Fielder

  • Motor: Dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, Cilindrada: 1794 cm³; Diâmetro x curso: 79 x 91,5 mm; Taxa de compressão: 10,0:1; Potência: 136 cv a 6000 rpm; Torque: 17,5 mkgf a 4200 rpm
  • Câmbio: Manual de 5 marchas, tração dianteira; I 3,16; II. 1,90; III. 1,31; IV. 0.96; V. 0,81; Ré 3,22; Diferencial 4,32; Rotação do motor a 100 km/h em 5ª marcha – 2500 rpm
  • Dimensões: Comprimento, 445 cm; largura, 170 cm; altura, 153 cm; entreeixos, 260 cm; Peso: 1185kg
  • Peso/potência: 8,7 kg/cv
  • Peso/torque: 67,7 kg/mkgf
  • Volumes: Porta-malas, 411 l; tanque de combustível, 55 l
  • Suspensão: Barra estabilizadora, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos; Dianteira: Independente, tipo McPherson; Traseira: Eixo semi-rígido com braços transversais
  • Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira com ABS e EBD
  • Direção: Tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica; 3,5 voltas entre batentes
  • Rodas e pneus: bliga leve, aro 15; Bridgestone Potenza 195/60 R15
  • Principais itens de série: Airbag duplo, ABS, alarme com controle remoto, ar-condicionado integrado frio e quente, brake-light, direção hidráulica, rádio com CD player, vidros, travas e retrovisores elétricos, volante regulável em altura
  • Principais itens opcionais: Sensor de estacionamento, farol de neblina, racks no teto
  • Garantia: 3 anos sem limite de quilometragem
  • Preço: 57.160 reais (R$ 140.623 – IPCA 2021)
Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Ficha técnica – Peugeot 307 SW

  • Motor: Dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas; Cilindrada: 1997 cm³; Diâmetro x curso: 85 x 88 mm; Taxa de compressão: 10,8:1; Potência: 138 cv a 6000 rpm; Torque: 19,4 mkgf a 4100 rpm
  • Câmbio: Manual de 5 marchas, tração dianteira; I. 3,45; II. 1,86; III. 136; IV. 1,05; V. 0,86; Ré 3,40; Diferencial 4,05; Rotação do motor a 100 km/h em 5ª marcha – 2500 rpm
  • Carroceria: Dimensões: Comprimento, 442 cm: largura, 176 cm; altura, 154 cm; entreeixos, 271 cm; Peso: 1355kg
  • Peso/potência: 9,8 kg/cv
  • Peso/torque: 69,8 kg/mkgf
  • Volumes: Porta-malas, 520 l; tanque de combustível, 60 l
  • Suspensão: Molas helicoidais e amortecedores pressurizados; Dianteira: Independente, tipo McPherson com braços triangulares inferiores; Traseira: Barra de torção com braços longitudinais
  • Freios: Disco ventilados na dianteira e sólidos na traseira com ABS e EBD
  • Direção: Tipo pinhão e cremalheira com assistência hidráulica; 3 voltas entre batentes
  • Rodas e pneus: Liga leve, aro 15; Continental Premiun Contact 195/65 R15
  • Principais itens de série: Ar-condicionado, ABS, alarme com acionamento a distância, bancos com regulagem de altura, computador de bordo, check control, CD player, duplo airbag, direção hidráulica, retrovisores, travas e vidros elétricos
  • Principais itens opcionais: Airbags laterais, espelho fotocromático, sensor de chuva, faróis com acendimento automático
  • Garantia: 1 ano sem limite de quilometragem
  • Preço: 69.000 reais (R$ 169.724 – IPCA 2021)
Teste comparativo peruas Marea Weekend toyota fielder peugeot 307 sw
Marco de Bari/Quatro Rodas

Ficha técnica – Fiat Marea ELX

  • Motor: Dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas; Cilindrada: 1746cm³; Diâmetro x curso: 82 x 82,7 mm; Taxa de compressão: 10,3:1; Potência: 132 cv a 6500 mm; Torque: 16,7 mkgf a 4000 mm
  • Câmbio: Manual de 5 marchas, tração dianteira; I 3,91; II 2,24; III. 1,52; IV. 1,16; V. 0,92; Ré 3,91; Diferencial 3,87; Rotação do motor a l00 km/h em 5ª marcha – 2500 rpm
  • Carroceria: Dimensões: Comprimento, 449 cm; largura, 174 cm; altura, 153 cm; entreeixos, 254 cm; Peso: 1270kg
  • Peso/potência: 9,6 kg/cv
  • Peso/torque: 76 kg/mkgf
  • Volumes: Porta-malas, 500 l; tanque de combustível, 63 l
  • Suspensão: Molas helicoidais e amortecedores pressurizados; Dianteira: Independente, do tipo McPherson com braços triangulares; Traseira: Barra de torção e braços oscilantes longitudinais
  • Freios: Disco ventilado na dianteira e tambor na traseira
  • Direção: Tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica; 3 voltas entre batentes
  • Rodas e pneus: Liga leve, aro 15; Pirelli P6000 195/60 R15
  • Principais itens de série: Ar-condicionado, brake light, conta-giros, direção hidráulica, faróis de neblina, frisos laterais, pára-choques na cor do veículo, rádio com CD player, retrovisores, travas e vidros elétricos, volante com regulagem de altura
  • Principais equipamentos opcionais: ABS, banco traseiro bipartido, bancos em couro, duplo airbag, retrovisor interno eletrocrômico, side bag, regulagem de altura e lombar elétrica do banco do motorista
  • Garantia: 1 ano sem limite de quilometragem
  • Preço: 54.280 reais (R$ 133.516 – IPCA 2021)
Continua após a publicidade

Publicidade